Lugares Escuros

lugaresescuros

Não sei em que momento os produtores compraram o direito sobre a adaptação cinematográfica do livro “Dark Places” de Gillian Flynn, porém o sucesso de público e crítica de “Gone Girl”, aqui conhecido como Garota Exemplar, gerou uma promoção gratuita para os produtores, pois não sei se sem a repercussão de Garota Exemplar, com o nome de Gillian Flynn estampado no cartaz, esse suspense alcançaria repercussão similar. No entanto, o elenco reunido para o filme é extremamente feliz, o mesmo não podendo dizer do roteirista/diretor Gilles Paquet-Brenner (de A Chave de Sarah).

Para um suspense que tem como fonte o mesmo tipo de suspense observado em Garota Exemplar, o suspense familiar (com forte tendência a ser uma sessão Supercine, quando mal realizado), nota-se que a falta de um diretor melhor qualificado faz total diferença, além da diferença que é ser adaptado pela própria escritora, no caso de Garota Exemplar.

O filme até inicia bem apresentando Libby (Charlize Theron, bastante dedicada ao papel) de uma maneira bastante convincente e verossímil, ela é uma jovem adulta “fudida”, cleptomaníaca, com problemas de espaço físico (ninguém pode lhe tocar) e que vive de doações de estranhos para um fundo após o trauma familiar em sua infância, ou seja, uma personagem completamente fora dos padrões de mocinha de filme de suspense (o que me lembra o casal protagonista de Garota Exemplar que, também vivia uma vida à parte da imagem esperada deles).

A ideia do clube de investigação, também me pareceu uma ideia bacana (querer retomar a verdade por trás do Massacre de Kansas) uma boa desculpa para fazer a protagonista relembrar dos eventos, os quais ela tem pouca memória e que acabaram colocando o seu irmão na prisão acusado de ter sido o responsável pelos assassinatos, porém, o clube de investigação, representado pela figura de Nicholas Hoult (também dividindo a cena com Charlize em Mad Max), logo sai de cena e perde relevância em seguida na trama.

Como, normalmente, acontece em literatura competente do gênero há bons coadjuvantes e todos, como suspeitos/vítimas da trama central, ganham espaço no filme em determinado momento, no entanto, os flashbacks contínuos e intercalados ao tempo real da trama, quebra demais a dinâmica do filme, sendo que em determinado momento, na reta final, os flashbacks são muito mais interessantes do que o andamento atual.

O roteiro peca ao final, quando a trama se torna complexa demais para uma simples resposta (quem matou?), e para isso, corre apresentando personagens de maneira superficial como, por exemplo, a versão adulta de Diondra (também irregular na adolescência quando nas mãos de Chloe Grace Moretz) e sua filha.

Obs.: Me chamou a atenção nas tramas de Gillian Flynn, as duas já adaptadas ao cinema, as personagens femininas fortes e manipuladoras, interessante esse viés da autora em seus livros, enquanto isso, os homens são losers e/ou passivos, apenas espectadores da ação das mulheres.

LUGARES ESCUROS: 6,0

Direção e roteiro: Gilles Paquet-Brenner

Com: Charlize Theron, Nicholas Hoult, Chloe Grace Moretz, Tye Sheridan, Christina Hendricks, Corey Stoll, Andrea De Matteo, Andrea Roth. 113 min

 

Anúncios

Tags: , , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: