Archive for junho \28\UTC 2013

Destaques da Semana em DVD/BluRay (24 à 28/06)

28/06/2013

codigosCódigos de Defesa: os rumos da carreira do bom ator Jonh Cusack me assustam, vai de ator cool (Alta Fidelidade), passando por participações projetos alternativos (Quero Ser John Malkovich) à galã de blockbusters (2012), além de toda esta carreira eclética, vez por outra ele também se aventura em filmes de gênero com cara de filmes B, como este suspense. O filme permaneceu inédito em nossos cinemas (menos mal!). Na trama, um agente de elite tem sua coragem testada pelos superiores quando estraga sua última missão. Como resultado, é despachado para um campo britânico, onde ele terá de proteger uma especialista em código cifrados.

onegociadorO Negociador: outro ator carismático que anda em baixa, até teve seu nome “ventado” para uma série televisiva, normalmente o local onde bons nomes esquecidos pelo cinema tem a possibilidade de uma redenção, Brendan Fraser se une ao diretor de Hotel Ruanda e Traídos pelo Destino (que andava um pouco sumido), Terry George, nesta comédia dramática que permaneceu inédita nos cinemas. Na trama, Jimbo é um jovem pai desesperado que precisa saldar suas dívidas de jogo ou, então, perder o filho bebê para um gangster. Para resolver seus problemas, ele resolve realizar um assalto a uma loja de calçados e fazer o dono do local como refém.

hemingwayHemingway and Gellhorn: telefilme, se não me engano, do canal HBO, com ares de superprodução, reunindo o ótimo diretor Philip Kaufman aos atores Clive Owen e Nicole Kidman, como os personagens título. Na trama, a história de amor do escritor Ernest Hemingway (Clive Owen) com a jornalista Martha Gellhorn (Nicole Kidman), durante a Guerra Civil Espanhola.

Anúncios

Destaques da Semana em DVD/BluRay (17 à 21/06)

20/06/2013

cesarCésar Deve Morrer: direção e roteiro de Paolo Taviani e Vittorio Taviani, passou rapidamente pelo circuito arte, mas teve ótima repercussão junto à crítica. Na trama,  a cortina se fecha abruptamente por trás de César (Giovanni Arcuri), Brutus (Salvatore Striano) e os outros personagens. Depois dos aplausos, os “atores”, todos detentos da prisão de segurança máxima Rebibbia, em Roma, sentem-se orgulhosos e tocados. Sem se preocupar em saber quais foram os crimes cometidos por aqueles homens, a dupla de diretores realizou os ensaios da peça Júlio César na prisão por seis meses. O paralelo entre esse drama clássico e o mundo de hoje mostra como a universalidade de Shakespeare ajuda os detentos a entenderem as próprias questões.

barbaraBárbara: filme alemão que teve exibição nos cinemas, outro que passou rapidamente, tem a direção de Christian Petzold. Na trama, durante a Guerra Fria, médica da Alemanha Oriental é transferida, por motivos políticos, para uma cidade do interior. Mas, mesmo muito vigiada, ela planeja uma fuga com ajuda de seu amante da Alemanha Ocidental.

colegasColegas: longa nacional que conseguiu uma boa repercussão nas mídias sociais quando um dos atores fez campanha para conhecer Sean Penn, deve ser um bom “feel good movie”. O filme aborda de forma inocente e poética coisas simples da vida, sob o ponto de vista de três jovens com síndrome de Down – Stalone (Ariel Goldenberg), Aninha (Rita Pokk) e Márcio (Breno Viola) -, colegas que se comunicam basicamente por meio de frases célebres do cinema, resultado dos anos em que trabalharam na videoteca do Instituto Madre Tereza, local onde viviem. Um dia, inspirados pelo filme Thelma & Louise, resolvem fugir no velho carro do jardinheiro Arlindo (Lima Duarte) em busca de seus sonhos: Stalone quer ver o mar, Márcio quer voar e Aninha busca um marido pra se casar. Nesta viagem, enquanto experimentam o sabor da liberdade, envolvem-se em inúmeras confusões e aventuras como se a vida não passasse de uma eterna brincadeira.

PosterCinema Vai Q.inddVai que Dá Certo: outro nacional, mas agora mais uma comédia com atores globais e com a direção de Maurício Farias. A história narra o reencontro de cinco amigos de adolescência que compartilham a frustração de não terem alcançado o sucesso que projetaram para suas vidas. A possibilidade de recuperar o tempo perdido surge por meio de uma tentadora e arriscada proposta: o assalto a uma transportadora de valores. O crime (quase), que prometia transformar suas trajetórias, cumpre o seu propósito, mas não exatamente como planejaram.

Poster Cinema 1a Bullet To The Head.inddAlvo Duplo: parece que a volta por cima de Stallone deve ficar restrita a sua nova franquia Os Mercenários, pois este novo filme tem a direção do experiente diretor de Walter Hill e mesmo assim, passou em branco tanto aqui como nos Eua. Na trama, depois de verem seus parceiros morrerem, o matador de aluguel Jimmy Bobo (Sylvester Stallone) e o detetive de polícia Taylor Kwon (Sun Kang), de Nova York, formam aliança para se vingar do responsável pelas mortes, nas ruas de Nova Orleans e nos bastidores de Washington.

Behind the Candelabra

18/06/2013

behindBehind the Candelabra é uma produção da HBO americana com direção de Steven Soderbergh (diretor do recente Terapia de Risco e mais uma dezena de filmes), roteiro de Richard LaGravenese (diretor/roteirista de filmes “água com açúcar” como P.S Eu Te Amo e Dezesseis Luas) e protagonizada por Michael Douglas e Matt Damon, ao contrário do que normalmente acontece em filmes produzidos diretamente para a televisão, quase um subgênero, Behind The Candelabra é bastante “cinematográfico”!

O filme tem inúmeras qualidades como, uma direção de arte luxuosa, um roteiro bastante equilibrado e atores entregues em papéis que, facilmente, poderiam cair na caricatura, assim é um belo filme televisivo que nos faz refletir para onde andará a produção cinematográfica nos próximos anos. Como projetos considerados mais difíceis de serem apreciados por um grande público (considerando que o público alvo nos cinemas atuais são os adolescente e jovens) encontrarão um meio de serem produzidos? Baixos orçamentos, parcerias internacionais, serviços on demand  e/ou tevê a cabo?

A saída para Soderbergh foi associar-se à televisão a cabo, obtendo uma excelente parceria com o canal HBO, ainda o melhor qualificado dentre seus concorrentes. Assim, minha surpresa foi observar como tudo em Behind the Candelabra é cinematográfico, cenários, fotografia, figurino e maquiagem são os principais destaques nos quesitos técnicos do filme, já minha maior surpresa é como o roteiro de LaGravenese consegue equilibrar um recorte biográfico do artista de sucesso, o pianista Liberace (Douglas), particularmente não conhecia sua trajetória, tendo como foco seu(s) relacionamento(s) às escondidas com homens mais jovens, especificamente o co-protagonista Scott Thorson (Damon), também autor do livro no qual se baseia o filme.

O roteiro não se permite julgamentos e questões de “quem usou quem” na relação, apesar de verificarmos que tratava-se de uma relação simbiótica, onde Liberace necessitava de juventude ao seu redor (ela já era velho) e Scott buscava uma estabilidade emocional e financeira de um jovem que viveu em lares adotivos, não esquecendo que a trama se passa no final dos anos 70 início da década de 80, quando o preconceito contra os gays era latente e a questão envolvendo a AIDS ainda não assombrava a população.

Me surpreendeu a entrega de Michael Douglas, numa criação arriscada, mas acertada, lembrando muito Elton John, sendo que o mais surpreendente é pensar como a mídia e público na época não notavam a afetação do músico que bancava uma imagem de heterossexual em busca de uma mulher especial; já Matt Damon, com certeza, tem um dos seus maiores desafios, mudando completamente o biotipo de seus últimos personagens (herois silenciosos e atormentados), criando um personagem verossímil devido à sua fragilidade emocional.

P.S: o que é o personagem de Rob Lowe! E a plástica que não deixa o olho fechar, engraçado e bizarro!

BEHIND THE CANDELABRA : 8,0

Direção: Steven Soderbergh

Roteiro: Richard LaGravenese

Com: Michael Douglas, Matt Damon, Scott Bakula e Debbie Reynolds. 118 min

Destaques da Semana em DVD/BluRay (10 à 14/06)

14/06/2013

infanciaInfância Clandestina: passou rapidamente pelos cinemas este recente filme argentino lançado em 2011, que conta com a direção de Benjamin Ávila, e chega agora em home video cercado de boas críticas e algumas premiações. Na trama, em 1979. O menino Juan (Teo Gutiérrez Romero), de 12 anos, vive na clandestinidade da mesma maneira que seus pais e seu tio Beto (Ernesto Alterio). Na escola, ele é conhecido como Ernesto e encontra María (Violeta Palukas), de quem sabe apenas o nome.

hitchHitchcock: fragmento biográfico do excelente diretor Alfred Hitchcock, mais precisamente, os bastidores da concepção e filmagem de Psicose, tendo como perspectiva a vida privada de Hitchcock e sua esposa, meio que seu porto seguro, e sua vida profissional. Confesso que o mais interessante, pois o filme é meio irregular, são algumas curiosidades sobre um dos filmes mais emblemáticos do mestre do suspense. A trama mostra os bastidores de Psicose, de Alfred Hitchcock (Anthony Hopkins) e o relacionamento entre o diretor e sua esposa Alma Reville (Helen Mirren) durantes as filmagens em 1959. Das dificuldades financeiras para realizar o filme às lutas do diretor com as edições de Hollywood, Hitchcock retrata o desejo do diretor de provar para seus críticos, sua mulher e para si mesmo de que ele ainda tinha um limite. E podia atingi-lo.

cacaCaça aos Gângsteres: mais um filme da série “elenco demais, filme de menos”, talvez culpa do próprio estúdio e produtores pois largaram um filme de máfia nas mãos de um diretor novato,  Ruben Fleischer de Zumbilândia, em nada identificado com o forte gênero, além disso, o roteiro meio que cria estereótipos para todos os personagens, assim pouco os atores têm a fazer em cena, uma pena, é um belo elenco! Los Angeles, 1949. Impiedoso, o rei do crime Mickey Cohen (Sean Penn), nascido no Brooklyn, comanda a cidade recebendo os lucros desonestos das drogas, armas e prostituição e, se tudo ocorrer conforme ele deseja, de todas as apostas feitas a oeste de Chicago. E faz tudo isso não apenas com a proteção de seus capangas, mas também de policiais e políticos sob o seu controle. É o suficiente para intimidar até mesmo o mais corajoso e durão dos tiras… a não ser que ele faça parte da pequena equipe secreta de policiais alheia ao Departamento de Polícia de Los Angeles, liderada pelos sargentos John O’Mara (Josh Brolin) e Jerry Wooters (Ryan Gosling), que se unem para tentar acabar com Cohen.

asagacreA Saga Crepúsculo: Amanhecer – parte 2: nem vou tecer comentários sobre o filme, pois tenho restrições ao universo criado, porém esperava que , no mínimo, houvesse uma grande batalha no confronto final, o que até houve, mas a saída dramatúrgica adotada é de dar pena! Bom, pelo menos, acabou, espero que os próximos “Crepúsculos” venham embalados em melhores roteiros e atores! Isto que admirava Kristen Stewart em sua carreira pré-Crepúsculo. Na trama, depois do nascimento de Renesmee, filha de Bella Swan (Kristen Stewart) e Edward Cullen (Robert Pattinson), os Cullen se reúnem a outros clãs de vampiros para proteger a criança dos Volturi.

durodematarDuro de Matar: Um Bom Dia para Morrer: outro ator que poderia escolher melhor seus projetos é Bruce Willis, sendo um ator bastante carismático e esforçado, quando bem dirigido sempre entrega um bom trabalho, porém quando resolve “pagar a hipoteca” temos isto, mais um filme da franquia que se perde no tempo e espaço, tornando-se irrelevante dentro da boa cinessérie que catapultou a carreira do ator nos idos anos 80. Na trama,  John McClane (Bruce Willis) vai para a Rússia resgatar o filho Jack (Jai Courteney) da prisão. Com um relacionamento complicado, John e Jack terão de trabalhar juntos para se manter vivos e evitar que uma parte sombria de Moscou consiga controlar armas nucleares.

ofilhoO Filho do Outro: na trama, enquanto prepara-se para ingressar no exército de Israel e prestar o serviço militar, Joseph descobre que não é filho biológico de seus pais e foi trocado no nascimento com Yacine, criança de uma família palestina na Cisjordânia. A vida dessas duas famílias é subitamente abalada por essa revelação que as obriga a reconsiderar suas identidades, seus valores e crenças.

viuvasViúvas: melodrama argentino com cara de novela brasileira (a la Manoel Carlos), que não teve uma recepção positiva da crítica nacional. Na trama, documentarista reconhecida, Elena (Graciela Borges) recebe um estranho telefonema numa manhã, avisando que seu marido Augusto passou mal e foi internado. Já no hospital, ela descobre que a autora da ligação é Adela (Valeria Bertuccelli), jovem amante de seu marido. Enquanto tenta assimilar a revelação, Elena ainda promete atender o último desejo de Augusto: cuidar de Adela.

Destaques da Semana em DVD/BluRay (03 à 07/06)

06/06/2013

killerKiller Joe – Matador de Aluguel: talvez a melhor surpresa no ano passado vindo de terras americanas, mesmo tendo seu lançamento somente este ano por aqui; o afastamento do cinema “hollywoodiano” do diretor William Friedkin lhe fez muito bem, diretor clássico de filmes como O Exorcista e Operação França, para citar somente dois exemplos, nos brindou com duas pequenas pérolas nestes últimos anos, Bug (que me nego a chamar de Possuídos, com Ashley Judd fenomenal) e Killer Joe (também dispenso o subtítulo nacional), onde Friedkin retrata personagens riquíssimos, claro que no mal sentido de comportamento social, em uma situação bizarra num ambiente mais bizarro ainda, lembrando filmes da filmografia dos irmãos Coen, imperdível. Além disso, Friedkin consegue comprovar que Matthew McConaughey pode ser um bom ator e nunca mais olharei para uma coxinha de frango na mesma maneira! Na trama,  Chris Smith (Emile Hirsch) procura seu pai Ansel (Thomas Haden Church) com uma proposta: matar sua mãe Sharla (Gina Gershon), de quem Ansel é separado. Assim, eles podem resgatar um seguro de vida que está no nome de sua irmã mais nova, Dottie (Juno Temple). Assim, contratam o matador Joe Cooper (Matthew McConaughey), mas, como não têm dinheiro para pagar o serviço à vista, ele exige um depósito: Dottie.

osmiseraveisOs Miseráveis: fazia algum tempo que não via uma adaptação de Os Miseráveis, digo isto pois, não lembrava de detalhes de sua trama, lembrava mais da obsessão de Javert por Valjean e claro, como musical, da música interpretada por Fantine, assim digo, mesmo o diretor Tom Hooper se mostrando mais uma vez um diretor com limitações, não sabendo filmar elegantemente uma trama clássica, tentando incorporar maneirismos de Baz Luhrmann, o que não consegue, a trama de Os Miseráveis consegue andar com as próprias pernas (talvez por se tratar de um novelão assumidamente) e contar com alguns acertos no elenco (o que não inclui Russell Crowe). Na trama, França do século 19, o ex-prisioneiro Jean Valjean (Hugh Jackman) é perseguido há anos pelo implacável policial Javert (Russell Crowe), depois que ele violou sua liberdade condicional ao roubar os candelabros de prata da igreja. Anos depois, agora rico e com uma nova identidade, Valjean conhece Fantine (Anne Hathaway), uma de suas ex-funcionárias de sua fábrica, que implora a ele que cuide de sua filha Cosette (Isabelle Allen). O encontro entre os dois muda suas vidas para sempre.

joaoemariaJoão e Maria: Caçadores de Bruxas: nossa! me avisem quando esta modinha de adaptação de fábulas passar, pois ainda não deu para salvar um único filme da safra que todos os estúdios americanos tentam pegar onda! Aqui, parece aqueles filmes B, tamanha falta de investimento da produção, lembrando que a maquiagem das bruxas parecem de episódios de Power Rangers. Nem mesmo o elenco consegue salvar o filme, não sei como Jeremy Renner, que anda tendo a oportunidade de participar de grandes filmes americanos (tanto de repercussão com a crítica quanto de bilheteria) aceitou participar desta barca furada! Na trama, depois de pegarem um gostinho por sangue quando crianças, João (Jeremy Renner) e Maria (Gemma Arterton) se tornaram vigilantes extremos, determinados a defender seu povo. Agora, sem que eles saibam, João e Maria passam a ser a caça e têm de enfrentar um mal muito maior do que as bruxas: seu passado.