Behind the Candelabra

behindBehind the Candelabra é uma produção da HBO americana com direção de Steven Soderbergh (diretor do recente Terapia de Risco e mais uma dezena de filmes), roteiro de Richard LaGravenese (diretor/roteirista de filmes “água com açúcar” como P.S Eu Te Amo e Dezesseis Luas) e protagonizada por Michael Douglas e Matt Damon, ao contrário do que normalmente acontece em filmes produzidos diretamente para a televisão, quase um subgênero, Behind The Candelabra é bastante “cinematográfico”!

O filme tem inúmeras qualidades como, uma direção de arte luxuosa, um roteiro bastante equilibrado e atores entregues em papéis que, facilmente, poderiam cair na caricatura, assim é um belo filme televisivo que nos faz refletir para onde andará a produção cinematográfica nos próximos anos. Como projetos considerados mais difíceis de serem apreciados por um grande público (considerando que o público alvo nos cinemas atuais são os adolescente e jovens) encontrarão um meio de serem produzidos? Baixos orçamentos, parcerias internacionais, serviços on demand  e/ou tevê a cabo?

A saída para Soderbergh foi associar-se à televisão a cabo, obtendo uma excelente parceria com o canal HBO, ainda o melhor qualificado dentre seus concorrentes. Assim, minha surpresa foi observar como tudo em Behind the Candelabra é cinematográfico, cenários, fotografia, figurino e maquiagem são os principais destaques nos quesitos técnicos do filme, já minha maior surpresa é como o roteiro de LaGravenese consegue equilibrar um recorte biográfico do artista de sucesso, o pianista Liberace (Douglas), particularmente não conhecia sua trajetória, tendo como foco seu(s) relacionamento(s) às escondidas com homens mais jovens, especificamente o co-protagonista Scott Thorson (Damon), também autor do livro no qual se baseia o filme.

O roteiro não se permite julgamentos e questões de “quem usou quem” na relação, apesar de verificarmos que tratava-se de uma relação simbiótica, onde Liberace necessitava de juventude ao seu redor (ela já era velho) e Scott buscava uma estabilidade emocional e financeira de um jovem que viveu em lares adotivos, não esquecendo que a trama se passa no final dos anos 70 início da década de 80, quando o preconceito contra os gays era latente e a questão envolvendo a AIDS ainda não assombrava a população.

Me surpreendeu a entrega de Michael Douglas, numa criação arriscada, mas acertada, lembrando muito Elton John, sendo que o mais surpreendente é pensar como a mídia e público na época não notavam a afetação do músico que bancava uma imagem de heterossexual em busca de uma mulher especial; já Matt Damon, com certeza, tem um dos seus maiores desafios, mudando completamente o biotipo de seus últimos personagens (herois silenciosos e atormentados), criando um personagem verossímil devido à sua fragilidade emocional.

P.S: o que é o personagem de Rob Lowe! E a plástica que não deixa o olho fechar, engraçado e bizarro!

BEHIND THE CANDELABRA : 8,0

Direção: Steven Soderbergh

Roteiro: Richard LaGravenese

Com: Michael Douglas, Matt Damon, Scott Bakula e Debbie Reynolds. 118 min

Tags: , , , , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: