Destaques da Quinzena em DVD/BluRAy (16 à 30/06)

05/07/2014

alabamamonroeAlabama Monroe: Elise (Veerle Baetens) e Didier (Johan Heldenbergh) apaixonam-se à primeira vista, apesar de suas diferenças. Ele fala, ela ouve. Ele é um ateu romântico, ela é uma realista religiosa. Quando sua filha fica gravemente doente, seu amor é levado a julgamento. Indicado ao Oscar 2014 de Filme Estrangeiro, representando a Holanda, tem conquistadado boas críticas por onde passa.

euevoceEu & Você: Lorenzo tem 14 anos e elaborou um plano para que possa passar as férias de verão sozinho no porão do seu prédio. Ele planejou tudo: onde vai dormir, o que fazer e já há algum tempo está estocando comida no local. A ideia é que sua mãe pense que ele está numa viagem de colégio, de forma que não o aborreça durante este período. O que ele não contava era que sua meia-irmã Olivia surgisse de repente, acabando com a paz do garoto. Viciada em drogas e buscando um lugar para ter um pouco de paz, Olivia acaba chantageando Lorenzo para que fique com ele no porão. Filme que passou em branco nos cinemas, mas pertence ao “mestre” Bernardo Bertolucci, o que o torna obrigado aos cinéfilos!

paisefilhosPais e Filhos: Ryoata é um arquiteto obcecado com o sucesso profissional, que forma com a jovem esposa e o filho de 6 anos uma família ideal. Sua vida sofre uma grande transformação quando descobre que está criando o filho de outro homem há seis anos, já que seu filho biológico foi trocado por engano na maternidade. Filme japonês que fez uma rápida carreira nos nossos cinemas, mas que deve encontrar seu público alvo agora no home video.

omordonoO Mordomo da Casa Branca: 1926, Macon, Estados Unidos. O jovem Eugene Allen vê seu pai ser morto sem piedade por Thomas Westfall, após estuprar a mãe do garoto. Percebendo o desespero do jovem e a gravidade do ato do filho, Annabeth Westfall decide transformá-lo em um criado de casa, ensinando-lhe boas maneiras e como servir os convidados. Eugene cresce e passa a trabalhar em um hotel ao deixar a fazenda onde cresceu. Sua vida dá uma grande guinada quando tem a oportunidade de trabalhar na Casa Branca, servindo o presidente do país, políticos e convidados que vão ao local. Entretanto, as exigências do trabalho causam problemas com Gloria, a esposa de Eugene, e também com seu filho Louis, que não aceita a passividade do pai diante dos maus tratos recebidos pelos negros nos Estados Unidos. Ponta baixo da curta carreira de Lee Daniels, desde Matadores de Aluguel, passando por Preciosa até o recente Obsessão, mesmo contando com um elenco estrelar, capitaneado por Forest Whitaker, Daniels não consegue controlar o tom épico/histórico do mordomo que acompanha inúmeros presidentes americanos durante décadas, uma pena, tentaram fazer uma versão de Forest Gump e não funcionou, na verdade, nada funciona direito em cena.

pompeiaPompeia: Milo (Kit Harrington) é escravo em um navio rumo a Nápoles, que luta para salvar a mulher que ama e seu melhor amigo, um gladiador preso dentro coliseu da cidade. Como se os dramas ainda não bastasse, ele terá que lidar com uma terrível erupção vulcânica que pode destruir sua cidade para sempre. Novamente Paul W. S. Anderson (da cinessérie Resident Evil) prova ser um diretor muito abaixo da qualquer expectativa, aqui fazendo um misto de Gladiador com Titanic, previsível!

oquefazerO Que Fazer?: Um médico revela a seu paciente (Robin Williams) diagnosticado com paranóia agressiva que ele tem apenas 90 minutos de vida. Ainda sugere que ele deveria ir desculpar-se com todos que ele tenha brigado durante seus últimos momentos de vida. Filme que chama atenção, inédito em nossos cinemas, pelo elenco, nomes como Williams, Mila Kunis, Melissa Leo e Peter “Tyrion Lannister” Dinklage.

cacadoresCaçadores de Obras Primas: Baseado no livro homônimo de Robert M. Edsel, filme conta a história de um grupo de militares especialistas, selecionados pelo governo dos EUA para recuperar obras de arte roubadas pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. Uma pena que George Clooney, ator/diretor/roteirista, não tenha encontrado o tom ideal para sua aventura histórica com fortes doses de comédia, tornando-o irregular em diversos momentos, tanto que a própria narrativa se divide em diferentes plots (assim perdendo dinâmica), menos mal que o elenco compensa.

ograndeheroiO Grande Heroi: Baseado na operação Red Wings realizada por membros dos Navy SEALs em 2005, o filme acompanha a missão de perseguição e captura do líder Taliban Ahmad Shahd em um cenário hostil e surpreendente, no qual os soldados norte-americanos se veem cercados e precisam fazer de tudo para sobreviver. Novo filme bélico de Peter Berg, após Battleship, que conta uma trama até certo ponto interessante, verídica, mas que para variar pesa a mão no tom patriótico, principalmente em sua reta final, mesmo assim, possui aspectos técnicos, como o som, bastante competentes.

entrenosEntre Nós: Isolados numa casa de campo, jovens amigos decidem escrever e enterrar cartas destinadas a eles mesmos, para serem abertas dez anos depois. Porém, após uma tragédia ocorrida naquele mesmo dia, os amigos ficam dez anos sem se ver. Agora, este reencontro irá trazer à tona antigas paixões, novas frustrações e um segredo mal enterrado. Filme nacional dirigido e roteirizado por Paulo Morelli que foge do habitual no cinema atual, sim, não se trata de uma comédia, muito pelo contrário, parece aqueles filmes americanos sobre reencontro de gerações de amigos para “lavar a roupa suja” do passado. No mínimo, curioso!

robocopRobocop: Na Detroit de 2027, a empresa local Omnicorp quer colocar robôs para patrulhar as ruas norte-americanas, mas a opinião pública é contra. Quando um policial se fere gravemente, retorna à vida como um poderoso ciborgue na luta contra o crime, mas sua humanidade é um problema para a corporação, assim como sua eficiência. Acredito que Jose Padilha conseguiu imprimir uma nova roupagem ao clássico oitentista de Paul Voerhoven, a escolha de Joel Kinnaman, a abordagem atual e forte crítica social funcionam em cena!

umaaventuralegoUma Aventura Lego: Emmet (Chris Pratt) é uma figura LEGO perfeitamente comum e seguidora das regras, que é erroneamente identificado como uma pessoa extraordinária, essencial para salvar o mundo. Ele é recrutado por uma irmandade de estranhos para uma jornada épica com a finalidade de impedir um tirano, uma viagem para a qual Emmet está irremediável e hilariamente despreparado. Como companheiros dessa aventura, ele terá Vitruvius (Morgan Freeman), um velho místico, e a durona Lucy (Elizabeth Banks), que convoca o misterioso Batman (Will Arnett), com quem compartilha uma história do passado. Mesmo sendo um dos maiores sucessos desse ano, a animação me pareceu muito cansativa, mesmo contando com um roteiro com tiradas espertas.

profissaoProfissão de Risco: Jack (John Cusack) precisa entregar uma misteriosa sacola a Dragna (Robert De Niro) e recebeu recomendações para não olhar, de maneira alguma, o que estava dentro dela. Disposto a cumprir a tarefa, ele vai encontrá-lo em um motel de beira de estrada. O que diabos estão fazendo com suas carreiras Jonh Cusack e Robert DeNiro? Se alguém puder me responder.

Destaques da Quinzena em DVD/BluRay (02 à 13/06)

13/06/2014

clubedecomprasClube de Compras Dallas – um dos grandes ganhadores do Oscar 2014, levou os prêmios de melhor ator para Matthew McCounaghey e melhor ator coadjuvante para Jared Leto, ambos muito bem em cena, porém, em papéis típicos de ganhadores de Oscar, um machão em busca de redenção e um travesti, respectivamente. Além disso, a direção é do canadense Jean-Marc Valleé, responsável pela agradável surpresa C.R.A.Z.Y -Loucos de Amor e A Jovem Rainha Vitória. O filme em si é um retrato dos anos iniciais do tratamento do vírus HIV, em 86, confesso que após ver The Normal Heart, o quadro fica melhor ilustrado, o grande mérito do filme é mesmo seus atores. A trama mostra a história de Ron Woodroof (Matthew McConaughey), consumidor de drogas, amante de mulheres, homofóbico, que, em 1986, foi diagnosticado com aids e recebeu a sentença de 30 dias de vida. A partir daí, sua luta pela vida intensificou-se e, quase à beira da morte, ele foi em busca de medicamentos alternativos fora do país já que o único remédio legal nos Estados Unidos para combater a doença, na época, era o AZT. Com a ajuda de sua médica, dra. Eve Saks (Jennifer Garner), e do travesti Rayon (Jared Leto), portador do HIV, Woodroof criou clubes em que as pessoas pagavam por esses tratamentos alternativos, o que levou as indústrias farmacêuticas dos Estados Unidos a travarem uma guerra contra ele. Woodroof morreu em 12 de setembro de 1992, seis anos após o diagnóstico fatal.

operacaosombraOperação Sombra – Jack Ryan – enquanto todos os estúdios procuram uma franquia de ação para chamar de sua, incluindo os estúdios que possuem direitos sobre os herois em quadrinhos, a Paramount resolveu fazer um reboot (novamente) do agente Jack Ryan, já interpretado por Harrison Ford e Ben Affleck, em três filmes anteriores; aqui, vemos Chris Pine (já envolvido com a franquia Star Trek) assumindo o papel de Ryan, tendo como interesse romântico Keira Knightley, Kevin Costner como mentor (jura?) e Kenneth Branagh como vilão e, também,  diretor (diga-se de passagem, se mostrando como um diretor operário padrão, lamentável, sem pensarmos no diretor shakespereano que o ator vinha mostrando nos cinemas). Resultado irregular e dificilmente a franquia engrena novamente. Na trama, Jack Ryan (Chris Pine), um jovem analista da CIA, descobre plano russo para travar a economia dos EUA, com um ataque terrorista. Depois de deixar a Marinha e se tornar consultor financeiro de um bilionário, o agente é forçado a voltar à ativa para impedir o plano de seus algozes.

sosS.O.S Mulheres ao Mar – comédia romântica nacional com o casal da novela global, a carismática Giovanna Antonelli e Reinaldo Gianecchini, tendo como alívios cômicos as atrizes Thalita Carauto e Fabíola Nascimento, a direção é de Chris D’amato. Na trama, decidida a reconquistar seu ex-marido, a bela Adriana (Giovana Antonelli) embarca em um cruzeiro. O que ela descobre é que ele tem uma nova namorada, dessa vez famosa e estrela de TV. Durante o passeio, ela vai aprender que pode encontrar novos caminhos e soluções para sua vida.

The Normal Heart (HBO)

06/06/2014

thenormalheart

Posso estar enganado, mas acredito que no ano passado comentei por aqui sobre a “última” produção original do canal HBO americano Behind the Candelabra (acho que por aqui se chamou, Minha Vida com Liberace), com direção de Steven Soderbergh e roteiro de Richard LaGravenese, um belo filme, diga-se de passagem, com ótimas atuações de Michael Douglas e Matt Damon, além de uma boa reconstituição de época; dito isso, agora chegou a vez de tecer breves comentários sobre a nova produção original do canal, The Normal Heart, dirigida por Ryan Murphy e roteirizado por Larry Kramer (adaptado de sua peça teatral).

Para quem não conhece a trama do filme (e da peça), o roteiro mistura ficção e autobiografia, retratando o auge da disseminação do vírus HIV em Nova York, no início da década de 80, sob olhar do ativista Ned Weeks (Mark Ruffalo), gay, judeu e fundador de um grupo de apoio voltado para casos relacionados ao vírus. No entanto, se parece que o filme somente acompanhará as dificuldades e o sofrimento dos personagens frente ao surgimento da doença e descaso do Estado, engana-se, pois roteiro consegue levantar algumas questões bastante relevantes e atuais sobre igualdade, aceitação e responsabilidade civil.

Assim, quando surge em cena Mark Ruffalo, como Ned, discutindo com o irmão mais velho, Ben (Alfred Molina), que o “aceita” como gay, inclusive, lhe auxiliando financeiramente, vemos que Ned está revoltado não somente com a situação referente ao vírus, mas também com o fato de seu estimado irmão não conseguir achá-lo “igual” a ele, como ser humano; a sequência é simples, a melhor do filme junto com a cena da hospital e o abraço completo dos irmãos, mas com diálogos tão contundentes e verossímeis, mostrando que o texto do filme busca ser muito mais que um discurso panfletário/marketeiro da “causa gay”, ao invés disso, investe numa abordagem humana e delicada sobre aceitação, claro que não esquecendo as tragédias que o vírus disseminou nas pessoas e familiares destas.

Ryan Murphy, roteirista/diretor, mais reconhecido pelo público série maníaco, de séries como Popular, Nip/Tuk, Glee e, recentemente, American Horror Story, é um ótimo criador/idealizador de séries (normalmente, suas séries tendem ao exagero e fácil desgaste), sempre calcadas em personagens complexos e polêmicos; o universo gay sempre esteve presente nos seus textos, com ótimos personagens e diálogos que passam longe da abordagem “chapa branca”. Mesmo não contando com muita experiência em longas (anteriormente, havia dirigido somente Correndo com Tesouras), Murphy leva seu reconhecido talento em abordar temas polêmicos e dirigir bons atores ao filme, é impressionante como o coletivo do filme funciona, aliado ao ótimo roteiro, naturalmente!

Assim, não havendo destaques individuais, quando estão todos atores bem em cena, desde a discrição de Jim Parsons (sim, o Sheldon de The Big Bang Theory, num papel já interpretado pelo ator no teatro), passando pelo esforço físico de Matt Bomer, Alfred Molina, Taylor Kitsch até Julia Roberts (destaque como forte personagem feminina, praticamente a única), sobra holofote para o trabalho riquíssimo de Mark Ruffalo, delicado e revoltante, o ator consegue imprimir um jeito inquietante ao personagem que, mesmo desrespeitando os amigos, torna-se tocante pelas motivações do mesmo.

THE NORMAL HEART: 8,0

Direção: Ryan Murphy

Roteiro: Larry Kramer

Elenco: Mark Ruffalo, Alfred Molina, Matt Bomer, Julia Roberts, Taylor Kitsch, Jonathan Groff, 132 min

Destaques da Quinzena em DVD/BluRay (16 à 31/05)

31/05/2014

albumdefamiliaÁlbum de Família: o único fato a se lamentar na adaptação dessa peça de teatro para telona é a falta de sutileza (experiência também) de John Wells, mais conhecido por seu trabalho televisivo, entre eles, Plantão Médico (E.R), pois o texto já é muito novesleco (beirando uma tragédia grega) cheio de armadilhas que precisavam de uma mão mais leve para abordá-los, assim, do jeito que ficou gera um óbvio destaque ao elenco, para mim destaque para Julia Roberts e Margo Martindale. Na trama, Três irmãs precisam se encontrar depois de anos separadas. Além de lidar com a mãe problemática, durona e racista Violet (Maryl Streep), elas vão ter que lidar com suas diferenças e traumas. Barbara (Julia Roberts) está lidando com o término de um casamento; Karen (Juliette Lewis) está se casando pela terceira vez e Ivy (Julianne Nicholson) ainda vive com os pais e mantém um relacionamento escondido com o primo. É daí que emergem conflitos que podem fazê-las abandonar o convívio familiar para sempre.

ateofimAté o Fim: me surpreendeu a escolha do diretor estreante JC Chandor (também roteirista), depois do quase thriller econômico Margin Call – O Dia Antes do Fim, voltar seus olhos a um filme sobrevivência, como temos tido alguns ultimamente. Um filme cadenciado todo no rosto envelhecido de Robert Redford, único no elenco, uma experiência diferente! Na trama, depois de uma colisão com um contêiner no meio do mar, um marinheiro tem que lidar, apesar de todos os esforços, com a possibilidade de sua morte iminente. Sozinho e perdido em alto mar ele terá que se apegar ao que puder para sair vivo dessa situação.

VeronicaMarsCartazFilmeVeronica Mars – O Filme: o que dizer de uma das minhas séries prediletas e de uma das minha protagonistas prediletas, é muito sentimento de nostalgia, mesmo que não faça tanto tempo assim que a série foi cancelada. A principal característica do filme, e seu ponto forte, é o texto feito para o fã, quem nunca viu a série, não tem muito como aproveitar a “revisita” do criador Rob Thomas ao universo de Veronica Mars, todos os principais personagens retornam seja em participações pequenas seja como importantes personagens, mas o principal é que Veronica Mars está de volta, com toda sua perspicácia e carisma. Na trama, após se formar na faculdade de direito, Veronica Mars deixou para trás a cidade Neptune e seus dias de investigadora amadora. Vivendo em Nova York e tentando conseguir emprego em um escritório de advocacia de alto nível, Veronica recebe um telefonema de seu ex-namorado Logan, que foi acusado de assassinato. Veronica volta para Neptune apenas para ajudar Logan a encontrar um advogado, mas quando as coisas saem do controle, Veronica encontra-se sendo arrastada de volta para a vida que ela pensou que tinha deixado para trás.

47Os 47 Ronins: mais um projeto de Keanu Reeves, em volta de temas orientais, que naufraga nas bilheterias, se não estou enganado este ainda gastou algo aproximado aos 100 milhões de dólares, espero que o mercado oriental seja mais generoso com Reeves, ou não! Na trama, Kai (Reeves) é um exilado que se une e Oishi (Hiroyuiki Sanada), o líder do grupo 47 Ronin. Juntos eles partem atrás de vingança contra o temível vilão que matou o mestre deles e baniu os samurais. Para restaurar a honra de sua terra natal, os guerreiros embarcam em uma busca que irá apresentar uma série de dificuldades que destruiriam guerreiros mais fracos.

terapiaTerapia do Sexo: inédito nos cinemas este drama com elenco que chama a atenção, Mark Ruffalo, Gwyneth Paltrow, Tim Robbins, Patrick Fugit, Joely Richardson e Pink (sim, a cantora), numa trama sobre vício em sexo, espero que por ser americano não seja extremamente convencional. Na trama, Adam (Mark Ruffalo), Phoebe (Gwyneth Paltrow) e Mike (Tim Robbins) decidem fazer um tratamento em 12 passos para controlar o vício por sexo.

muitacalmaMuita Calma Nessa Hora 2: não sou fã do primeiro e nem sei se o sucesso deste justificaria uma continuação, mas como o cinema brasileiro tem se dado ao desfrute de criar continuações aleatoriamente, ao interessados…Na trama, três anos depois da fatídica viagem a Búzios, quatro amigas se encontram no Rio de Janeiro. Estrella (Débora Lamm) acaba de retornar da Argentina, Aninha (Fernanda Souza) está impressionada com a consulta de uma vidente, Tita (Andréia Horta) passou uma temporada na Europa trabalhando como fotógrafa, e Mari (Gianne Albertoni) quer produzir um festival de música. É desse reencontro que a aventura começa.

 

Destaques da Semana em DVD/BluRay (05 à 16/05)

17/05/2014

12anos12 Anos de Escravidão: vencedor do último Oscar, não o grande vencedor pelo número de prêmios, mas como ganhador de Melhor Filme entre outros prêmios. Se é foi o melhor filme de 2013, obviamente, não acho, porém o filme tem uma importância como retrato de uma questão social que os Eua tão conhecido por serem revisores de sua história (até mesmo as mais recentes), não havia realizado um filme tão relevante como esse. Na trama, em meados dos anos 1800, um homem que vive em Nova York é raptado e vendido como escravo no sul do país. Solomon Northup (Chiwetel Ejiofor) vive 12 anos como escravo, nos quais aprende e vive intensamente os desafios e traumas da escravidão.

insideInside Llewyn – Balada de Um Homem Comum: filme mais recente dos irmãos Coen, passou um pouco desapercebido pelas premiações e pelos fãs dos cineastas, talvez um filme menor da dupla, mesmo assim é um filme que não pode deixar de ser assistido. Na trama, Oscar Isaac interpreta um músico em ascensão na trama baseada levemente na vida do nova-iorquino Dave van Ronk (1936 – 2002), rebatizado Llewyn Davis, que foi parte fundamental da cena Folk de Greenwich Village nos anos 60 (de onde saíram Phil Ochs, Bob Dylan e Joni Mitchell).

philomenaPhilomena: o integrante inglês nas premiações desse início do ano, uma pena que mesmo contando com uma presença sempre forte de Judi Dench, o roteiro do comediante/co-roteirista Steve Coogan não consegue equilibrar seu drama familiar, com drama de denúncia (as jovens gestantes vivendo com as irmãs católicas) e o humor injetado da difícil dinâmica entre os personagens, uma pena! Nem mesmo a direção de Stephen Frears está em seu melhor momento! Na trama, um jornalista político cansado de seu trabalho assume a tarefa de contar a história da busca de uma mulher por seu filho. A criança foi tirada dos seus braços décadas atrás, depois que ela ficou grávida e forçada a viver em um convento.

waltWalt nos Bastidores de Mary Poppins: fiquei decepcionado com a abordagem do filme, tanto no que se refere aos personagens quanto aos bastidores da filmagem de Mary Poppins propriamente ditos, tudo me parece funcionar meio que pela metade, Emma Thompson e Tom Hanks não comprometem, mas ficam presos em seus personagens pouco trabalhados, os bastidores das filmagens me parecem exagerados demais, mesmo para uma produção cinematográfica dita tumultuada! Na trama, Walt Disney (Tom Hanks) passou 14 anos tentando convencer a autora australiana P.L. Travers (Emma Thompson) a ceder os direitos de sua obra Mary Poppins para o cinema. Após finalmente o filme ser lançado, a escritora não aprovou o resultado. 

gaioladouradaA Gaiola Dourada: filme francês com uma pegada mais leve, recentemente saiu de cartaz do circuito cinematográfico, tem no elenco o famoso ator português Joaquim de Almeida. Na trama, um casal português vive há 30 anos em um edifício em Paris. Ela, porteira, e ele, zelador do prédio. Ao conseguirem condições de realizar o sonho de retornar a Portugal, eles precisam lidar com o papel indispensável que assumiram no cotidiano de seus vizinhos.

ameninaqueA Menina que Roubava Livros: mesmo não sendo nenhum sucesso de repercussão mundial, até porque a produção do filme é européia, não americana propriamente dita (com toda sua máquina de marketing por trás), o filme, adaptado de um livro “best seller”, fez carreira respeitável por aqui, no elenco, temos nomes como Geoffrey Rush e Emily Watson reconhecidos do grande público. Na trama, a pequena Liesel Meminger (Sophie Nélisse) é uma ladra de livros que enfrenta duras provas durante a Segunda Guerra Mundial. A mãe comunista é perseguida pelo nazismo. Por isso, ela envia Liesel e o irmão para o subúrbio pobre de uma cidade alemã, onde um casal (Geoffrey Rush e Emily Watson) se dispõe a adotá-los por dinheiro.

confissoesA Confissões de Adolescente: retorno do veterano diretor Daniel Filho ao universo adolescente, já conhecido dele na época da série televisiva, inclusive seu trabalho era muito mais relevante fora da Globo Filmes. Inspirado nos diários de Maria Mariana, que também originaram espetáculo teatral, livro de sucesso e série televisiva, o filme acompanha os ritos de passagens vividos pelas irmãs Tina (Sophia Abrahão), (Bella Camero), Alice (Malu Rodrigues) e Karina (Clara Tiezzi). Com o aviso do pai (Cássio Gabus Mendes) de que vão ter que se mudar do apartamento onde vivem, na Barra da Tijuca (Zona Oeste do Rio), por causa do aumento excessivo do aluguel, as meninas prometem economizar mais dinheiro e ajudar nas tarefas domésticas para tentar reverter a decisão. Enquanto lidam com isso, cada uma vive um rito de passagem típico da idade: o primeiro beijo, a primeira relação sexual, o primeiro emprego, o primeiro rompimento… 


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 25 outros seguidores