Archive for fevereiro \25\UTC 2010

Destaques da Semana em DVD (22 à 26/02)

25/02/2010

O Desinformante: Steven Soderbergh volta a dirigir num filme mais comercial, pelo menos no que se refere ao elenco, aqui temos Matt Damon como protagonista, num roteiro que parece uma aventura farsesca, mas somente vendo para ter certeza. Na trama, Mark Whitacre está em rápida ascensão na gigante da agroindústria onde trabalha. Quando descobre que a multinacional participa de um esquema de formação de cartel, decide reportar para o FBI. O executivo acredita que, com isso, será promovido e transformado em um herói da população. Mas o FBI precisa de provas, e Mark se transforma em agente infiltrado. Seus relatos, no entanto, estão sempre mudando, e torna-se impossível distinguir o que é real e o que é produto de sua fértil imaginação.

Código de Conduta: mais um filme da última safra de Gerard Butler, que não anda recusando convites, aqui ele trabalha num thriller sobre justiça sob a direção F. Gary Gray (que dirigiu Uma Saída de Mestre) e divide os créditos com Jamie Foxx. No filme, Clyde é um dedicado pai de família que testemunha sua esposa e filha serem assassinadas. Um dos culpados ganha liberdade graças a um acordo feito com o ambicioso promotor Nick. Anos depois o assassino é encontrado morto e Clyde é preso mesmo sem provas contra ele. Seu unico objetivo, é denunciar o corrupto sistema judicial nem que para isso tenha que matar um a um, todos os envolvidos. Mas, se Clyde já está na cadeia, como o promotor poderá impedi-lo se ele está sempre um passo a frente de todos?

Adam: a princípio mais um filme sobre casais onde um personagem apresenta uma deficiência ou perda que o impede de agir normalmente, no entanto, este drama com toques cômicos tem um elenco bastante interessante com nomes como Rose Byrne, Hugh Dancy, Peter Gallaher, Amy Irving, entre outros. Na trama, o jovem engenheiro eletrônico Adam acaba de perder o pai. Com dificuldades de se socializar, vive isolado em seu excessivamente organizado apartamento em Nova York. Sua rotina se transforma quando a atraente Beth se muda para o andar de cima. Inicialmente reticente com o comportamento estranho do vizinho, ela aos poucos passa a conhecê-lo melhor e a entender as razões por trás de suas dificuldades de comunicação. Percebendo o interesse de Adam e a profunda conexão que se formou entre eles, Beth resolve dar uma chance ao relacionamento.

O Mistério de Grace: filme que conseguiu criar um buxixo no meio cinematográfico após ser exibido em festivais do gênero, na verdade, o filme é um pouco diferente desta última moda hollywoodiana nos filmes de terros, aqui não há nada fantasmagórico, sim até há abre com uma linha sobrenatural mas a abordagem é diferente, lembra, dadas as devidas proporções, O Bebê de Rosemary. Na trama, depois de anos tentando engravidar, Madeline e Michael Matheson estão finalmente esperando um bebê. Mas, um acidente terrível mata seu marido e o filho por nascer. Mesmo assim, ela está determinada a levar adiante a gravidez e dar à luz naturalmente. O que parecia loucura torna-se um milagre quando, a recém-nascida Grace milagrosamente retorna à vida … e com fome. Mas Madeline logo descobre que seu bebê tem sede de algo mais do que o leite da mãe e ela está determinada a alimentá-la, não importam as conseqüências.

Por uma Vida Melhor: depois de se chamar Distante Nós Vamos, chega agora em dvd, não sei ao certo se chegou a estrear no circuito esta comédia dramática de dirigida por Sam Mendes, com cara de “indie movie”, protagonizada por John Krasinski (da série The Office), Maya Rudolph (comediante do semanal Saturday Night Live) e com Alisson Janney, Maggie Gyllenhaal e Jeff Daniels no elenco de apoio. Na trama, Verona e Burt moram juntos, mas ela não acredita no casamento como instituição, então prefere recusar os constantes pedidos de casamentos vindos de Burt. Nem quando ela fica grávida as coisas mudam. Este não é um problema para o casal. As coisas mudam de figura de vez quando os pais dele resolvem que vão morar na Bélgica. É quando o casal fica mais perdido ainda. Assim, Burt e Verona resolvem visitar diversos amigos ao redor dos EUA e também em Montreal, no Canadá, para descobrirem qual é o melhor lugar para criarem o bebê que está a caminho. Nessa jornada, o casal encontra figuras divertidas e pitorescas, mas também descobrem que a vida adulta não é tão fácil.

Anúncios

Preciosa – Uma História de Esperança

14/02/2010

Nesses anos acompanhando filmes e séries confesso que poucas vezes me vejo chocado com tramas e personagens, minha opnião é que o ser humano é capaz de tudo, seja para o bem como para o mal, exemplificando, um dos filmes que mais me incomodaram até hoje foi Requiem para Um Sonho, pela verdadeira “descida ao inferno” de todos os personagens em função das drogas, lembro que o filme ficou me acompanhando dias. Agora, tenho outro filme para exemplificar, apesar de, não ser o foco principal do filme ou sua intenção, confesso que a personagem da comediante Mo’nique, é uma das coisas mais monstruosas e asquerosas que já vi na tela.

A trama do filme é de uma tristeza sem fim, até acredito que o tom inicial, onde o diretor injeta cenas de sonhos seja para dar uma amenizada no contexto geral do filme: jovem negra, obesa, semi-alfabetizada, estuprada pelo pai, mãe de uma criança deficiente, grávida de outro e sem o apoio de ninguém, nem mesmo de sua mãe, que muito pelo contrário, ainda abusa da jovem fisicamente e psicológicamente.

O maior mérito do filme quanto à sua direção e roteiro é não cair na armadilha de criar um dramalhão infinito e um painel social de “coitadismos”, os personagens são humanos possuem caractéristicas próprias e agem conforme suas crenças e interesses. Claro que o foco principal são a personagem Clareece Precious e sua mãe, Mary, assim, os demais personagens, apesar de bem caracterizados somente têm função de escada para as personagens. Assim, temos participações de luxo como Mariah Carey e Lenny Kravitz, que acabam se destacando pela falta de glamour e simplicidade.

Se o filme parece não inovar e nem marcará gerações, não esquecendo que ele traz consigo a cara do cinema independente americano, o que não é um defeito, somente uma constatação pelo tipo de narrativa, as interpretações femininas são um destaque a parte. Se Gabourey Sidibe não levar o Ocar (acho difícil alguém roubar o prêmio da “Fênix” do ano, Sandra Bullock), é por este ser sua papel de estréia, fica muito difícil discernir o maior mérito da jovem, se é seu talento em cena ou presença de sua figura, perfeita para o papel, no entanto, a comediante Mo’nique, que já havia atuado no filme anterior do diretor, Lee Daniels, o curioso Matadores de Aluguel, dá um show à parte, cria um monstro visceral e palpável, que choca como poucas vezes testemunhei no cinema. Além disso, sua personagem mostra resquícios de humanidade na melhor sequência de filme onde busca se justificar para a assistente social, personagem de Mariah Carey. A melhor interpretação do ano!

PRECIOSA – UMA HISTÓRIA DE ESPERANÇA: 8,0

(Precious, Eua, 2009)

Direção: Lee Daniels

Roteiro: Geoffrey Fletcher, baseado em livro de Sapphire

Com: Gabourey Sidibe, Mo’nique, Paula Patton, Mariah Carey, Rodney Jackson, Sherry Shepherd, Lenny Kravitz. 110 min. Playarte

Destaques da Semana em DVD (08 à 12/02)

11/02/2010

Distrito 9: uma das melhores surpresas da temporada passada que, ao contrário do que ocorreu nos Eua não fez muito sucesso por aqui. Espero que isso se modifique com sua chegada em dvd, principalmente, por ser um filme de ficção de ótima qualidade técnica e uma trama muito interessante realizado fora dos Eua, precisamente, na África do Sul. Está concorrendo à 4 Oscars, dentre eles, Melhor Filme e Melhor Roteiro Adaptado. Na trama, vinte anos atrás, alienígenas desembarcaram na Terra. As criaturas foram deixadas no Distrito 9, uma casa isolada na África do Sul, enquanto os líderes mundiais decidiam o que fazer. Desde então, nada aconteceu. Hoje, os aliens estão sob controle da MNU, uma empresa privada, que pretende lucrar com suas poderosas armas. Mas para ativá-las é necessário DNA alienígena. Por isso, quando Wikus van der Merwe, um funcionário da MNU, contrai um vírus que transforma seu código genético, ele passa a ser o mais valioso ser humano do mundo. Fugido e sozinho, só existe um lugar para ele: o Distrito 9.

(500) Dias com Ela: aqui outra surpresa do ano passado, uma comédia romântica independente, isto é, uma comédia romântica que na verdade não é tão romântica assim, o roteiro (um verdadeiro achado para o gênero) brinca com as fases do namoro de Tom e Summer, na verdade, quem paga de apaixonado é Tom. O filme é muito bem montado, tem uma trilha super cool (com destaque para The Smiths) com direito a sequência musical, imperdível! Na trama, Tom, jovem tímido, formou-se em Arquitetura, mas trabalha escrevendo cartões de felicitação. Solitário e frustrado, não vislumbra grandes rumos em sua vida. Quando seu chefe contrata uma nova secretária, Summer, ele vê seu ideal de amor tomar finalmente forma. Linda, espirituosa e inteligente, ela gosta das mesmas coisas que ele. Eles saem algumas vezes, e a lista de afinidades não para de crescer. Tom se apaixona perdidamente, mas Summer, que acredita que o amor não passa de uma fantasia, quer apenas se divertir.

A Trilha: suspense que passou rapidamente pelos cinemas, com direção de David Twohy, que começou com o pé direito na ficção Eclipse Mortal, que lançou Vin Diesel, depois já se perdeu em bobagens como A Batalha de Riddick. Aqui o grande problema pode também ser o que as pessoas mais curtam no suspense, a reviravolta final, pelo menos, até lá você se deslumbrará com as paisagens do Havaí. Na trama, Cydney e Cliff formam um aventuroso casal que resolve passar a lua-de-mel nas mais belas e remotas praias do Havaí. Caminhando nas selvagens e isoladas trilhas eles acreditam ter encontrado o paraíso. Entretanto, quando se deparam com um assustado grupo de turistas que informa sobre o assassinato de um casal em outra ilha eles passam a discutir um possível retorno para casa. Longe da civilização, todos aparentam ser uma ameaça e ninguém sabe em quem confiar. O paraíso se transforma em um verdadeiro inferno quando uma batalha pela sobrevivência tem início.

Te Amarei para Sempre: talvez pegando carona no sucesso A Casa do Lago, outro filme que conseguiu misturar dois gêneros insolúveis, ficção científica e romance, chega, após rápida passagem nos cinemas Te Amarei para Sempre, co direção de Robert Schwentke (de Plano de Vôo) com Eric Bana e Rachel McAdams no elenco. Na trama, Henry DeTamble sofre de uma rara modificação genética, que o faz viajar pelo tempo involuntariamente. Numa de suas viagens, ele conhece a pequena Clare, que se apaixona por ele imediatamente. Anos após anos ela espera sempre no mesmo lugar que este estranho viajante retorne. Até que os dois finalmente se encontram e a paixão começa. Porém, o curso da vida de Clare é normal e quando ela menos espera seu grande amor desaparece, sem data para retornar. Como poderia um romance suportar estas indas e vindas?

Salve Geral: vamos poder descobrir o que o filme de Sergio Resende, competente diretor, tem de especial para ter sido indicado como filme concorrente ao Oscar pelo Brasil, as consequências já sabemos, não ocorreu a indicação. Sempre me pergunto o que esta comissão pensa na hora de indicar um filme para concorrer os Oscar, não podiam simplesmente votar no Melhor, em suas opniãos? Não estou questionando a qualidade deste filme, que, inclusive, não assisti, mas fica a indagação.Na trama, Lucia, uma professora de piano que ficou viúva recentemente, é surpreendida pela notícia de que seu único filho matou uma jovem. Decidida a tirar o rapaz da prisão, ela se envolve com a organização criminosa responsável por uma série de ações que transformarão a maior metrópole do País em um inferno.

Besouro: outro filme brasileiro que passou em branco nos cinemas, mais um, isto que ainda teve publicidade pela Rede Globo. Interessante observar que o filme é uma rara produção nacional de aventura, com direiro a héroi tupiniquim, um gênero tão pouco explorado por aqui, nosso cinema ainda precisa melhorar e diversificar seus roteiros em geral. Na trama, Bahia, década de 20. No interior os negros continuavam sendo tratados como escravos, apesar da abolição da escravatura ter ocorrido décadas antes. Entre eles está Manoel (Aílton Carmo), que quando criança foi apresentado à capoeira pelo Mestre Alípio (Macalé). O tutor tentou ensiná-lo não apenas os golpes da capoeira, mas também as virtudes da concentração e da justiça. A escolha pelo nome Besouro foi devido à identificação que Manuel teve com o inseto, que segundo suas características não deveria voar. Ao crescer Besouro recebe a função de defender seu povo, combatendo a opressão e o preconceito existentes.

Fama: refilmagem do filme homônimo nessa nova onda que o gênero vem tentando manter desde o surgimento de Moulin Rouge, notem como a cada um ou dois anos chega algum exemplar do gênero, isto que agora, o musical já foi parar até na televisão com o sucesso da série Glee. Mas, este especificamente, foi um fracasso de bilheteria nos Eua e, por aqui, passou em branco. Na trama, Marco (Asher Book) é um carismático cantor. Rosie Martinez (Kristy Flores), Kevin Barrett (Paul McGill) e Alice Ellerton (Kherington Payne) são dançarinos. Neil Baczynsky (Paul Iacono) é um aspirante a diretor de cinema. Denise Dupree (Naturi Naughton) é uma pianista clássica que possui outros dons ainda desconhecidos. Jenny Garrison (Kay Panabaker) é uma jovem atriz. Victor Taveras (Walter Perez) é um músico. Todos são jovens artistas em busca do sucesso. Para tanto eles se inscrevem na conceituada academia de artes New York City High School of Performing Arts, onde ao longo de quatro anos enfrentam uma série de desafios e testes para que possam mostrar seu talento.

Soldado Universal 3 – Regenaração: claro que este não é um destaque da semana, seria mais um curiosidade, chega diretamente em dvd esta segunda continuação do filme lá dos anos 90, juntando novamente os “astros ” do orginal, Jean-Claude Van Damme e Dolph Ludgren, sim, ambos ainda vivem. Na trama, os rivais combatentes do Vietnã, que haviam sido ressuscitados em um programa militar de supersoldados, voltam a se enfrentar. Luc Deveraux volta à ativa para combater a nova geração de soldados modificados geneticamente, liderados por NGU, que tomam de assalto a velha usina de Chernobyl e ameaçam provocar uma nuvem radioativa. Para seu azar, um dos soldados reativados é um clone de seu antigo sargento, Andrew Scott.

Onde Vivem os Monstros

09/02/2010

Uma grata surpresa este fantasia dramática do renomado diretor Spike Jonze (Adaptação e Quero ser John Malkovich), se a princípio o filme parece ser um novo História Sem Fim (filme dos anos 80 bastante conhecido pela temática fantasiosa), logo seu roteiro nos leva para o mundo “real” das crianças, onde imperam sentimentos dúbios como amizade, alegria, brincadeiras junto á raiva, ciúmes e tristeza, claro que ilustrados pela imaginação do protagonista, num mundo de bichos de pelúcia gigantes.

Talvez o roteiro não consiga imprimir suas idéias e sentimentos o tempo todo com o mesmo equilíbrio, em algumas sequências as sutilezas ficam de lado, no entanto, que filme procura ilustrar estes sentimentos de maneira tão honesta no cinema atual? Não lembro de nenhum neste momento. Claro que além do todo o contexto psicológico, que acredito deve ser melhor compreendido pelos adultos, não exclusivamente, acho que as crianças conseguem identificar através de sua sensibilidade, o filme conta com uma estrutura técnica impecável, trilha sonora, montagem e fotografia, principalmente. Um filme melancolicamente encantador!

ONDE VIVEM OS MONSTROS: 7,5

(Where the Wild Things Are, Eua, 2009)

Direção: Spike Jonze

Roteiro: Spike Jonze e Dave Eggers, baseado em livro de Maurice Sendak

Com: Mex Records, Catherine Keener, Alice Parkinson, Mark Ruffalo, James Gandolfini – voz, Forest Whitaker – voz, Catherine O’Hara – voz, Paul Dano – voz, Laren Ambrose – voz. 101 min Warner

Destaques da Semana em DVD (01 à 05/02)

05/02/2010

Bastardos Inglórios: Na semana no qual foi indicado à 8 prêmios Oscar, entre eles, o de melhor filme e direção, chega em dvd a nova pérola do cinema de Quentin Tarantino, mesmo que a disputa do Oscar esteja polarizada entre Avatar e Guerra ao Terror (também já disponível em dvd) o filme de guerra de Tarantino é imperdível, com certeza, uma de suas melhores obras. Na trama 2ª Guerra Mundial. A França está ocupada pelos nazistas. O tenente Aldo Raine (Brad Pitt) é o encarregado de reunir um pelotão de soldados de origem judaica, com o objetivo de realizar uma missão suicida contra os alemães. O objetivo é matar o maior número possível de nazistas, da forma mais cruel possível. Paralelamente Shosanna Dreyfuss (Mélanie Laurent) assiste a execução de sua família pelas mãos do coronel Hans Landa (Christoph Waltz), o que faz com que fuja para Paris. Lá ela se disfarça como operadora e dona de um cinema local, enquanto planeja um meio de se vingar.

Faces da Verdade: o diretor Rod Lurie volta à tematica que o lançou em 2000 no filme Conspiração, que conseguiu, inclusive, algumas indicações ao Oscar, política, aqui ele também assume o roteiro. Inédito nos cinemas, o filme conta com um baita elenco: Kate Beckinsale, Matt Dillon, Angela Bassett, Alan Alda, Vera Farmiga entre outros. Na trama,  Rachel Armstrong (Kate Beckinsale) é uma jovem jornalista política que trabalha em um dos maiores jornais da capital dos EUA. A sorte bate à sua porta quando obtém informações seguras sobre um escândalo sem precedentes que irá abalar toda a estrutura do atual governo. O governo, decidido a descobrir de onde a informação “vazou” obriga Rachel a revelar sua fonte, ao se recusar a dar a informação e trair seus princípios ela enfrentará um duro julgamento comandado pelo procurador Patton (Matt Dilon) e a possibilidade de ser presa, deixando sua família para manter a sua integridade jornalística. Inspirado em fatos políticos atuais.

Vingança entre Assassinos: filme de ação inglês, inédito nos cinemas, que chama a atenção pela curiosa sinopse e pelo conhecido elenco, Robert Carlyle, Kelly Hu, Ving Rhames e Ian Somerhalder, o Boone de Lost. Na trama, a cada sete anos, uma pequena aldeia inglesa organiza um torneio especial conhecido apenas como “O Torneio”. Ninguém sabe nada sobre isso. Ninguém nunca vai conseguir saber de nada. Mas isso acontece e, é mortal. O evento reúne os trinta melhores matadores do mundo para uma competição sangrenta, eles têm que exterminar uns aos outros como gladiadores modernos.

Primeiras Impressões: 24 Horas – 8ª Temporada

01/02/2010

Passados 5 episódios ou horas, exibidos em apenas 3 dias, sendo 4 episódios numa maratona de 2 dias, a 8ª temporada de 24 Horas parece ter optado por um ritmo mais lento, inicialmente, ao contrário do que vinha ocorrendo em temporadas anteriores, no entanto, sinto-me na obrigação de confessar que passados 9 anos desde o surgimento da série, não houve ninguém que roubasse o título de melhor série de ação da tevê americana!

A premissa desta temporada é a seguinte: ” em seu oitavo dia, reencontramos Jack vivendo em Nova York, desfrutando da companhia de sua filha Kim (Elisha Cuthbert) e de sua neta. A Presidente Taylor (Cherry Jones) ainda está no poder e negocia um acordo de paz com Omar Hassan (Anil Kapoor, visto em Quem Quer Ser um Milionário), um dos líderes do Oriente Médio. Tudo parece correr bem, até que Jack é contatado por um antigo informante que alega ter informações sobre um atentado contra Hassan, o que obviamente joga o antigo agente no meio de muita conspiração e tiroteios. De volta à CTU de Nova York, Jack encontra novos colegas: Dana Walsh (Katee Sackhoff, a Starbuck de Battlestar Galactica), Cole Ortiz (o engomadinho Freddie Prinze Jr.), Arlo Glass (John Boyd) e Brian Hastings (Mykelti Williamson), que está no comando das operações e uma insegura Chloe, obrigada a voltar ao trabalho após seu marido perder o emprego. Em linhas gerais é mais ou menos isto, clato que até o quinto episódio/hora o leque de possibilidades se abriu muito, já tivemos um atentado, traidores e novamente, os russos envolvidos.

A primeira crítica neste início de temporada é algumas storylines que não estão funcionando de maneira alguma, claro que sabemos que pela estrutura de tempo real os roteiristas precisam “encher” os intervalos de carro, helicóptero e outros meios de transporte com subtramas, mas ninguém merece ver a a dura-na-queda Starbuck pagando de vítima chantageada pelo namorado criminoso da adolescência, é muito chato! Em compensação, a partir do terceiro episódio vemos novamente a agente Renee Walker, agora ex-agente do FBI devido aos eventos subsequentes da temporada passada, a personagem deu uma pirada e, agora, parece a versão feminina de Jack, e ela surge na série por ter trabalhado infiltrada na máfia russa, a melhor subtrama da temporada disparado.

Claro que ainda há muito caminho pela frente, devemos ter mortes, traições, pessoas infiltradas na CTU ou no Gabinete da presidente Taylor, o de sempre da série, que se bem trabalhado pelos roteiristas deve render mais uma temporada frenética para 24 Horas que, inclusive, pode ser a última, dependendo do contrato com o ator Kiefer Sutherland.