Archive for outubro \29\UTC 2009

Destaques da Semana em DVD (26 à 30/10)

29/10/2009

mulherMulher Invisível: Havia esquecido de citar este lançamento nacional na semana passada, comédia de grande sucesso neste ano, em bilheterias, do diretor Claudio Torres com Selton Mello e Luana Piovani no elenco. Na trama, Pedro acreditava no casamento, mas foi abandonado pela esposa. Três meses de depressão e isolamento depois, ele ouve batidas na sua porta. É a mulher mais linda do mundo pedindo uma xícara de açúcar: Amanda, sua vizinha. Pedro se apaixona por aquela mulher carinhosa, sensível, inteligente, uma amante ardente que gosta de futebol e não é ciumenta. Seu único defeito era querer existir.

tudoazulTudo Azul: comédia inédita nos cinemas, deve chamar atenção para os fãs de Friends matarem a saudade de Lisa Kudrow, afastada atualmente da telinha, mas seu lançamento é bastante atrasado, a comédia é de 2007. Na trama, Salman (Scott Prendergast, também diretor e roteirista do filme) ajuda sua cunhada (Lisa Kudrow) a cuidar de seus terríveis filhos enquanto seu irmão está no Iraque e tenta manter a família unida. Para isso aceita um trabalho humilhante em que tem que se vestir de um boneco azul gigante.

Anúncios

Primeiras Impressões – Dexter 4ª temporada

26/10/2009

S4_Poster1

Passados quatro episódios (o quinto foi exibido na noite de domingo, 25/10, nos Eua), Dexter continua sendo uma das séries de melhor qualidade no ar. Nestas quatro temporadas, a série soube explorar tanto o lado “serial killer” quanto o lado deslocado na sociedade de Dexter, personagem que tenta se adequar as costumes sociais ao mesmo tempo que precisa “acalmar” seus instintos assassinos, nem que seja seguindo o código de Harry, seu pai adotivo.

A grande novidade da temporada é a paternidade de Dexter, que agora chefe de família com três filhos (sendo dois enteados) precisa se manter equilibrado entre sua vida social no subúrbio com direito a churrasco com vizinhos, e o frio psicopata que nele mora. Nestes primeiros episódios seu lado família surge mais focado com Dexter tendo que lhe dar com inúmeras dificuldades, banais, diga-se de passagem, que acometem um pai com criança pequena em casa, como a dificuldade de dormir, idas à noturnas farmácia e o comportamento de seus dois enteados, com direito a crise de pré-adolescência.

Quanto aos coadjuvantes, o roteiro sempre dá atenção a cada um com storylines que são desenvolvidas durante a temporada (no total 12 episódios), temos Laguerta e Batista tendo um caso às escondidas, Debra dividida entre o namorado Briggs e a chegada do agente, agora aposentado, Lundy (da 2ª temporada), e Masuka sempre com suas tiradas sem noção. Junto à chegada do agente Lundy temos o “assassino da temporada”, Trinity Killer, um psicopata que age, sem maiores detalhes ainda, há 30 anos e obsessão de Lundy como caso seu não resolvido. Como nada é perfeito já cansei das intervenções de Harry Morgan, pai adotivo de Dexter e Debra como consciência de Dexter em cena.

Ah! mas Dexter, este continua fantástico em cena, seu intérprete, Michael C. Hall, recebeu um prêmio inestimável com este personagem, algo similar a Hugh Laurie com House, é impressionante como ator e roteiro conseguem dar dimensão à inúmeros sentimentos e sensações que o personagem experimenta e, ao mesmo tempo, conseguir ainda manter aquele instinto selvagem que o ator consegue trabalhar tão bem somente com o olhar.

Obs.: Uma pena a série ser tão mal exibida aqui no Brasil, se não me engano está fora do ar atualmente, mas é exibida pelo canal FX.

Destaques da Semana em DVD (19 à 23/10)

22/10/2009

transformersTransformers: A Vingança dos Derrotados: Chega em dvd um dos grandes sucessos do verão americano, a continuação ainda mais descerebrada e sem noção de Michael Bay, impressionante como o filme consegue fazer sucesso com uma trama tão meia boca e uma edição digna de teste para esquizofrenia, não que o filme seja insuportável porém é mais do mesmo! Na tramam, dois anos se passaram desde que o Sam Witwicky e os Autobots salvaram a raça humana dos Decepticons invasores. Agora ele está se preparando para o maior desafio de sua vida: deixar sua casa e ir para a universidade. Apesar de seu extremo heroísmo, a batalha de Mission City se tornou uma lenda urbana, acreditada somente pelos teóricos da conspiração. Já na universidade, Sam faz o melhor que pode para se adaptar até que, repentinamente, ele é perturbado por visões que brilham em seu cérebro como raios. Os Decepticons logo ficam sabendo o que Sam ainda não sabe; que somente ele possui a chave para o resultado da luta entre o mal e o supremo poder do bem. Distribuidora: Paramount

veiaVeia de Lutador: Filme inédito nos cinemas, dá uma ressuscitada nos gênero de luta, tem no elenco o jovem Channing Tatum, visto recentemente em G.I. Joe, e o bom coadjuvante Terrence Howard. Na trama, jovem interiorano Shawn MacArthur chega em Nova York sem nada nas mãos. Mal consegue se virar vendendo mercadorias ilegais nas ruas. Mas sua vida passa por uma guinada quando o golpista Harvey Boarden percebe que o garoto tem um talento natural para a luta de rua. Quando Harvey oferece a Shawn a oportunidade de ganhar dinheiro de verdade, os dois acabam formando uma bombástica parceria. Como empresário de Shawn, Harvey o introduz no universo corrupto das lutas de rua, todas sem regras e muito violentas. Distribuidora: Universal

grupoO Grupo Baader Meinhof: Filme que passou rapidamente pelos cinemas, no entanto, tem uma trama bastante interessante, dica para os curiosos por tramas de bastidores da História. Na década em que sexo, drogas e rock’n roll, era a base da juventude, um movimento surgiu com alta dose de ideologia e terminou com a execução de diferentes crimes. Atentados a bomba e ações terroristas ameaçaram por anos a democracia européia. O radicalismo dos jovens criados no período pós nazismo liderados por Andreas Baader, Ulrike Meinhof e Gudrun Ensslin levaria até as últimas consequências a tentativa de romper um possível fascismo. Buscar os direitos do homem sem aplicar uma forma humana de protesto foi o maior erro destes jovens que, por uma revolução limpa, acabaram sujando muitas histórias com sangue. Distribuidora: Imagem

incendiarioIncendiário: Drama com toques de suspense que permaneceu inédito nos cinemas mesmo contando com um bom elenco, Michelle Williams e Ewan McGregor. Na trama, uma jovem mãe adúltera luta para aceitar a morte de seu marido e filho em um atentado terrorista que acabou com a vida de centenas de pessoas durante um clássico de futebol. Consumida pela sua dor e remorso, a moça passa a receber atenção e um pouco de conforto de dois homens, seu amante Jasper e o companheiro de seu marido morto, Terrence, policial encarregado pela investigação. O desdobrar das relações posicionará a jovem em um triângulo amoroso incendiário. Distribuidora: Imagem

ultimaA Última Casa: Infelizmente permaneceu inédito nos cinemas este filmão de terror, com certeza, um dos melhores do ano, que é uma refilmagem de “Aniversário Macabro”, de Wes Craven, do longíquo 1972. No elenco, bons nomes como Monica Potter e Tony Goldwin (o eterno vilão de Ghost), sob a direção de Dennis Lliadis. Na trama, depois de sequestrar e agredir brutalmente duas jovens garotas, o líder de uma gangue e fugitivo da cadeia, sem saber, acaba encontrando refúgio justamente na casa de uma de suas vítimas. Ali encontra a mãe e o pai da garota, que, ao descobrir tudo a respeito do criminoso, elaboram um ameaçador plano de vingança. Distribuidora: Universal

propostaA Proposta: Filme que conseguiu colocar o nome de Sandra Bullock de volta ao topo das comédias românticas, a atriz havia dado um tempo no gênero que lhe deu destaque. Na trama, quando a poderosíssima editora de livros Margaret se vê diante da deportação para o seu país de origem, o Canadá, a executiva de raciocínio rápido declara que na verdade está noiva de seu desprevenido e injustiçado assistente Andrew, que ela atormenta há anos. Ele concorda em participar da farsa, mas com algumas condições. O casal viaja para o Alasca para conhecer a excêntrica família dele e a “garota-da- cidade-sempre-no-controle” se vê em diferentes situações cômicas. Com o casamento improvisado sendo organizado e o oficial de imigração atrás deles, Margaret e Andrew relutantemente seguem seu plano, apesar das consequências. Distribuidora: Warner

chamadaA Chamada: Ação com toques de ficção que permaneceu inédita nos cinemas, nem sempre bom sinal, com raras exceções, tem em seu elenco inúmeros rostos conhecidos como, Martin Sheen, Ving Rhames, Edward Burns e Shane West. Na trama, Max, um jovem engenheiro de computação, recebe um pacote vindo de um remetente desconhecido. Lá dentro, ele encontra um celular de última geração, muito mais moderno do que a maior parte dos modelos disponíveis no mercado. Logo ele começa a receber estranhas e enigmáticas mensagens de texto, com ordens como: “aposte naquela carta”, “mude seu vôo”, “vá para Praga”. A princípio, tudo parece estranho e ao mesmo tempo maravilhoso, já que Max tem ganhado bastante ao seguir as dicas. Mas as mensagens deixam de ser positivas e é hora de Max descobrir o que está de fato acontecendo, antes que o FBI coloque suas mãos nele. Distribuidora: PlayArte



Uma Prova de Amor

16/10/2009

umaprova

Já comentei por aqui que devo estar numa onda meio deprê, certamente véspera de aniversário provoca isto, porque é impressionante como ando me emocionando com alguns filmes, o que nem sempre ocorria. Com Uma Prova de Amor não consegui evitar, drama familiar com criança doente é fogo para segurar, menos mal, que o filme consiga evitar aquela cara de telefilme americano, graças ao elenco, direção e roteiro.

Nick Cassavetes está se tornando um especialista em dramas familiares, desde o arrebatador romance Diário de uma Paixão ao tenso Um Ato de Coragem, o cinema de Cassavetes parece querer mostrar a família em situações extremas, de um amor impossível à questões envolvendo saúde, e mesmo correndo o risco de carregar a mão, o diretor consegue entregar filmes emocionantes.

Aqui, o grande achado do roteiro é mesclar passado (cheio de momentos ternos e alegres) e o presente (já tenso e angustiante) para retratar a história da jovem Kate e sua família, descoberta ainda na infância com uma rara leucemia, ela tem ao seu lado uma mãe batalhadora (Cameron Diaz, finalmente atuando num papel mais exigente), o pai compreensivo (o sumido Jason Patric), o irmão mais velho deixado de lado e a pequena e prematura Anna (Abigail Breslin, ainda enchendo a tela com seu carisma e atuação natural), chave para o tratamento de Kate já que Anna foi concebida para ser compatível com a irmã, atendendo às suas necessidades conforme os tratamentos.

Tudo muda quando Anna procura o advogado Campbell (Alec Baldwin, num personagem que possui uma particularidade trabalhada durante o filme), para conseguir independência sobre as decisões médicas com seu corpo. Assim, se estabelece o caos dentro da família.

O que mais me surpreendeu no filme, é o cuidado do roteiro com os personagens, todos, inclusive os coadjuvantes como Alec Baldwin e Joan Cusack, ganham contextos dentro do filme, são personagens mais aprofundados. Um dos momentos mais interessantes reside, logo ao inicio, quando temos a oportunidade de escutar em off as impressões de cada familiar sobre a família em si e as situações pelas quais ela está passando ou passaram, o texto me parece muito honesto com os pontos de vista dos personagens.

Com tudo isto, Cassavetes, mesmo fazendo o espectador derramar litros de lágrimas, transmite uma mensagem, de certa forma, positiva sobre a vida e como devemos encarar a superação da dor, belo e emocionante!

UMA PROVA DE AMOR: 8,0

Direção: Nick Cassavetes

Roteiro: Nick Cassavetes e Jeremy Leven baseados no romance de Jodi Picoult

Com: Cameron Diaz, Abigail Breslin, Sofia Vassilieva, Alec Baldwin, Jason Patric, Evan Eligston, Thomas Dekker, Joan Cusack. 109 min PlayArte

Temporada 2009/10 – Últimas Premieres

12/10/2009

Chegando ao final após mais de um mês de comentários sobre a maioria das premieres das séries americanas, hoje comento os últimos retornos  e algumas estréias que acabei daixando por último, em prol de alguns ganchos das séries que já acompanhava.

Fazendo balanço até o momento, a temporada tem sido muito boa, algumas idéias sendo bem aproveitadas, inúmeras releituras que não devem durar uma temporada e, principalmente, alguns retornos com excelência de séries que pensava que não alcançariam mais suas conhecidas qualidades (House, CSI).

TheGoodWife_05 The Good Wife – 1ª temporada: dos dramas de procedimento parece que a CBS encontrou um grande produto em The Good Wife, faz um drama de tribunal não esquecendo de trabalhar uma trama pessoal da protagonista bastante interessante e atual. Tem em seu piloto, um dos melhores da safra, e no seu elenco o destaque para Julianna Margulies cercada de coadjuvantes à altura, como Christine Baranski, ótima atriz mas muito mais veiculada como comediante. Vale a pena, estréia agora em novembro no canal Universal Channel.

trauma Trauma – 1ª temporada: o canal NBC está com uma bomba nas mãos, além de ver sua outrora série de sucesso mundial Heroes caindo pelas tabelas (com razão) sua estréia para as noite de segunda junto a Heroes, Trauma, é um amontoado de clichês de séries médicas com adrenalina. A série de Peter Berg (o mesmo de Friday Night Lights) coloca uma equipe de resgate como protagonistas da série, claro que é necessário criar um evento para dar início a série, assim, há um grande acidente que provoca mortes na equipe e um ano depois começa realmente, a narrativa da série mostrando como os atendentes estão levando suas vidas. O elenco até chama a atenção com Anastasia Griffiths (Damages) e Derek Luke (que despontou no filme Voltando a Viver, de Denzel Washington), no entanto, a trama e os personagens não rendem mais que o básico e são esquecíveis.

ncis-los-angeles-poster-grande NCIS – Los Angeles – 1ª temporada: já apostava no sucesso deste spin-off de NCIS em termos de audiência, principalmente, por ser exibido após o original, recebendo toda aquela audiência, e ter pouca concorrência, acho que compete com vários realitys shows e com Melrose Place, se não me engano. No entanto, é preciso mais do que isso, ou mesmo, mais para LL Cool J e Chris O’Donnell para garantir qualidade ao texto. Quem conhece a franqui pode até se interessar mas de imediato não conquistou nem minha simpatia nem meu interesse neste novo drama de procedimentos militar.

tv_mercy03Mercy – 1ª temporada: o grande azar de Mercy (na NBC) é ter estreado na mesma temporada que Nurse Jackie (do Showtime). Não que não haja espaço para dois dramas de enfermeiras na televisão, muito pelo contrário, no entanto, há uma referência atual de série com qualidade como foi a série protagonizada por Eddie Falco. Não esquecendo que também houve a estréia de Hawthorne, com Jada Pinkett Smith, há poucos meses. Assim, Mercy, obviamente, caminha por uma trilha mais para Hawthorne do que Nurse Jackie, uma pena, busca o caminho mais fácil porém, se torna mais uma série hospitalar sem grande novidades e, tem como um problema, seu elenco não possuir nenhum grande nome e nenhuma grande personagem, pelo menos, neste início.

lietome Lie to Me – 2ª temporada: particularmente, gosto bastante da sinopse de Lie To Me, mas os produtores e roteiristas parecem buscar um caminho banal para a série, que não tem nenhum Simon Baker (Patrick Jane de The Mentalist) no elenco para fazer milagres. Digo isto, pois sabiamente, pelo menos para mim, os melhores episódios da primeira temporada eram os episódios centrados num único caso sendo desenvolvido por toda a equipe, mas as narrativas desta segunda temporada continuam apostando em dois casos em paralelo para a equipe de Cal Lightman, diluindo a força dramática e investigativa dos episódios. Acho que os produtores podiam apostar num arco de episódios mais denso e que explorasse melhor toda a equipe de Cal.

Uma pena, já que a série não vem conseguindo manter os índices de audiência de House, que é exibido antes no horário, e logo chega 24 Horas, podendo acarretar num cancelamento prematuro para a série que tem um potencial altissímo.

dollhouseDollhouse – 2ª temporada: momento lamentável que vivem os fãs de ficção da televisão, Dollhouse foi renovada no último minuto pelo canal Fox, no auge de sua qualidade, e em seu retorno tem apresentado audiências menores que antigamente, uma pena, o trabalho de Joss Whedon tem sido tão interessante e a trama de Dollhouse é um achado, mesmo em momentos não tão criativos.

Acredito que a série não sobreviva até o final da temporada, também pelo horário e companhia no seu dia de exibição, as amaldiçoadas sextas e junto com dois sitcoms com baixa audiência (Til’ Death e Brothers) . Nada a ver um produto com o outro, idéia genial dos executivos da Fox.

NCISNCIS – 7ª temporada: mesmo acompanhando a série a uma temporada e reconhecendo suas qualidades ainda não entendo o sucesso absurdo pelo qual atravessa NCIS. Na minha opnião é o dia e o horário, que possui concorrência mínima (somente realitys), que favorece a supremacia da série, mas mesmo na alta temporada quando enfrenta American Idol, a série consegue manter seus índices e, atualmente, é a campeã de audiência na televisão americana, batendo CSI, Grey’s Anatomy e House.

Dentre as suas qualidades: as tramas, sempre interessantes e em sintonia com temas mundias, afinal falamos de casos militares e política externa, e o humor do roteiro que facilita os personagens a criarem empatia com o público. Passatempo de qualidade!

512EGlzfQLL._SX320_SY240_Law & Order SVU  – 11ª temporada: não sei vocês mas adoro dramas de tribunais, desde os filmes de John Grisham até as séries televisivas, já não acompanho com o mesmo entusiasmo e religiosidade os demais produtos da franqui Law & Order, no entanto, SVU continua me instigando com seus casos dramáticos (de temática sexual), assustadores e personagens bem desenvolvidos, mesmo tendo um padrão narrativo meio engessado (caso+investigação+tribunal). Contando com um elenco de qualidade, principalmente, pelas abordagens dos casos e da vida pessoal dos agentes protagonistas (Olivia e Elliot), não esquecendo das ilustres participações de atores convidados, neste início de temporada já apareceram na série Christine Lahti (veterano atriz de inúmeras séries como Chicago Hope), Wentworth Miller (Michael Scolfield, de Prison Break), Eric McCormack (Will, de Will and Grace) e Stephen Rea (ator inglês de cinema).

É quase um vício, é começar a assistir a um episódio e quando vejo, se passaram 40 e poucos minutos, num piscar de olhos. Esta tradição de tribunal na sociedade americana é muito interessante e uma pena não servir de modelo para o brasileiro, não como modelo de julgamento, mas sim pela popularização do tribunal nos meios de comunicação servindo como ferramenta de conhecimento para uma grande maioria, de como funciona este espetáculo de defesa/acusação e julgamento.

Destaques da Semana em DVD (05 à 09/10)

08/10/2009

falsariosOs Falsários: Exibido no Festival de Berlim em 2007, a produção austríaca foi ganhadora do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2008, chegou a entrar em cartaz nos cinemas, mas somente em maio deste ano. O longa conta a história real da maior operação de falsificação de todos os tempos, promovida pelos nazistas em 1936. Em Berlim, o judeu Salomon Sally Sorowitsch (Karl Markovics) é conhecido como o rei da falsificação. Mas sua fase de sorte naufraga quando é preso por Friedrich Herzog (Devid Striesow). Levado para o campo de concentração Mauthausen, Salomon mostra sua habilidade e é transferido para Sachsenhausen. Lá encontra Herzog, que o coloca numa missão secreta. Salomon e um grupo de profissionais são forçados a produzir milhares de notas de dinheiro falso. Chamada de Operação Bernhard, o dinheiro seria para financiar a guerra e supostamente melhorar a economia alemã. Distribuidora: Europa Filmes

sinedoqueSinedoque, Nova York: Filme que passou rapidamente pelo circuito cinematográfico, claro, que o alternativo até mesmo pelo nome dos envolvidos, Charlie Kaufman, Philip Seymour Hoffaman, Catherine Keener, entre outros. Chegou até a aparecer em algumas listas de melhores de 2008, mas não teve fôlego para o Oscar do mesmo ano. o filme marca a estreia de Charlie Kaufman (Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças) na direção, que também assina o roteiro. Caden (Philip Seymour Hoffman) é um dramaturgo angustiado que tem problemas com as diversas mulheres de sua vida, incluindo sua ex-mulher Adele (Catherine Keener), uma pintora famosa que o trocou por um artista alemão, sua filha Olive (Sadie Goldstein) e a atual esposa Lucy (Michelle Williams). Distribuidora: Imagem.

dragonDragonball Evolution: Vergonha alheia total esta adaptação do mundialmente famoso Dragonball, nada se salva, elenco, direção, efeitos e, principalmente, o roteiro. É uma pena ver atores como o veterano Yun-Fat Chow (O Tigre e o Dragão) ou mesma a novata Emmy Rossum (O Dia Depois de Amanhã e O Fantasma da Ópera) perdidos numa produção com qualidade tão questionável. No longa baseado nos mangás (gibis japoneses) criados por Akira Toriyama, o herói Goku (Justin Chatwin) tenta cumprir a promessa que fez ao seu avô antes dele morrer. Goku precisa reunir as sete bolas do dragão e impedir que o vilão Piccolo (James Marsters) utilize esse poder para dominar o mundo. Distribuidora: Fox

efeitoEfeito Borboleta: Revelação: Salvando um pouco, mas não muito, o conceito do interessante Efeito Borboleta, com Ashton Kutchner, este novo episódio em nada lembra os anteriores, principalmente, o horrível segundo volume, para mim, a cinessérie já se esgotou! Terceira continuação de Efeito Borboleta (2004), o filme traz Chris Carmack (que atuou na série The O.C. como um jovem capaz de viajar no tempo, atuando nos fatos do passado para modificar o futuro. Ele usa esse dom para impedir que sua namorada seja assassinada e, como conseqüência, acaba desencadeando uma cadeia que o coloca em contato com um perigoso assassino em série. Distribuidora: Imagem

anoumAno Um: Fracasso comercial e de crítica (possível motivo da sua chegada diretamente em dvd) esta novo filme de Harold Ramis, diretor de O Feitiço do Tempo e inúmeras outras comédias, que reuniu dois atores que estão fazendo bastante sucesso neste gênero: Jack Black (Escola de Rock) e Michael Cera (Juno e Superbad). Na trama, ambientada na Pré-História, quando Zed (Jack Black) e Oh (Michael Cera), dois caçadores preguiçosos, são banidos de sua aldeia, eles partem para uma jornada épica pelo mundo antigo.  Distribuidora: Sony

tramaTrama Internacional: Confesso que adorei este filme, um tema atual (corporações financeiras como vilã), uma discussão relevante e um thriller super bem produzido e dirigido. Já tem uma das melhores cenas do ano, o tiroteiro no famoso museu do pôster ao lado, vale conferir. Na trama, Louis Salinger, agente da Interpol e Eleanor Whitman, Promotora de Justiça de Manhattan, estão decididos a levar um dos bancos mais poderosos do mundo à justiça. Revelando inúmeras atividades ilegais repreensíveis, Salinger e Whitman rastreiam o dinheiro de Berlim a Milão, de Nova York a Istambul. Ao correrem grandes riscos pelo mundo, sua tenacidade implacável põe suas próprias vidas em jogo, já que nada detém seus alvos – nem assassinatos – de continuar a financiar o terror e a guerra. Distribuidora: Paramount

minhasMinhas Adoravéis Ex-Namoradas: O diretor Mark Waters até tira um caldo desta proposta sempre utilizada em filmes natalinos de fantasmas mostraream passado/presente/futuro para o mrs. Scrooge da vez, sinto que o roteiro poderia ter utilizado com mais humor algumas situações e, também, o ator Michael Douglas, mas, como a idéia já não é muito original ol resultado não é dos piores. Na trama, o fotógrafo de celebridades Connor Mead (Matthew McConaughey) adora liberdade, diversão e mulheres. Às vésperas do casamento de seu irmão mais novo, quando está prestes a arruinar a união, Connor recebe a visita dos “fantasmas” de suas ex-namoradas. As memórias o levam a uma reveladora odisséia, visitando seus desastrosos relacionamentos do passado, presente e futuro. Juntas, tentarão descobrir o que transformou Connor num idiota insensível, se ainda há esperança dele encontrar o verdadeiro amor ou se é uma causa perdida.Distribuidora: PlayArte

gialloGiallo – Reféns do Medo: Dirigido por Dario Argento, um dos mestres do terror do cinema mundial, o filme chega no Brasil diretamente em DVD. Tudo começa quando a modelo norte-americana Celine (Elsa Pataky) é seqüestrada em Milão durante a Semana da Moda por um assassino em série conhecido como Giallo. Ele é famoso por fazer suas vitimas passarem por um verdadeiro calvário. Linda (Emmanuelle Seigner), irmã de Celine, deixa o assunto nas mãos do inspetor Enzo Lavia (Adrien Brody), que deverá encontrar a garota antes que ela tenha o mesmo final das vitimas anteriores. Distribuidora: Califórnia.

Temporada 2009/10 – Premieres 4ª semana

07/10/2009

Já se passaram um mês desde o início do fall season americano, época de ouro para os seriemaníacos, quase impossível acompanhar tudo o que se gostaria, muito mais quando você gosta de séries policiais, já abandonei algumas séries meia-boca, na minha opnião, para montar uma grade na qual meus horários livres possam se encaixar com tamanha quantidade de séries.

Acho que na semana que vem termino (de qualquer maneira!) de acompanhar todos os retornos e estréias encerrando estes posts de premieres, assim também dou um tempo para os primeiros capítulos serem exibidos e observar, com um pouco mais de profundidade as acertos e erros da temporada que se inicia.

csi CSI – 10ª temporada: havia ficado preocupado com as saídas dos três personagens fixos, após nove temporadas, adicionado a fraca season finale da série, no entanto, nesta retomada CSI parece ter encontrado novamente seu caminho. O primeiro episódio, Family Affairs, traz uma cena de abertura muito legal, bastanta engenhosa, com um roteiro muito bom e algumas storylines novas, a novata CSI Riley já foi embora, e deixou uma entrevista questionando o comando de Catherine.

Nick deve ser o novo entomologista do departamento e Lagston, estudou tudo e mais um pouco já sendo um CSI nível 2, e para não ficar sem pessoal Sara (Jorja Fox) retorna para um arco na temporada, dando uma mãozinha para os CSIs restantes. Um lance interessante deste primeiro episódio foi o gancho final de Langston com o dr. Robbins no necrotério, evento pouco comum na série, claro que não sendo um episódio duplo, parece que teremos um novo serial killer na temporada!

csinyCSI New York – 6ª Temporada: confesso que indico a série somente para os fãs do gênero policial, claro que a original é melhor, no entano, New York é milhares de vezes melhor que a canastrice e a falta de noção de CSI Miami e o pavorante David Caruso. Um dos fatores que me levam a gostar da trama é a tendência a mostrar equipamentos de alta tecnologia no laboratório forense e a criar arcos de episódios para todos os personagens, mantendo interesse durante toda a temporada.

Neste retorno a série que havia deixado um gancho bastante dramático, um tiroteio no bar onde os personagens  estavam reunidos, preferiu resolver esta trama de ua maneira mais econômica, já resolvendo o caso no próprio episódio, mesmo assim, Danny acabou ficando de cadeiras de rodas (por enquanto). E ao longo do episódio podemos perceber algumas storylines para todos os personagens, se os roteiros aprofundarem a temporada promete ser ótima.

dh Desperate Housewives – 6ª temporada: ao contrário do que ocorreu com outros seriados, no início da temporada a série começou bem, com aquele pulo de cinco anos na trama, no entanto, ao final quase nada se salvou, a temporada ficou na lembrança somente pela participação de Eva Longoria Parker (a Gabrielle), se revelando uma excelente comediante.

Nesta premiere, a série logo resolveu o gancho da finale, quem havia casado com Mike, o que era óbvio desde aquela época, no entanto, apresentou as diversas storylines das principais personagens e adicionou uma nova família, muito bem chefiada pelo nova Desperate, Drea De Matteo (da série The Sopranos), pode não parecer muito, mas, o episódio ficou muito bom.

tv_modern_family01Modern Family – 1ª Temporada: grande surpresa para mim esta sitcom, não tradicional, com múltiplas câmeras e ambiente externo (lembrando The Office), que parece um simples documentário sobre três diferentes famílias. A idéia pode parecer simples, e é, mas os dois episódios que conferi são bastante engraçados e bem escritos. A melhor estréia entre os sitcoms da temporada!

No elenco, temos o retorno do eterno Al Bundy, casado com uma colombiana que já tinha um filho, temos uma família tradicional com três crianças e um casal de gays que adotou um bêbe estrangeiro (que original!). No primeiro episódio descobrimos como estas familias se interrelacionam, no entanto, em cada episódio elas possuem tramas isoladas. Recomendo!

oldchris The New Adventures of Old Christine – 5ª temporada: não sei explicar como a série conseguiu chegar até aqui, não pela sua qualidade, mas, principalmente pela sua protagonista, Christine (o grande salva-vidas da série, Julia Louis-Dreyfuss), a rainha do politicamente incorreto! Não estou dizendo que o sitcom é excelente, muito pelo contrário, parece meio banal e nem sempre engraçado, mas quando juntam Christine e Barb (a ótima comediante Wanda Sykes), com um roteiro apenas bom as gargalhadas são garantidas.

Neste retorno a série coloca os quatro personagens, Christine, Barb, Richard e Matthew abandonados pelos seus pares. Barb quase sendo deportada, Richard abandonado no altar e Christine e Matthew indo a Bahamas para esperar por Barb, que confusão, bom para que é fã da série, que infelizmente não anda muito bem de audiência, o que pode acarretar seu cancelamento.

Deixe Ela Entrar

05/10/2009

lettherightonein_01

É impressionante o momento vampirístico na mídia, o fenômeno renasce em ciclos e parece que esta nova leva deve durar alguns bons anos. Na televisão temos a excelente True Blood (indo para sua terceira temporada no canal HBO) e agora, a não tão excelente, mas teen The Vampire Diaries (do canal CW americano e por aqui na Warner, no final do mês). Enquanto isto nos cinemas, temos a nova febre Crepúsculo, que até agora não sei se vai ser uma trilogia ou uma cinessérie, mas confesso que adora a atriz Kristen Stewart (desde O Silêncio de Melinda, um drama independente realizado anos atrás), a paródia de filmes B, Assassinos de Vampiras Lésbicas, que fica num meio caminho, nem perto de uma paródia de qualidade como Quase Todo Mundo Morto, e chegando um pouco atrasado mas envolto de ótimos elogios da crítica e de fãs do gênero o sueco, Deixa Ela Entrar.

Confesso que para um filme de gênero, ou subgênero, como os filmes de vampiro, Deixe Ela Entrar não renova as conhecidas regras, como não sair ao sol, precisa convidar o vampiro para adentrar num ambiente fechado e etc, no entanto, ao focar crianças pré-adolescentes, tanto o protagonista humano quanto a vampira, o roteiro consegue aprofundar as questões de rito de passagem da idade, como bulling (tão na moda) e a falta de figuras familiares (interessante observar a ausência dos pais de Oskar). Assim neste contexto, até podemos ter um filme de vampiros, no entanto, o que se mostra na tela é um drama de relacionamentos de personagens marginalizados, cada um a sua maneira e em seu universo particular. Consegue ser tocante, dramático, misterioso (como na relação de Eli com seu suposto pai ou parceiro), sem deixar de ter cenas de terror e sangue, abrindo mão de uma constante do gênero: sons agudos anunciando o susto.

Além do roteiro, pra mim um dos melhores do ano, Deixe Ela Entrar tem uma parte técnica impecável, desde a inspirada direção com acerto total dos ângulos filmados, a fotografia da neve, os eficientes efeitos, mesmo sendo quase imperceptíveis e discretos, aprimorando a narrativa, não sendo o centro das atenções o que ocorre na maioria dos filmes atuais, tudo parece estar em harmonia na telona. Não esquecendo a química dos jovens protagonistas, um show a parte!

Obs.: obviamente, os produtores americanos que não são nem um pouco burros já compraram os direitos para realizar uma adaptação americana do filme, no elenco Richard Jenkins (indicado ao Oscar por O Visitante) e na direção/roteiro Matt Reeves (Cloverfield).

DEIXE ELA ENTRAR: 9,0

Direção: Tomas Alfredson
Roteiro: John Ajvide Lindqvist
Elenco: Kåre Hedebrant, Lina Leandersson, Per Ragnar, Henrik Dahl, Karin Bergquist, Peter Carlberg, Ika Nord.

Destaques da Semana em DVD (28/09 à 02/10)

01/10/2009

intrigasIntrigas de Estado: Baseado numa minissérie inglesa que, diga-se de passagem, é muito boa, com grande elenco como Bill Nighy, John Simm (Sam Tyler da famosa série inglesa Life on Mars), James McAvoy e Polly Walker. Aqui a direção ficou com Kevin McDonald (O Último Imperador da Escócia) e tem um super elenco com nomes como Russell Crowe, Ben Affleck, Rachel McAdams, Helen Mirren e Robin Wright Penn. Infelizmente, o sucesso no circuito cinematográfico foi abaixo do esperado, uma pena para um filme que resgata os filmes de conspiração política dos anos 70. Na trama, o ambicioso congressista americano Stephen Collins é o futuro de seu partido – até que sua assistente morre tragicamente, e segredos começam a ser elucidados. Cal McAffrey, repórter veterano de Washington D.C., tem uma antiga amizade com Collins, mas, seguindo ordens de sua editora, Cameron Lynne, precisa investigar a história. Na medida em que ele e sua parceira novata Della Frye tentam desvendar a identidade do assassino, se deparam com uma conspiração envolvendo algumas das mais promissoras figuras políticas e corporativas dos Estados Unidos. Algo que ameaça abalar as estruturas de poder da nação.

eradogeloA Era do Gelo 3: Com destaque para a dublagem original de Simon Pegg, como o enlouquecido Buck, esta nova animação da Fox, investe no sucesso dos filmes anteriores, não acrescenta nada aos personagens mas, diverte o suficiente. Na trama, Scrat continua tentando agarrar a noz fujona (e nesse processo, talvez acabe encontrando o verdadeiro amor); Manny e Ellie esperam o nascimento de seu bebê mamute; a preguiça Sid forma sua própria família adotiva seqüestrando alguns ovos de dinossauro; e Diego, o tigre dentes-de-sabre, se pergunta se não está ficando molenga demais devido à convivência com seus amigos. Em uma missão para resgatar o azarado Sid, a turma se aventura por um misterioso mundo subterrâneo, onde dão de cara com dinossauros, lutam contra plantas carnívoras de fúria assassina e conhecem uma destemida doninha de um olho só, caçador de dinossauros, chamado Buck.

monstrosMonstros vs. Alienígenas: Outra animação que chega às vésperas do dia das crianças, esta da Dreamworks, que não fez tanto barulho nos cinemas como A Era do Gelo e Up – Altas Aventuras. Na trama, após ser atingida por um meteorito no dia de seu casamento, Susan Murphy cresce misteriosamente até a altura de 15 metros. Os militares logo entram em  ação e Susan é capturada e levada a uma instituição secreta do governo americano. Lá, ela recebe o nome de Ginórmica e é mantida presa com um grupo de monstros. O confinamento, no entanto, é encurtado quando um  misterioso robô alienígena aterrissa na Terra e começa a atacar os EUA. Em um momento de desespero, o presidente é convencido a recrutar a gangue de monstros para salvar o mundo da iminente destruição.