Destaques da Semana em DVD (08 à 12/11)

Toy Story 3: mais um ano termina e um dos grandes destaques, inclusive, pra premiações é uma animação da Pixar, e para espanto maior, uma continuação do sucesso Toy Story, já em sua terceira parte, fechando uma trilogia já clássica na história recente do cinema. O filme traz Woody (dublado por Tom Hanks), Buzz (dublado por Tim Allen) e toda a turma de volta às telonas quando Andy se prepara para ir para a faculdade e seus leais brinquedos vão parar numa… creche! Mas esses bravos baixinhos com seus dedinhos pegajosos não estão para brincadeira, então, serão todos por um e um por todos, enquanto implementam seu plano da grande fuga. Embarcam com eles nesta aventura, muitos rostos novos — alguns de plástico, outros de pelúcia, incluindo o famoso solteiro e festeiro acompanhante da Barbie, Ken (dublado por Michael Keaton); o ator e ouriço de jardineira, Espeto (dublado por Timothy Dalton); e um ursinho de pelúcia rosa com cheiro de morango, chamado Lotso Ursinho Fofo (dublado por Ned Beatty).

Escritor Fantasma: nada como um grande diretor para conseguir dar um gás para um gênero tão cambaleante como o suspense, hoje perdido em porn torture e finais surpresas, o que vale aqui, no excelente filme de Roman Polansky é a dubiedade dos personagens e situações. Trama redondinha, charmosa e inquietante, um dos melhores do ano! Quando um escritor fantasma britânico de sucesso concorda em completar as memórias do ex-primeiro-ministro britânico Adam Lang, seu agente lhe assegura que é a oportunidade de uma vida. Mas o projeto parece condenado desde o início – até porque o seu antecessor no projeto, o assessor de Lang de longa data, morreu em um infeliz acidente. Ressonante com temas da atualidade, este atmosférico e político suspense é uma história de enganos e traição em todos os níveis – sexual, político e literário. 

A Epidemia: agradável surpresa este suspense do fraco diretor Breck Eisner, do pavoroso Sahara, refilmagem de O Exército do Extermínio do mestre George A. Romero. Com a trama que tinha nas mãos e com o eficiente elenco (Timothy Olyphant e Radha Mitchell), Eisner conseguiu um filme tenso e nervoso, com excelentes sequências de suspense em meio a uma trama não muito inovadora, fez um bom tema de casa, não vai envergonhar o mestre. A primavera acaba de chegar numa tranquila cidade do interior, onde a simplicidade toma conta das pessoas e suas rotinas. Mas neste ano, a estação trouxe algo além de flores. Misteriosamente, os moradores tornam-se pessoas silenciosas e… extremamente agressivas! O casal David (Timothy Olyphant) e Judy (Radha Mitchell) se vêem cercados por aqueles que um dia já foram seus vizinhos e amigos, mas agora vagam pela cidade com um único objetivo em mente: matar, destruir, aniquilar.

Par Perfeito: não sei ao certo se a carreira de bela e carismática Katherine Heigl, a eterna Izzie de Grey’s Anatomy, está indo numa boa vertente, claro que nem estou falando do gênero e sim das escolhas propriamente ditas. Desde o sucesso de Ligeiramente Grávidos, comédia da turma de Judd Apatow, Heigl embarcou em Vestida para Casar, A Verdade Nua e Crua, este e Juntos Pelo Acaso, recém chegado aos cinemas, tirando Vestida para Casar nenhum dos demais ganhou notoriedade e Heigl tem que cuidar pra não ficar rotulada pelo desgastante gênero, podia tentar seguir os passos de Jennifer Aniston que, pelo menos, altrena produções independentes com comerciais e gêneros também. Na trama, Jen (Katherine Heigl), conhece o homem perfeito. Seu nome é Spencer (Ashton Kutcher), ele é bonitão, educado e inteligente. Mas o que Jen não sabe, é que Spencer ganha a vida como matador de aluguel, contratado pelo governo. Eles vivem o casamento dos sonhos até que em uma bela manhã, o casal descobre que Spencer é o alvo de um golpe milionário. O que parecia ser um Par Perfeito transforma -se num jogo de vida ou morte, enquanto eles tentam lidar com sogros, sogras, casamento, manter as aparências e ainda sobreviver.

O Bem Amado: gosto dos trabalhos de Guel Arraes tanto nos cinemas quanto na televisão, você observa que é uma pessoa que procura fazer arte, mais comercial, para o grande público, mas confesso que esta sua nova comédia já me anuncia um cansaço do subgênero do diretor, principalmente, se pensarmos que quase todo mundo conhece a história de Odorico Paraguaçum que já foi novela de sucesso imensurável e anos depois ainda rendeu como seriado. Pelo menos, Guel conseguiu um excelente elenco para seu filme, a começar por Marco Nanini. Baseado na Obra de Dias Gomes, O Bem Amado conta a história de Odorico Paraguaçu, o prefeito que tem como principal objetivo conseguir um defunto para inaugurar a sua grande obra, o cemitério da cidade de Sucupira. O dia-a-dia entre o apoio das irmãs Cajazeiras e a oposição ferrenha do jornaleco da cidade, apimentada pela inclusão de personagens inesquecíveis como Zeca Diabo, um cangaceiro matador e Ernesto, o moribundo que não more, é uma sátira divertidíssima da elite brasileira.

400 contra 1 – A História do Comando Vermelho: drama nacional que passou rapidamente pelos cinemas, procura mostrar o surgimento de um dos grupos criminosos mais famosos da nossa recente história, no elenco, Daniel de Oliveira e Daniela Escobar. Na trama, William da Silva (Daniel de Oliveira), um dos grandes articuladores daquilo que viria a se tornar o Comando Vermelho, vai parar no presídio de Ilha Grande, onde presos ‘comuns’ eram colocados lado a lado com presos políticos. Neste universo de fugas consecutivas, assaltos e enfrentamento com os policiais locais, as amizades se destacavam e geravam dívidas que faziam com que foragidos retornassem à ilha para libertar seus companheiros.

Os Garotos Estão de Volta: drama que ficou inédito em nossos cinemas, chega agora em dvd, com Clive Owen estampado na capinha, até porque é o único nome reconhecido na película, no entanto, me chamou a atenção que o diretor é Scott Hicks, famoso por Shine – Brilhante e depois pelo, lindamente fotografado, Neve Sobre Cedros. Na trama depois da trágica morte de sua segunda esposa, o conhecido jornalista esportivo Joe Warr tem que tomar conta de seu filho, Artie, um garoto de seis anos o qual praticamente não conhece. As coisas se complicarão ainda mais para Joe quando Harry, filho de seu casamento anterior, de quatorze anos, se muda para a Austrália para viver com ele durante uma temporada. A partir desse momento, Joe terá que se virar para manter uma casa só de rapazes.

De Golpe em Golpe: inédito nos cinemas, está comédia dramática parece se propor a ser um “feel good movie” sobre relacionamente de pai e filho, não sei quanto às qualidades do filme em si mas, o elenco chama a tenção, Christopher Walken, Alessadro Nivola, Sharon Stone, Peter Coyote e Amanda Peet. Na trama, o esquisito Nat (Christopher Walken) é um abilidoso trapaceiro e pai do certinho Flynn (Alessandro Nivola). Quando é diagnosticado com uma doença terminal, Nat força o filho a cair na estrada com ele em busca de um tratamento médico do outro lado do país. Com apenas 5 dolares para gastar por dia, os dois terão que passar por situações absurdamente ridículas e e embaraçosas ao lado de Dolores (Sharon Stone). De golpe em golpe é uma irresistível comédia sobre esquecer o passado, escolher seu próprio caminho e ser feliz.




Tags: , , , , , , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: