Balanço da Temporada: Enlightened – 1ª temporada

Um clássico exemplo de uma série que somente vingaria na televisão à cabo (isto é, ter pelo menos uma temporada completa exibida), sendo transmitida pelo canal HBO, Enlightened, chama a atenção por resgatar para os holofotes a ótima atriz Laura Dern (naquela idade onde as atrizes sempre reclamam dos papéis oferecidos), também criadora da série, junto com ator/roteirista Mike White (que tem em Por Um Sentido na Vida, com Jennifer Anniston, seu roteiro cinematográfico mais reconhecido). Já Laura Dern deve ser mais conhecida do público na cinessérie Jurassic Park (esposa de Sam Neil), e pelos cinéfilos como habitual colaboradora do diretor cult, David Lynch, em filmes como Veludo Azul, Coração Selvagem e Império dos Sonhos.

O plot da série é bastante simples, logo nas primeiras sequências vemos Amy Jellicoe (Dern) sofrendo o que poderíamos chamar de um colapso nervoso em pleno escritório de uma multinacional farmacêutica, onde possui um bom cargo, afastada por problemas de saúde, Amy vai ao Hawaii se tratar num centro espiritual (evento que a série não retrata), vemos Amy somente quando retorna deste “afastamento” já com uma postura bastante diferente, tentanto aplicar no seu dia-a-dia (em casa com sua melancólica mãe, no lhe dar com seu ex-marido viciado e na empresa, onde já foi substituída e necessita chantagear o RH para acolherem novamente, claro que num outro setor denominado Congentiva!) os conceitos aprendidos no centro espiritual.

No entanto, se você acha que a série prega os conceitos de “auto-ajuda” está muito enganado, na verdade, a série tenta retratar esta busca incessante de Amy e as pessoas ao seu redor em encontrar suas verdadeiras identidades. Amy é uma mulher madura, recém-divorciada, que ainda gosta do seu ex, ou está tentando somente “curá-lo”, que volta a morar com a mãe e tem a necessidade de se sentir engajada em algo “maior” ou politicamente correto nos conceitos de sua nova doutrina, claro, que em sua rotina Amy vai levando fora e mais fora, nem mesmo sua mãe lhe dá o apoio psicológico necessário. É abusando da dramédia, muitas vezes, pesando mais para o drama, e com sequências de humor “vergonha alheia”, quando vemos como seus ex-colegas a tiram para louca e Amy não percebe, é que a série cativa.

Uma série para poucos, diga-se de passagem, mas bastante humana neste retrato da mulher contemporânea, muito bem defendida por Laura Dern, com um bom elenco de apoio, como Luke Wilson e Diane Ladd (mãe de Laura Dern na vida real e na série), com direção de Mike White (que faz seu colega de trabalho), Miguel Arteta (diretor de Por Um Sentido na Vida) e do veterano Jonathan Demme (diretor de já clássicos O Silêncio dos Inocentes e Filadélfia), a primeira temporada de Enlightened (algo como Iluminada) é composta por 10 episódios de meia hora.

Tags: ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: