Archive for the ‘Heroes’ Category

Temporada 2009/10 – Premieres 2ª semana

22/09/2009

bones Bones 5ª temporada: depois da equivocada season finale passada, onde a trama se passava na mente de Booth em coma, a série reinicia exatamente com o retorno do mesmo para o trabalho e de Brennan voltando de viagem. O bacana do episódio trivial para a série (talvez Bones seja uma das séries de procedimento mais estáveis em termos narrativos) seja a surpreendente participação da cantora Cindy Lauper, segurando muito bem o papel de vidente que indica corpos enterrados e um possível envolvimento entre Booth e Brennan. O que achei meio estranho foi utilizar Sweets para criar uma situação onde Booth se encontra apaixonado por Brennan em função de seu coma, quando sabemos que sempre houve uma tensão sexual entre os personagens. No mais está tudo no seu devido lugar na série!

fringeFringe 2ª temporada: Fringe foi uma das melhores séries na segunda parte da temporada passada, isto é, de março até sua finale em maio, soube criar casos interessantes e construir uma mitologia, extremamente, curiosa quando do encontro de William e agente Olivia num universo paralelo. Nesta volta da série, pouco ficamos sabendo do que houve neste encontro, no entanto, começando pelas sempre excelentes aberturas, somos apresentados aos novos soldados transmorfos, que conseguem se comunicar com o universo paralelo por uma máquina de escrever junto a um espelho (muito bem bolado). No mais, as ótimas tiradas de Walter, uma politicagem para fechar a força tarefa (dando mais destaque a Broyles) e o gancho final com o agente Francis, já esperado em função das notícias dos últimos meses.

Acho que a série tem um caminho bastante interessante para a temporada, principalmente, no que se refere à mitologia que está criando, a lamentar o horário com forte concorrência (Grey’s Anatomy, CSI, Supernatural e The Office) que a série enfrenta, que pode prejudicar planos mais ambiciosos dos roteiristas ou até mesmo sua renovação pela Fox.

tbbt The Big Bang Theory 3ª temporada: a volta da série veio cheia da expectativa pela série ser a sitcom mais engraçada atualmente, pelo menos para mim, em termos de audiência ainda perde para Two and A Half Man, o que pode mudar nesta temporada, afinal as séries estão em horários seguidos. A indicação de Jim Parsons, Sheldon, deu um gás e bastante vitrine para a série.

Neste retorno, tivemos a volta da turma da viagem com uma grande surpresa para Leonard, que arrebatou o coração de Penny. Já Sheldon descobre que os resuktados de suas pesquisas foram forjados pelos seus próprios amigos e, por vergonha, pede demissão da universidade, assim acabamos por conhecer sua mãe, uma dona-de-casa religiosa, que gera inúmeros diálogos engraçados com seu filho cientista Sheldon. Ótimo episódio para o início da temporada.

himymHow I Met Your Mother 5ª temporada: este novo Friends (dada as devidas proporções), pode não ser tão engraçado com TBBT, mas o carinho pelos persongens e a dinâmica entre eles, continua um show a parte.

Neste retorno, temos o primeiro dia de aula para o, agora, professor Mosby, e Lily tentando que Robin e Barney (ainda com os melhores diálogos da série), tenham uma conversa sobre a definição do relacionamente deles. Acho que a série conseguiu na temporada passada sua estabilidade em audiência (mesmo não sendo sua melhor temporada), principalmente, em virtude do sucesso do personagem Barney Stinson e seu intérprete, Neil Patrick Harris, no entanto, a trama precisa avançar no contexto de Ted encontrar a mãe de seus filhos, esta trama já está se esgotando e, sinceramente, não acho tão primordial para a série assim.

imagesheroes Heroes 4ª temporada: se hoje tivesse que abandonar alguma série, esta tranquilamente seria Heroes, impressionante como a série não consegue estourar desde a primeira temporada, pode até fazer sucesso com a gurizada em termos de audiência de download, mas em audiência na televisão seus números são bastante preocupantes. Tim Kring, o criador, não consegue fazer a trama evoluir de forma coerente e adulta, aqui faço um paralelo com outra série de fantasia para o público jovem, Supernatural. Quem acompanha a série, que possui somente 2 personagens fixos, observa que nestes cinco anos a trama avançou e os personagens evoluiram de maneira coerente, sem perder o humor, drama e o suspense. Já em Heroes não sei o que acontece, nada parece funcionar como um todo.

Abrindo a temporada inicia o quinto volume, com a chegada de T-Bag, ou melhor Samuel e sua trupe, uma comunidade que trabalha num parque, que estão atrás de uma bússola que se encontra com Danko, os demais personagens estão na mesma, Nathan/Sylar começa a presentar problemas; Parkman está tentando evitar seus poderes, como se fosse um vício, mas vem sendo atormentado por Sylar; Claire foi para faculdade e já tem problemas e Peter se tornou paramédico que utiliza seus poderes oara tentar salvar o maior número de pessoas. E é isto, nada de mais acontece nesta premiere dupla, fica difícil criar expectativa de que algo melhore neste volume.

Anúncios

Balanço da Temporada: Heroes – 3ª Temporada

04/05/2009

*** contém spoilers

Chega a ser impressionante o vacilo do criador, Tim Kring, e dos roteiristas da série nesta temporada, um dos shows mais hypados da tevê americana e da internet viu sua audiência amargar 6 milhões de espectadores (em sua estréia eram perto de 12), somente conseguindo sua renovação mais pela força da mídia do que por qualidade. Talvez das séries que assisto atualmente, Heroes seja a mais frágil, na minha opnião, chego a sentir vergonha alheia pelas tramas e personagens. Você pode se perguntar porque continuo assistindo a série? Minha resposta talvez seja para ver o quanto conseguem estragar uma série com tamanho potencial quanto Heroes.

heroes-3a-temporadaA 3ª temporada foi dividida em dois volumes, 4 e 5 acho eu, nem lembro mais, mas que atenderam pelos, respectivos, nomes: Villains e Fugitives. Sinceramente, refletindo sobre a série, é impressionante os erros da trama, parece coisa de tevê amadora, falta um quesito básico para a série: FOCO. Em momento algum, radicalmente falando, as storylines dos personagens parecem servir para algo maior do que a enrolação daquele momento, como exemplo, reparem a diferença conceitual das viagens no tempo em Heroes e em Lost (não serve de desculpa apontar que uma série é mais “séria” enquanto a outra seria mais aventuresca!).

Está mais do que na hora de Tim Kring parar de se desculpar pelas falhas da série e trabalhar melhor as tramas e, principalmente, os personagens. Não consigo entender a dificuldade de se desfazer dos personagens originais da série, parece que Kring assinou contrato vitalício com os atores, somente isto justifica ainda a presença de personagens como Mohinder, Tracy/Nikki a até mesmo, de Matt Parkman, personagens que, com total franqueza, já cumpriram seu papel na série. Isto parece tão absurdo de ser dito, mas o universo de Heroes comporta tanto personagens que não entendo este apego dos produtores pelos personagens, nem estou entrando no mérito da qualidade dos atores que interpretam os mesmos (outra grande falha da série).  A título de comparação, reparem na diferença de dimensão dramática de personagens como Sylar, Bennet e, até mesmo, da recente adição de Zeljko Ivanek, em comparação aos demais.

Acredito que o retorno do roteirista Bryan Fuller (que participou da 1ªtemporada e retornou na final desta, após o cancelamento da belíssima Pushing Daisies), possa ser considerado o caminho da série de volta aos trilhos após dezenas de episódios insonssos e vazios, o que Heroes necessita para voltar ao patamar da 1ª temporada é se focar num arco de episódios que tenham aventura e drama na medida certa, personagens interessantes e storylines que acrescentem à trama, que sirvam de evolução aos personagens, chega de “apatralhadas” de Hiro e Ando, briguinhas da família Petrelli e outras coisas menores. O final desta temporada, com o retorno da Companhia, o surgimento de Sylar/Nathan já são um bom motivo para dar uma espiada em seu retorno, se este conflito será bem trabalhado na série, não sei, mas pelo menos, já surgiu uma trama bem mais interessante que duas temporadas inteiras (claro que dispenso o momento ressurreição de Tracy/Nikki), mas fazer o que estamos falando de Heroes, o guilty pleasure da temporada 2008/09.