Balanço da Temporada: Grey’s Anatomy – 6ª Temporada

Vou fazer coro com o texto da blogueira Camis Barbieri em sua análise sobre a season finale de Grey’s Anatomy (aqui), Shonda Rhimes (criadora e roteirista da série) pode até não saber como iniciar uma temporada porém, terminá-la é sua especialidade. A princípio você pode imaginar que seria somente mais um Grey’s Event, onde uma grande tragédia serve para mexer com os personagens, subterfúgio utilizado em toda temporada e, atualmente, por quase todas as séries dramáticas, no entanto o evento de Grey’s neste seu final de temporada, o tiroteio no Seattle Grace, foi devastador!

Não somente para os personagens, todos estiveram envolvidos pela loucura/raiva/culpa de Garry Clark, storyline construída de maneira precisa desde o episódio 6×19, Sympath for the Parents. Agora na season finale, ao longo dos 100 minutos (um episódio duplo) tivemos a mesma sensação de tensão, choque e medo que os personagens, afinal, por alguns momentos, todos pareciam ameaçados, o perigo era iminente e o medo era palpável. Hoje compreendo a inserção dos médicos vindos do Mercy West, mesmo não se tornando coadjuvantes constantes ou tendo storylines próprias dentro da série, suas mortes alcançam um significado dramático correspondente dentro da trama.

No balanço da temporada, para mim, inquestionável a melhora desta temporada em comparação à anterior. A queda brusca de audiência é sinal claro de desgaste da série já no seu sexto ano (mesmo problema de House, por exemplo), não acho que seja simplesmente pela trama estar boa ou ruim, sinal disso é a excelente audiência da season finale (em torno de 16 milhões), mostrando que o público cativo de Grey’s ainda existe.

Voltando a comentar a temporada como um todo, no que se refere às storylines, não gostei nenhum um pouco da entrada da filha desconhecida de Sloan que, parece que serviu somente para separar Sloan de Lexie, uma pena um casal tão querido. E claro que a saída de Izzie, culpa da própria atriz e não da trama, foi um desgaste desnecessário para a série, afinal de contas a personagem teve seu momento lá na segunda temporada com o melhor arco de uma personagem na série quando se envolveu com Denny Duquette, depois disso, a personagem não teve mais o mesmo brilho. Claro que foi emocionante sua jornada para sobreviver ao câncer, no entanto, os produtores deviam saber da vontade da atriz em sair do elenco, podiam ter aproveitado para criar um despedida digna para a personagem original da série. Talvez este desgaste que ocorra nos bastidores venha atrapalhando a divulgação da série como um ótimo drama, a série vem aparecendo na mídia sempre envolta em brigas de bastidores e atores insatisfeitos com o rumo de seus personagens.

A temporada soube equilibrar entre os famosos casos românticos dos personagens com alguns casos bizarros clássicos da série (sempre rendendo metáforas), como o gordo de 300 quilos ou o paciente sem rosto (freak total). Mas, assim como vem ocorrendo em House, a série teve seu melhor episódio solo (descontando a season finale, obviamente), em I Saw that a Saw, episódio com narrativa diferenciada de depoimentos cheio de tensão e suspense, entra para a galeria de melhores episódios da série. Outro episódio bacana foi o que visitou o passado dos personagens dr. Webber e dra. Ellis Grey (mãe de Meredith), The Time Warp, mostrando o início da relação entre os médicos.

Sobre os personagens, o que dizer, a temporada pertenceu, novamente, a duas grandes atrizes que tiveram momentos extraordinários durante a temporada e dentro deste episódio duplo, Sandra Oh (Christina Yang) e Chandra Wilson (dra. Miranda Bailey). São e continuam sendo os grandes nomes do elenco de Grey’s, esperam que elas consigam novamente suas indicações como intérpretes aos Emmy neste ano. Uma surpresa agradável nesta temporada foi o amadurecimente de Meredith, algo que esperava a temporadas, foi uma das melhores temporadas para a personagem, esteve sóbria sem aquela insegurança tão característica da perosagem, soube apoiar o antigo Chefe Webber em procurar um tratamento para o alcoolismo e esteve ao lado da Shepard como o novo Chefe do hospital, momento de redenção da personagem para os fãs.

Anúncios

Tags: ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: