Archive for julho \28\UTC 2009

Novidades do Verão Americano – Retornos

28/07/2009

Ao longo das semanas venho comentando sobre algumas estréias desta temporada de verão na televisão americana, em sua maioria são séries da tevê a cabo, hoje comento o retorno de três séries super comentadas e de qualidade indiscutíveis, na próxima semana termino esta série com as três últimas estréias que ando acompanhando.

closerTHE CLOSER – 5ª temporada

Com certeza uma das três melhores séries policiais do momento (e também uma das minhas favoritas), sem sombra de dúvida, The Closer tem conseguido se destacar pelo alto nível de seus roteiros e storylines, a série conseguiu deixar pra trás a trama de adaptação da Chefe Brenda que chega à Los Angeles precisando enfrentar e liderar sua equipe de Delitos Graves sob olhares de desconfiança e boicote de seus subordinados, para se transformar num dos dramas policiais que melhor sabe explorar seus casos a cada semana.

Nesta temporada, a série já apresentou episódios muito bons, no entanto, a grande aquisição da série estão sendo as participações de Mary McDonnell (a presidente Roslin de Battlestar Galactica), como a capitã Raydor, representando o FID, um tipo de corregedoria policial, que surge como uma oponente à altura para Brenda, pois ambas, lutam pelos seus estilos de investigação, claro que Brenda, como bem sabemos utiliza de meios não muito apropiados, para não utilizar outro termo, principalmente, em suas entrevistas de depoimentos. Um confronto de personalidades e um banho de interpretação das atrizes, carimbando ambas para às futuras indiações da temporada 2009/10.

Além disso, nesta altura da temporada, infelizmente sem previsão por aqui, afinal o canal Space recém iniciou a exibição da quarta temporada, já tivemos, possivelmente, o episódios mais hilária da série , Tapped Out (junto talvez, ao Dial M for Provenza), envolvendo um detetive fajuto/doido envolvido numa investigação bastante confusa, episódio engraçadíssimo.

tbTRUE BLOOD – 2ª temporada

Nada como um dia após o outro, ou melhor, episódio após episódio, há um ano atrás eu fui um dos que acharam o episódio piloto de True Blood muito bizarro e estranho, passada uma temporada completa (bastante feliz e competente), e iniciando uma nova temporada, posso afirmar que a série já encontrou seu espaço na televisão, criando uma mitologia bastante intrigante e com uma riqueza de personagens ímpar, misturando humanos, vampiros e outras criaturas que só poderiam ganhar uma dimensão real, sem cair no farsesco,  por méritos de Allan Ball e sua equipe de roteiristas.

Ao contrário da temporada anterior, a trama de True Blood nesta temporada cresceu (e muito), a série inicialmente, correu o risco de criar muitas storylines para seus personagens principais e coadjuvantes, perdendo o foco numa trama mais concisa, no entanto, os episódios têm se mostrado bastante criativos na criação destes arcos, que a cada final de episódio ganham novos sentidos, rostos e respostas para mistérios sendo revelados, sem muita enrolação.

Quanto ao elenco, Anna Paquin continua uma gracinha como Sookie conseguindo evitar que seu romance com Bill se transforme numa mera “novelinha”  clima que foge à proposta da série, outro destaque continua sendo seu irmão na série, Jason Stackhouse, Ryan Kwanten, tem se mostrado um ator que não perde oportunidade com as storylines de seu personagem, tem dado show junto na Irmandade do Sol, que promete ser o grande evento da temporada.

entourageENTOURAGE – 6ª temporada

Mesmo não sendo uma sitcom clássica, a série é O grande achado para os cinéfilos de carterinha, é impossível não identificar os bastidores de Hollywood e da mídia de entretenimento, sendo criticados, satirizados e relatados de forma crua, porém, sem perder o foco no humor e na amizade do grupo de amigos de Vicent Chase.

Na temporada passada Vincent sentiu o gosto do fracasso e do possível esquecimento, no entanto, com o chamado de Martin Scorsese e o possível sucesso do filme Gatsby, Vicent vê sua maré de sorte mudar a seu favor, a série voltou neste momento, ainda foram exibidos poucos episódios portanto não consigo visualizar qual serria o arco da temporada, uma possível indicação de Vincent para o Oscar, será?

No entanto, quanto aos personagens, a série já demonstra que ocorrerá um amadurecimento de todos, a partir do momento que Vicent aprende a dirigir e tira sua carteira, isto ocorre somente em função de um papel que o ator pretende conseguir, observo que todos os persongens terão momentos solitários na temporada, E se mudando para uma mansão sozinho em busca de um amor do passado, Turtle vendo sua namorada assumir para a mídia seu namora e Drama, bom sendo apenas o Drama, o que já garante a graça da série. Claro que o destaque cômico continua sendo Jeremy Piven e seu irretocável Ari Gold, agora, às voltas com Lloyd, seu secretário em crise de identidade profissional,  e seu parceiro de empresa Andrew Klein, o personagem continua com as melhores tiradas e o tom politicamente incorreto característico da série, além do desfile de convidados especiais.

Anúncios

Destaques da Semana em DVD (20 à 24/07)

23/07/2009

garotaA Garota Ideal: Talvez um dos filmes mais sensíveis e surpreendentes deste ano de títulos razoáveis, uma pena ter demorado tanto para chegar por aqui, afinal, concorreu ao Oscar de melhor roteiro original em 2008. E é mesmo este roteiro o grande destaque do filme, um filme sobre o amor de um rapaz por uma boneca inflável se transforma numa dramédia sobre a aceitação da comunidade pelo diferente, tudo com muito sensibilidade e um elenco formidável, destaques óbivos para Ryan Gosling  (um dos melhores atores em cena atualmente) e Emily Mortimer. Na trama, Lars Lindstorm é um rapaz tímido e introvertido que vive na garagem vizinha a seu irmão mais velho Gus e de sua cunhada Karen. Lars vê sua vida passar passivamente, até que recebe a visita de Bianca: uma linda missionária religiosa, meio dinamarquesa, meio brasileira. O problema é que Bianca não é uma garota real, mas uma substituta inanimada, uma réplica de uma mulher comprada pela Internet. Todos sabem para que serve uma boneca com Bianca, mas para Lars, que realmente acredita que Bianca é um ser humano, ela torna-se um apoio emocional. Seguindo os conselhos de uma psicóloga, sua família concorda a entrar no jogo de Lars, enquanto ele lida com seus problemas pessoais.

ovisitanteO Visitante: Drama que somente ganhou as salar por aqui, claro que em circuito restrito, pela indicação de melhor ator no Oscar deste ano para Richard Jenkins (eterno coadjuvante, de filmes recentes como Queime Depois de Ler e O Reino, que ganhou uma oportunidade de ouro neste filme). Na trama, Walter, solitário professor universitário, tem 62 anos e já não encontra prazer na vida. Ao viajar a Nova York para uma conferência, encontra o casal Tarek e Zainab, imigrantes sem documentos, morando em seu apartamento. Eles não têm para onde ir, e Walter acaba deixando que fiquem. Para retribuir, o talentoso Tarek ensina Walter a tocar o tambor africano e os dois ficam amigos. Quando a polícia prende o jovem e decide deportá-lo, Walter faz de tudo para ajudá-lo, com uma garra que há muito não sentia. Surge então a mãe de Tarek em busca do filho e um improvável romance tem início.

atoUm Ato de Liberdade: Drama de guerra que era considerado um forte concorrente para a temporada do Oscar 2009, no entanto, o filme não pegou, como não assisti, não sei ao certo os méritos ou não do filme. Porém a produção é dirigida pelo competente Edwark Zwick (Diamante de Sangue e O Último Samurai) e no elenco, nomes como Daniel Craig, Liev Schraiber e Jamie Bell. Na trama, o ano é 1941 e os judeus do leste europeu estão sendo massacrados aos milhares. Para escapar da morte certa, três irmãos se refugiam numa floresta que conhecem bem desde a infância. Ali começa sua desesperada luta contra os nazistas.

evocandoEvocando Espíritos: Mais um suspense sobrenatural na onda dos “baseados em fatos reais”, em alguns momentos o filme até consegue ficar acima da média, no entanto, o roteiro e a direção não abrem mão dos sustos mais clichês de década o que prejudica o filme como um todo, indicado somente para os fãs do gênero. Na trama, quando um dos filhos do casal Campbell é diagnosticado com câncer toda a família tem que mudar para uma casa mais perto da clinica onde Matt fará seu tratamento. Á medida que o tempo passa o comportamento do rapaz muda radicalmente e todos passam a presenciar várias atividades paranormais na casa. Pesquisando o passado dos moradores da casa eles descobrem que a casa foi um centro de pesquisas que procurava muito mais que contatos com espíritos. Agora sob constante opressão eles terão que responder a pergunta: – por que eles ainda estão entre nós?

katynKatyn: Outro filme que chega com atraso maior de um ano, afinal a película polonesa concorreu ao Oscar de filme estrangeiro em 2008, acabou não levando o prêmio, que foi vencido por Os Falsários. Na trama, em 1939, após a invasão da Polônia pelos nazistas, tropas russas ocupam o leste do país. Milhares de oficiais poloneses são mantidos sob custódia e enviados a campos de concentração. Entre eles está Andrzej, que se recusa a fugir com sua esposa Anna, para honrar seu compromisso com o exército. Assim como inúmeras outras mulheres, Anna aguarda ansiosamente o retorno do marido e recebe com total descrença as evidências de que ele tenha sido assassinado. Até que, em 1943, são descobertas grandes covas coletivas na floresta de Katyn.

sextaSexta-Feira 13: É depois de refilmagens como esta que entendo o desinteresse de uma grande parcela do público por refilmagens, mesmo de filmes menores como Sexta-Feira 13 que, na verdade, mesmo sendo um clássico dos anos 80, não é nenhuma pérola original do gênero. Aqui, na se aproveita, dita releitura para o público jovem não se sobressai em momento algum ao original, espero que não sirva de desculpa para uma ressurreição do assassino de Crystal Lake. Na trama, se você não esteve no planeta Terra nos últimos 20 anos, um grupo de pessoas quer reabrir um acampamento para crianças com deficiências. Mas eles vão encontrar pelo caminho um assassino que vai matando-os um a um. Misto de refilmagem e continuação do primeiro filme da série Sexta-feira 13.

acela2A Cela 2: Obviamente listei o filme aqui somente por curiosidade mórbida é óbvio que este é mais uma continuação realizada diretamente para o mercado de dvd que nada tem haver com o original A Cela, que tinha Jennifer Lopes e Vincent D’Onofrio, num filme banal mas, com um visual super interessante. No entanto, o que me surpreende é que o filme original nem rendeu tanto assim para quererem usar seu título para arrecadarem mais dinheiro por associação, vai entender! Sinopse: Imagine um serial killer que provoca paradas cardíacas em suas vítimas e depois as traz de volta à vida novamente, consecutivas vezes, até que elas implorem para morrer. A bela investigadora psíquica Maya Casteneda foi sua última vítima e jurou vingança antes de escapar. Agora, ele está de volta e o FBI a chama para ajudá-los a capturar o monstro. Logo ela descobre que a única maneira de localizar o criminoso é entrar em sua mente. O perigo: se Maya morrer na mente do assassino, ela morre na vida real!


Alguns comentários sobre o Emmy 2009

21/07/2009

A temporada 2008/09 foi um verdadeiro caos para a tevê americana, séries conceituadas viram seus números (de audiência) caírem, séries com propostas diferenciadas não conseguiram atingir um grande público e foram canceladas (sim, estou falando de Pushing Daisies) e as diversas séries estreantes foram canceladas rapidamente, sem nenhuma grande unanimidade, pelo menos se falando da tevê aberta americana, quando falamos da tevê à cabo, a conversa é outra. A premiação do Emmy é conhecida por ser muito tradicional por isto não vemos muita chance para séries novas, parece que elas precisam primeiro sobreviver ao mercado televisivo para, somente depois, ganhar notoriedade com o prêmio, assim a melhor série estreante do ano ficou de fora, True Blood, e diversos outras injustiças, ao meu ver, foram cometidos, isto que para o prêmio deste ano abriram mais uma vaga nas principais indicações, o que no final não surtiu efeito algum.

Como tendência dos últimos anos,  as séries da tevê fechada (Mad Men, Dexter, Weeds, Damages e Entourage, só pra citar algumas) continuam dominando a maioria das indicações ao Emmy, e neste ano a supremacia parece ser ainda mais vísivel, talvez com exceção de 30 Rock, xódo das comédias americanas da crítica, nenhuma outra série da tevê aberta conseguiu muito destaque. Então vamos às principais categorias, com algumas indicações minhas de injustiças, quem leva o prêmio e minha torcida particular:

MELHOR SÉRIE – DRAMA

BIG LOVE
BREAKING BAD
DAMAGES
DEXTER
HOUSE
LOST
MAD MEN

* acho difícil alguma outra série levar o prêmio de Mad Men, série muito conceituada pelos críticos, confesso não passei do segundo episódio da primeiria temporada, logo, não é pra mim. Se acontecer o apocalipse e Mad Men não levar o prêmio principal, fico na dúvida de entre Lost e Damages, a primeira mesmo não sendo uma unanimidade na temporada continua sendo a série mais comentada e estudada de todos os tempos e, convenhamos, abraçar uma temporada de viagens no tempo sem cair no erro de continuidade temporal como em Heroes, é um grande mérito da série, já Damages sofreu de um problema bastante comum à séries inteligentes, muitas subtramas e perda do foco central na narrativa, acabou-se por diluir as principais questões e mistérios desta segunda temporada (como comparativo, a primeira temporada se mostrou melhor). Já House e Dexter, que adoro ambos, sofreram do Mal da temporada: a irregularidade, principalmente House; enquanto isto, Big Love e Breaking Bad estão meio que fazendo figuração na categoria.

Injustiças: Battlestar Galactica e True Blood

MELHOR SÉRIE – COMÉDIA

ENTOURAGE
FAMILY GUY
FLIGHT OF THE CONCHORDS
HOW I MET YOUR MOTHER
THE OFFICE
30 ROCK
WEEDS

* os famosos sitcoms já não são os mesmos há alguns anos, apesar do favoritismo inigualável de 30 Rock, a única série que pode fazer frente à esta série é The Office, e eu que não assisto nenhuma delas somente leio comentários pela blogsfera, lembro que The Office não teve a temporada perfeita, logo, difícil acreditar que 30 Rock com recordes de indicações perca o prêmio principal, lembrando que na categoria de roteiro dos cinco indicados, quatro são textos de 30 Rock (o mesmo acontece na categoria para drama, onde Mad Men tem 4 indicações de melhor roteiro dentre as cinco). Entourage teve uma temporada muito boa, How I Met Your Mother que é uma das minhas séries prediletas teve uma temporada bastante irregular, com poucos episódios destacáveis, mas vale pela lembrança, a série nunca tinha sido indicada anteriormente, e as demais não acompanho. Injustiça: The Big Bang Theory

MELHOR ATOR – DRAMA

Brian Cranston (por Breaking Bad)
Michael C Hall (por Dexter)
Hugh Laurie (por House)
Gabriel Byrne (por In Treatment) – minha torcida
John Hamm (por Mad Men) – leva o prêmio
Simon Baker (por The Mentalist) – o que diabos está fazendo aqui? Somente se acham que sua presença aumenta a audiência do show!

Injustiça: Kiefer Sutherland, por 24 Horas

MELHOR ATOR – COMÉDIA
Tony Shaloub (por Monk)
Jemaine Clement (por Flight of the Conchords)
Steve Carrell (por The Office)
Alec Baldwin (por 30 Rock) – leva o prêmio
Charlie Sheen (por Two and a Half Men)
Jim Parsons (por The Big Bang Theory) – minha torcida

Injustiça: David Duchovny, por Californication

MELHOR ATRIZ – DRAMA

Kyra Sedgwick (por The Closer)
Glenn Close (por Damages) – leva o prêmio e tem minha torcida, apesar de gostar muito do trabalho de Kyra e Hunter
Mariska Hargitay (por Law&Order: SVU)
Elisabeth Moss (por Mad Men)
Sally Field (por Brothers&Sisters)
Holly Hunter (por Saving Grace)

Injustiça: Anna Paquin, True Blood

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA

Christina Applegate (por Samantha Who)
Sarah Silverman (por Sarah Silverman Program)
Tina Fey (por 30 Rock) – leva o prêmio
Julia Louis-Dreyfus (por New Adventures of Old Christine)
Mary Louise Parker (por Weeds)
Toni Collette (por United States of Tara) – minha torcida

Injustiça: Eva Langoria, Desperate Housewives

MELHOR ATOR COADJUVANTE  – DRAMA

William Shatner (Boston Legal) – prêmio de final da série
Christian Clemenson (Boston Legal)
Aaron Paul (Breaking Bad)
William Hurt (Damages) – prêmio “adoramos atores de cinema que se arriscam em séries televisivas”
Michael Emerson (Lost) – minha torcida, mas podia ser Terry O’Quinn ou Josh Holloway!
Jon Slattery (Mad Men)

Injustiça: John Mahoney, por In Treatment

MELHOR ATOR COADJUVANTE – COMÉDIA

Kevin Dillon (Entourage) – Jeremy Piven virou hour concurs?
Neil Patrick Harris (How I Met Your Mother) – leva o prêmio e tem minha torcida
Rainn Wilson (The Office)
Tracy Morgan (30 Rock)
Jack McBryer (30 Rock)
Jon Cryer (Two and a Half Men)

Injustiça: não sinto falta de ninguém aqui

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE – DRAMA

Rose Byrne (Damages)
Sandra Oh (Grey’s Anatomy)
Chandra Wilson (Grey’s Anatomy)
Dianne Wiest (In Treatment)
Hope Davis (In Treatment)
Cherry Jones (24) – leva o prêmio e tem minha torcida, até porque suas adversárias devem dividir os votos por estarem nas mesmas séries

Injustiça: Alison Pill, In Treatment

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE – COMÉDIA

Kristin Chenoweth (Pushing Daisies) – minha torcida
Amy Poehler (Saturday Night Live)
Kristin Wiig (Saturday Night Live)
Jane Krakowski (30 Rock) – leva o prêmio se a noite for lavada de 30 Rock, acho que esta categoria não tem nenhuma grande favorita
Vanessa Williams (Ugly Betty)
Elizabeth Perkins (Weeds)

Injustiça: Kaley Couco, The Big Bang Theory

MELHOR ELENCO – DRAMA

Damages – leva o prêmio
Friday Night Lights
Mad Men
True Blood – minha torcida, até porque ficou de fora das principais categorias
The Tudors

Injustiça: Lost

MELHOR ELENCO – COMÉDIA

30 Rock – leva o prêmio e não tenho nenhuma torcida em particular nesta categoria
Californication
The Office
United States of Tara
Weeds

Injustiça: The Big Bang Theory

Destaque da Semana em DVD (13 à 17/07)

16/07/2009

frostFrost/Nixon: O feito mais incrível deste filme, indicado para inúmeros Oscars, é ser dirigido, e muito bem, pelo operário padrão hollywoodiano Ron Howard (de O Código da Vinci e sua continuação, mas que já recebeu um Oscar -sic- por Uma Mente Brilhante). Seu trabalho é discreto e consegue fazer de um filme de egos e duelo um interessante estudo de personagens reais e personalidades, claro que o elenco encabeçado pelo, mediúnico, Frank Langella (como Nixon) é essencial para o sucesso da película. Na trama, por três anos, depois de renunciar ao cargo de presidente dos Estados Unidos, Nixon permaneceu em silêncio. Mas, no verão de 1977, o rígido e perspicaz comandante-chefe deposto aceitou participar de uma entrevista intensa para confrontar as perguntas sobre seu tempo na Casa Branca e o escândalo do Watergate que o levou à renúncia. Nixon supreendeu a todos ao selecionar Frost como o apresentador a quem iria confessar tudo com exclusividade. Da mesma forma, a equipe de Frost duvidava da habilidade de seu chefe para se segurar. Quando a câmera foi ligada, uma batalha entre os dois começou.

granGran Torino: Pelo que eu ando observando por aí, parece ter sido um dos filmes esquecidos pela temporada de premiação deste ano, por incrível que pareça numa mesma temporada o velho Clint dirigiu dois filmes (A Troca e Gran Torino) e ainda protagonizou este, pelo jeito aposentadoria passa longe da mente do talentoso artista. Na trama, o funcionário aposentado da indústria automotiva Walt Kowalski é um veterano da Guerra da Coréia. Ele preenche seus dias fazendo consertos em casa, tomando cerveja e com visitas mensais ao barbeiro. Inflexível e com determinação inabalável, vive num mundo em transformação e se vê forçado pelos vizinhos imigrantes – que acabam de se mudar, vindos do Laos – a confrontar seus próprios preconceitos.

pressagioPresságio: Foi se o tempo que eu ainda esperava uma virada na carreira de Nicolas Cage, está última década o ator abusou de más escolhas e projetos equivocados, claro que se salvam alguns filmes como O Senhor das Armas e Adaptação, mas maior mérito dos roteiros do que da interpretação do ator, que ganhou um Oscar, no já longíquo, ano de 1995 por Despedida de Las Vegas, este sim um papel incrível. Ainda achava que o diretor Alex Proyas (do cult Cidades das Sombras e o hollywoodiano ok, Eu, Robô) podia ter dado uma chance para o ator colocar sua carreira de volta nos trilhos, ledo engano, já não bastasse os imensos furos do roteiro (que tem sim, algumas curiosidades interessantes) Cage está muito mal, isto junto à todo elenco. Na trama, um professor abre uma cápsula do tempo que foi desenterrada na escola de seu filho; dentro dela há algumas previsões assustadoras – algumas que já aconteceram e outras que ainda estão por vir. Isto leva o professor a acreditar que sua família faz parte dos eventos que foram descritos nas previsões.

consumoOs Delírios de Consumo de Becky Bloom: Veículo para o carisma da bela Isla Ficher, que fez bastante sucesso na comédia Penetras Bons de Bico e no curioso suspense, boo dica, O Vigia, além disso a atriz também esteve em Três Vezes Amor, ao lado de Ryan Reynolds e Rachel Weisz. A trama é baseada num livro homônimo que, os produtores, certamente esperam que pegue carona no sucesso de adaptações como Bridget Jones e O Diabo Veste Prada. Na trama, no glamoroso mundo da cidade de Nova York, Rebecca Bloomwood é uma garota adorável, divertida e compradora compulsiva. Ela sonha em trabalhar em sua revista de moda favorita, mas só consegue chegar à porta da revista até, ironicamente, conseguir um emprego como colunista em uma revista de finanças publicada pela mesma empresa. Conforme seus sonhos começam a ser finalmente realizados ela faz um tremendo e hilário esforço para manter seu passado longe do seu futuro.

milagreMilagre em Sta. Anna: Esta é uma das primeiras vezes que testemunho um filme de Spike Lee (do contestador Faça a Coisa Certa, ao ótimo A Última Noite e o comercial O Plano Perfeito) passar completamente em branco, não somente nos cinemas, mas também pelo nenhuma repercussão da película. Na trama, durante a Segunda Guerra Mundial quatro soldados negros dos EUA se perdem na região da Toscana na Itália. Até que um deles arrisca a própria vida para resgatar um garoto italiano, cheio de medos e traumas de guerra. A história é inspirada no Massacre de St. Anna di Stazzema, que aconteceu em Agosto de 1944, provocado pelos Waffen-SS em retaliação as atividades que apoiavam os antifascistas na Itália.

deliriosDelírios: Dica de um filme que ficou inédito nos cinemas sendo que seu lançamento em solo americano foi em 2006, projeto do cinema independente americano com presença de bons atores como Steve Buscemi, Michael Pitt e Alison Lohman, na direção Tom DiCillo. Na trama, Les Galantine é um paparazzi sem muito sucesso. Quando encontra Toby Grace, um jovem sem-teto, o contrata como seu assistente. Les não paga nada, mas oferece quarto e comida, e os dois viram amigos. Toby, no entanto, sonha ser ator. Com a ajuda da sorte ele conhece acidentalmente K’Harma Leeds, a cantora pop do momento, e começa um relacionamento. O jovem, então, se vê dividido entre suas obrigações com Les e a chance de seguir seus sonhos. O conflito aumenta quando ele abandona seu patrão para entrar em um reality show.


Novidades do Verão Americano – 2ª parte

13/07/2009

Continuando a comentar algumas séries que estreiaram nestas últimas semanas, depois das enfermeiras, chegou a vez de ver outros médicos que andam invadindo as telinhas:

mentalMental: a série é um dos casos raros de ser exibida simultâneamente aqui (pelo canal Fox, às quartas) e nos Eua, por lá, não anda fazendo muito sucesso, até porque a audiência dos canais abertos nesta época é muito baixa, e a concorrência com as ótimas séries da tevê fechada é grande, porém o pouco barulho da série se justifica, é um arremedo de drama médico, misto de House com The Mentalist, onde o elenco e os diálogos ficam devendo mesmo quando os casos clínicos são muito interessantes.

É o legítimo caso da série do quase, você fica achando que a série em algum momento engrena mais dái vem as situações fracas e resoluções idem. Por exemplo, o último episódio que vi, versava sobre uma advogada de defesa que queria prender um cliente psiquiátrico do dr. Jack Gallagher (Chris Vance, visto em Prison Break, único que se salva mesmo com o texto ruim), um caso interessante e trabalhado de forma até ok, no entanto, no resto do episódio tínhamos um viciado em jogo que Jack ajuda a ter suas dívidas perdoadas, sofrível! Outro questão interessante de observar é como nenhum personagem coadjuvante funciona na série, os médicos que deviam auxiliar Jack somem por diversos episódios sem maiores explicações, seus detretores como a dra. Veronica, ora ajudam ora atrapalham e sua subtrama chega a constranger. Se a série focasse somente nos casos psiquiátricos do Hospital acredito que melhoraria consideravelmente, do jeito que está é uma loteria achar um episódio regular.

Obs.: nem comentei no texto que a série é uma co-produção da Fox com paises latinos pois isto não é desculpa para a má qualidade dos roteiros da série.

royal_painsRoyal Pains: um dos melhores aspectos da série é não se levar a sério, no episódio piloto em menos de 15 minutos já temos o protagonista sendo apresentado ao que realmente interessa a série, os milionários clientes que o médico, dr. Hank Lawson (o descolado Mark Feuerstein) , vai atender como médico particular depois de ter sido demitido de um grande hospital por ter “deixado de lado” um grande contribuidor do hospital para atender um zé-ninguém. A série quer retratar o estilo de vida dos grandes milionários e políticos que residem em  Hampton, onde Hank caiu de pará-quedas (apadrinhado pelo estranho personagem de Campbell Scott, Boris).

Como um drama médico a série fica devendo pois, obviamente, há algumas “licenças poéticas” que o roteiro pratica a série funcionar, porém, o bom humor contagia os personagens e o texto, principalmente, no duelo entre Evan e Divya, irmão e assistente de Hank, respectivamente. Royal Pains acerta em entreter sem ter maiores ambições narrativas, é tudo um pouco óbvio, mas bem retratado na telinha, só espero que a série não tente fazer do médico um House para os ricos ao começar diagnosticar doenças “raras” nos ricaços de Hampton.

Destaques da Semana em DVD (06 à 10/07)

10/07/2009

Se preparem que nesta semana há uma avalanche de títulos, sinal de férias, menos mal que a maioria dos títulos servem mais aos cinéfilos do que às crianças, que já tomam conta do circuito cinematográfico.

cheChe: primeira parte da saga do revolucionário contada pelo diretor Steven Soderbergh em dois filmes, o segundo Che – A Guerrilha permanece inédito nos cinemas, o filme é uma produção multinacional e conta com grande elenco capitaneado por Benicio Del Toro. Na trama, em 26 de Novembro de 1956, Fidel Castro vai de barco para Cuba com oito rebeldes. Um destes rebeldes é Ernesto “Che” Guevara, médico argentino que divide um objetivo com Fidel – derrubar a ditadura corrupta de Fulgencio Batista. Che se mostra um lutador indispensável e rapidamente compreende e controla a arte da guerrilha armada. Sua dedicação à luta faz com que seja acolhido por seus companheiros e pelo povo cubano. O filme acompanha a ascensão de Che na Revolução Cubana, de médico a comandante e a herói revolucionário.

entreEntre os Muros da Escola: filme francês extremamente elogiado pelos críticos, principalmente, pela proposta de retratar uma escola pública e sua estrutura viciada como instituição, e olha que estamos falando da França, imagina aqui no Brasil, onde impera o caos. Na trama, François e seus colegas professores preparam o novo ano letivo em uma difícil escola da periferia parisiense. Munidos das melhores intenções, eles se apoiam mutuamente para manter vivo o estímulo de dar a melhor educação a seus alunos. A sala de aula, um microcosmo da França contemporânea, testemunha os choques entre as diferentes culturas. E por mais inspiradores e divertidos que sejam os adolescentes, seu difícil comportamento pode acabar com qualquer entusiasmo de professores mal pagos.

casamentoO Casamento de Rachel: filme que finalmente vai reconhecer o talento dramático da bela Anne Hathaway, deixando pra trás filmes como Diário da Princesa, a atriz somente precisa cuidar com suas futuras escolhas como, por exemplo, evitar filminhos como Noivas em Guerra, que acabam botando seu prestígio em risco. Sinopse: A festa de casamento de Rachel tem tudo para ser perfeita. Amigos e familiares reunidos numa bela cidade de Connecticut, num fim de semana repleto de comida, música e carinho. Mas quando Kim, a irmã mais nova de Rachel, chega após um longo período numa clínica de reabilitação, todos se preocupam. Com seu histórico de crises e conflitos familiares, Kim tem o dom de provocar grandes dramas em qualquer situação. Na festa, sua postura sarcástica faz reviver antigas feridas e transforma o casamento dos sonhos num campo de batalha.

simplesmenteSimplesmente Feliz: outro filme que ganhou notoriedade graças à época da temporada de premiações, sua atriz, Sally Hawkins foi bastante lembrada em diversas prêmios. O filme é inglês e dirigido pelo talentoso Mike Leigh (de Segredos & Mentiras), que parece ter deixado um pouco de lado sua veia melodramática para contar a história de Poppy, professora primária de Londres, tem como princípio ver o lado bom de tudo. Os problemas da vida não tiram seu sorriso e bom humor. Quando tem sua bicicleta roubada, ao invés de ficar chateada, ela decide fazer aulas de direção. Scott, seu instrutor, fica dividido entre o encanto e a irritação com o jeito esfuziante da moça. Já o assistente social Tim se apaixona por ela assim que eles se conhecem. Aos poucos, porém, Scott também começa a sentir algo por sua aluna. Nasce assim um improvável triângulo amoroso.

rioRio Congelado: outro (2) filme fora do mainstrean hollywoodiano que somente ganhou notoriedade devido às inúmeras indicações de sua atriz principal, Melissa Leo (atriz veterana, eterna coadjuvante). Na trama, Ray Eddy acaba de ser abandonada pelo marido, que parte após gastar todas as economias da família em apostas. O salário dela é insuficiente para manter seus dois filhos, que mal têm o que comer. Ao sair desesperada em busca do marido, Ray conhece Lila Littlewolf, uma descendente de índios Mohawk que também luta para sobreviver. Embora não confiem muito uma na outra, as duas mulheres se unem numa atividade perigosa em nome da necessidade: transportar imigrantes ilegais do Canadá para os EUA através do congelado Rio St. Lawrence.

poramorPor Amor: romance dramático que passou voando pelos cinemas brasileiros mas, quem tem como atrativo o casal de protagonista, apesar de eu não engolir o “talento” de Ashton Kutcher, no entanto, sua partner é a belissíma Michelle Pfeiffer. Na trama, Walter e Linda têm tragédias familiares em comum. Por isso, eles acabam se apegando um no outro emocionalmente a fim de superar seus traumas e, quem sabe, terem um destino juntos ao começarem um romance. O filho de Linda, incapaz de lidar com a morte do pai, também acaba encontrando em Walter uma forma de conviver com sua dor. Mas como lidar com o espaço entre a perda e o amor? Como curar uma ferida que não se vê?

territorioTerritório Restrito: a safra de filmes não anda muito boa mesmo, nem mesmo filmes protagonizados por grandes astros não levam mais espectadores ao cinemas, aqui, no caso, Harrison Ford é o principal nome deste drama que versa sobre imigração e tem nomes interessantes no elenco como, a brasileira Alice Braga, Ashley Judd e Ray Liotta, mas que foi muito mal de bilheteria e de repercussão. Na trama, morando em Los Angeles, Cole é um agente do governo responsável pela análise dos pedidos de imigração de milhares de pessoas das mais diversas partes do mundo. Sua esposa Denise é uma dedicada assistente social local. Max um agente federal imigratório exemplar que em uma de suas batidas policiais acaba por deportar Mireya, uma jovem mãe solteira trabalhando ilegalmente. Em uma cidade repleta de latino-americanos, orientais, judeus, árabes e australianos, a única coisa maior que os divide é o sonho que compartilham de obter o visto de residência americano.

spiritThe Spirit – O Filme: filme que gerou bastante expectativa por ser uma adaptação de quadrinhos dirigida pelo mestre dos mesmos, Frank Miller, que vinha da experiência de direção em Sin City e de roteiros como 300, no entanto, não houve uma resposta positiva nem de crítica nem de público. Pelo menos, temos as gostosas Eva Mendes e Scarlett Johansson no elenco, desculpa para o público masculino. Na trama, a história de Denny Colt, um policial assassinado que misteriosamente volta a vida como o mascarado combatente do crime chamado Spirit. Determinado a manter sua amada Central City segura, Spirit persegue os vilões da cidade através das sombras e tem como objetivo eliminar o pior de todos os vilões: o psicótico megalomaníaco chamado Octopus. Spirit tem que lidar ao mesmo tempo com um bando de beldades que querem seduzi-lo, amá-lo ou matá-lo.

contoUm Conto de Natal: para o público cinéfilo que não mora em capitais (eu!) chega a oportunidade de ver o mais novo filme do diretor francês Arnauld Desplechin (de Reis e Rainhas), drama que arrebatou inúmeros prêmios, inclusive no Festival de Cannes 2008. Na trama, Há muitos anos, Abel e Junon perderam o pequeno Joseph. A tragédia marcou a vida de seus outros dois filhos, Elizabeth e Henry. Hoje, Elizabeth é uma dramaturga reclusa, Henry é desregrado e alcoólatra, e eles não se falam. Quando Junon descobre que precisa de um transplante de medula, toda a família faz testes e os únicos doadores compatíveis revelam-se Henry e o filho de Elizabeth. No dia de Natal, todos se reúnem e decisões difíceis devem ser tomadas. Mas antes a família precisa resolver questões mais antigas.

coracaoCoração de Tinta – O Livro Mágico: época de férias vocês sabem, filmes para a gurizadinha, este chegou a passar nos cinemas sem grande repercussão, deve encontrar sua espaço no dvd, no elenco excelentes nomes para uma produção do gênero (Brendan Fraser, Paul Bettany, Helen Mirren, Jim Broadbent e Jennifer Connelly). Na trama, Meggie trocaria facilmente sua vidinha chata pelas aventuras que costuma ler nos livros. Pois parece que seus pedidos foram atendidos. Seu pai Mo, com quem mora sozinha depois do desaparecimento de sua mãe, esconde um estranho segredo – ele é capaz de trazer os personagens dos livros à vida quando lê seus trechos em voz alta. Esta habilidade pode ter relação com o sumiço da mãe de Meggie mas, antes que a menina descubra mais, o vilão Capricórnio surge das páginas de “Coração de Tinta” em busca dos poderes de Mo para realizar seus planos.

segredoO Segredo do Vale da Lua: outro filme fantasia que pega carona na safra mas, que ficou inédito nos cinemas. A produção é européia e conta com alguns nomes conhecidos do público como, Ioan Gruffudd (Quarteto Fantástico), Natascha McElhone (Ronin e série Californication) e Tim Curry. Na trama, Bela Bomtempo, uma garota de 13 anos, órfã, tem que abandonar sua luxuosa casa e todas as mordomias com que esta acostumada e se mudar para a sombria mansão de seu tio Benjamin no misterioso Vale da Lua. E é na floresta que cerca a propriedade de seu tio, que a garota descobre a verdade sobre uma maldição que divide duas famílias há séculos e que poderá destruir o todo vale.

ruasRuas de Sangue: permaneceu inédito nos cinemas este policial com elenco de atores sumidos como Val Kilmer, Sharon Stone, Michael Bienh e o rapper 50 Cent. Na trama, dirigida pelo sumido Charles Winkler, cinco policiais e um psicólogo da polícia iniciam a investigação do assassinato de um colega, que ocorreu durante a passagem do furacão Katrina. Assim, eles descobrem um esquema de corrupção e são obrigados a enfrentar as conseqüências do furacão.

segurancaSegurança de Shopping: comédia inédita nos nossos cinemas mas, que fez bastante sucesso em solo americano por servir de veículo para o comediante Kevin James, bastante conhecido pelo sitcom The King of Queens (aqui seu papel de maior destaque foi em Eu os Declaro Marido e Larry). Na trama, Paul Blart acalanta o enorme sonho de tornar-se um patrulheiro estadual, mas por enquanto ele patrulha o shopping local na função de segurança. Sua grande chance será quando uma gangue invade o shopping, fazendo vários reféns.

Novidades do Verão Americano

07/07/2009

Chega julho é a hora de diminuir o ritmo do vício, no caso, as séries, porém, há sempre aquelas que ficaram para trás no decorrer do ano mas, é nesta época no verão americano que os canais da televisão à cabo americana lançam suas séries estreantes (como as abaixo) e novas temporadas (The Closer e True Blood, por exemplo). Começo pelas séries estreantes que coincidentemente (?) relatam o mesmo universo: enfermagem.

nursejackieNURSE JACKIE: com certeza dentre as novidades desta temporada, Nurse Jackie tem tudo para ser o grande destaque. Primeiro, pelo retorno de Eddie Falco, mais conhecida como Carmela Soprano na fabulosa The Sopranos, a atriz parece ter tecebido junto ao roteiro uma indicação prévia para as premiações, pois sua personagem é incrível e muito bem defendida pela atriz. Sempre no limite da ética, Jackie é uma enfermeira respeitada pela equipe (xinga um médico novato, é melhor amiga de uma médica e enfrenta a chefe do setor), que tem uma família perfeita, porém (sempre tem um porém) é viciada em analgésicos e, para isto, se passa por solteira no hospital para conseguir o remédio junto à seu amante.

Mesmo parecendo “beber na fonte” de séries médicas, principalmente, House, é inegável o apelo junto ao público de Jackie, que cria sua personagem, moralmente ambígua, de maneira simpática e divertida, a série inclusive caminha por esta caminho do humor negro ou pelo sarcasmo das situações. O elenco de apoio é muito bem representado com bons personagens, destaque para a estagiária que acompanha Jackie, Zoey, ingênua e, por isto mesmo, hilariante frente à malandragem de Jackie. A série já agradou tanto os executivos do canal Showtime (o mesmo que exibe Dexter e Weeds) que a série já foi renovada para uma segunda temporada. Esperam que a série é garantia de indicações nas próximas premiações na categoria comédia.

HawthornetntHAWTHORNE: ainda não sei o que pensar sobre Hawthorne, a série é claramente um veículo para Jada Pinkett Smith, que não conseguiu muito sucesso (ou nenhum) na telona, porém, é casada com o astro Will Smith, o que sempre garante algumas portas abertas. Penso que uma série televisiva é o veículo ideal para a atriz, simpática e eficiente na medida, nada especial como suas colegas de séries dramáticas Kyra Sedgwick ou Holly Hunter, só para citar duas, mas, claro que não compromete o resultado.

O grande problema aqui é o tom da série, um drama hospitalar retratado pelo ótica de uma chefe de enfermagem, ainda mostrado de maneira muito burocrática e sem grandes atrativos. Acompanhei somente dois episódios, a abordagem que surge no episódio piloto do eterno confronto médico vs. enfermeiro é muito verdadeiro, somente quem trabalha num hospital para saber o quão absurdo é este relacionamento (principalmente, dos médicos com os demais profissionais), porém, a série somente apresentou alguns poucos casos e alguns personagens sem grandes inovações, principalmente, para uma série da tevê à cabo. A série ainda não consegue fugir de inevitáveis comparações com outros dramas hospitalares, como ER ou Chicago Hope, falta um diferencial para garantir a série uma sobrevida na tevê.

Destaques da Semana em DVD (29/06 à 03/07)

02/07/2009

panteraPantera Cor-de-Rosa 2: como se já não bastasse “a vergonha alheia” do primeiro filme, principalmente, se o compararmos com os originais, sem levar em consideração a caracterização absurda de Steve Martin e o roteiro sem graça do filme, resolveram fazer uma continuação. Na trama, se é que podemos chamá-la assim, quando lendários tesouros ao redor do mundo são roubados – incluindo o inestimável diamante Pantera Cor-de-rosa – o Inspetor-chefe Dreyfus é obrigado a convocar Clouseau para integrar um time internacional de detetives e experts encarregado de capturar o ladrão e recuperar os artefatos roubados.

almaAlma Perdida: apesar de ter sido escrito e dirigido por David S. Goyer, envolvido nos bons roteiros de Blade e Batman, o filme não foi agraciado nem de elogios pela crítica e muito menos em bilheteria pelo público. Na trama, Casey Beldon é uma jovem de 19 anos que começa a ser assombrada por um dybbuk – espírito malevolente e vagante tradicional da cultura judaica – que foi um menino perseguido no campo de concentração de Auschwitz na Segunda Guerra Mundial. Seu namorado Mark Hardigan e a melhor amiga Romy ajudam Casey da forma que podem, mas ela é obrigada a procurar a ajuda do rabino Sendak, especializado em casos espirituais, para conseguir se livrar do tormento. No elenco de ilustres desconhecidos, participações de Gary Oldman, Carla Gugino e James Remar.