Fringe – 4ª temporada (FINALIZADA)

s04e01 Neither Here For There – Apenas uma semana após Peter Bishop ter salvo o dia e ter sido banido da existência, as tréguas entre os dois mundos permanece intacta e os dois lados são forçados a trabalhar em conjunto. Lincoln Lee entra na equipe Fringe enquanto eles investigam um caso de um metamorfo que é muito pessoal para ele; esta simples sinopse parece servir mais como um reboot da série, não sei até quando, pois vemos claramente que tanto Walter quanto Olivia sentem falta de algo (pior para Walter que ainda está sendo assombrado), fica a curiosidade de ver até quando esta dinâmica dos dois mundos irá aguentar. Gostei do novo layout da abertura, agora em tons amarelos, e o que será que fez o Observador voltar atrás em sua decisão!

s04e02 One Night in October – interessante como os roteiritas estão trabalhando a ausência de Peter e, ao mesmo tempo, ele está lá o tempo todo, como nas visões/audições de Walter e nos casos investigados por Olivia e OliviaB. Uma coisa me chamou a atenção aqui, quando Olivia vai dar apoio ao Lado B, que persegue um serial killer e, gostariam de conhecer a versão dele no lado A (um estudioso de casos forenses), e vemos novamente Broyles vivo, Olivia B ainda namorando Frank, entre outras coisas ratificando a inexistência de Peter. Quero ver como vão solucionar este imbroglio! Muito bom o caso da semana, inesquecível o relato sobre Marjorie (alguém lembrou de Dexter?) e a solução final foi espantosa para mim!

s04e03 Alone in the World – até mesmo para mim, cria de Arquivo X, achei muito exagerado este caso da semana, sobre um fungo psiquico, que entrou na mente de um jovem garoto solitário, ficou difícil o roteiro conseguir embasar cientificamente o fenômeno. Porém, gosto quando a série busca no caso da semana elementos relevantes para a narrativa dos personagens, com certeza, o caso aqui foi de Walther que anda sofrendo muito, quase se “espetando” para evitar as alucinações, com isto acabamos descobrindo que Peter morreu após a queda no gelo, quando Walter o roubou do Lado B, assim, ele não identifica as alucinações como sendo de Peter, nem mesmo Olivia que anda sonhando com a figura dele.

s04e04 Subject 9 – Uma estranha energia azul, que atrai objetos metálicos, persegue Olivia,  ameaçando sua vida. Ao investigar o fenômeno, Walter lembra de uma das crianças do experimente, colega de Olivia criança, que tinha este poder de atrair metais. O tempo é curto para que Walter e Olivia descubram quem está causando esse estranho fenômeno. E com que objetivo. Assim, em menos de 4 episódios vemos o retorno triunfal de Peter, que lembra de tudo e de todos, o mesmo não acontecendo com os demais, é muito bacana como a série consegue “embasar” estas viagens sci-fi dentro do contexto científico, sempre um show à parte, além disso, tivemos Walter com um pé no manicomio novamente, assim, se viu obrigado a trabalhar em campo com Olivia. Mais um otimo episodio!

s04e05 Novation – ansioso pelo retorno da serie pos-hiato, e meio que nada aconteceu, nao eh uma critica, mas Peter observando que ninguem o reconhece segura as pontas no peito, nao revela muita coisa e revela coisas pontuais, como a informacao sobre o shapeshifters, agora numa versao DNA, apesar de ainda se comunicarem atraves de um maquina da datilografar. Fica a pergunta quem seria agora o grupo por tras deles? Notaram os lapsos de tempo que tem ocorrido a cada episodio, que estranho, deve render algo no futuro. Alem disso, que interessante observar que Nina foi mae adotiva de Olivia e sua irma, toda esta nova realidade tras novas informacoes;

s04e06 And Those We’ve Left Behind – para mim, certamente o melhor episódio da temporada, soube aproveitar cada um dos personagens, com suas novas características, com exceção de Peter, construir uma teoria científica plausível para os eventos, que ainda tinham relação com a trama, além de novamente, investir numa trama dramática (amorosa) para a criação de experiências, assim como aconteceu com outro excelente episódio, White Tulip. Muito bom mesmo!

s04e07 Wallflower – Quando um homem morre misteriosamente por uma força invisível, o seu corpo rapidamente começa a transformar-se em um branco fantasmagórico. A equipe de Fringe descobre que este não é um incidente isolado, e não há evidência que liga o predador a alguém que faleceu com uma desordem genética desconhecida. Enquanto isso, Olivia sofre de enxaquecas. Apesar de ter achado a dinâmica do episódio lenta em demasia, achei muito interessante os roteiristas subverterem o conceito que tínhamos de Nina, como mãe adotiva de Olivia e sua irmã, na verdade, o gancho para mais um hiatus, agora Fringe somente em 2012, é a descoberta que Olivia continua sendo injetada com Cortexiphan, quais seriam as intenções e consequências deste experimento?

s04e08 Back To Where You’ve Never Been – Para tentar encontrar um caminho pra casa, Peter viaja para o outro lado a fim de pedir ajuda a Walternativo, mas essa perigosa empreitada acaba cruzando os interesses das Divisões Fringe de ambos os lados, fazendo com o caso dos shape-shifters 2.0 se torne ainda mais confusa e misteriosa. Enquanto isso, Olivia recebe uma premonição terrível de um dos Observadores. Episódio de retorno em 2012, infelizmente com uma audiência pífia, fazer o que? Na verdade achei o episódio muito moroso, lento e com poucas soluções aos problemas apresentados, pelo jeito Peter está mesmo num universo C e D (como alguns se referem na internet) e, talvez, a grade sacada seja trazer de volta Jones (o melhor vilão da série até aqui)!

s04e09 Enemy of my Enemy – agora o retorno de Jones é sabido de todos, tanto do lado C quanto do D, assim a grande vantagem destes universos é ter Peter com eles, pois o mesmo já derrotou o vilão. Assim está declarada a guerra, no entanto, a Divisão ainda não sabe que tanto Broyles do lado D quanto Nina do Lado C estão envolvidos com Jones, o que deve render ainda muita tensão. O episódio foi muito bom, voltando ao bom nivel da temporada, Peter se tornou o diplomata dos universos e Walter do lado C repensou sua relação com Peter depois da visita de sua mulher do lado D, numa bonita sequência, gostei muito!

s04e10 Forced Perspective – retornamos para o gancho do Observador avisando Olivia que ela ira morrer, assim quando uma jovem menina tem premonicoes de pessoas morrendo a Fringe Division aborda a garota e, mesmo a contragosto do pai, busca descobrir o que se passa, no entanto, quando um grande numeros de corpos sao vistos pela menina comeca um corre-corre para evitar a tragedia. Claro que as premonicoes da garota deixam a bola quicando para uma pergunta de Olivia que nao assimilou bem as palavras do Observador, que eles nao conhecem naquele universo. Apesar de filler gostei do personagem da menina e o final foi otimo!

s04e11 Making Angels – Astrid recebe uma visita inesperada, enquanto Peter e Olivia investigam um assassino usando uma toxina que ainda não foi inventada para, a princípio, evitar o sofrimento das pessoas. Toda esta questão envolve os Observadores. Mais um episódio de sutilezas onde o caso da semana converte para a mitologia da temporada, a questão de prever a morte (Olivia), viagem entre os universos (Observadores e o “vilão” da semana), tô muito curioso para saber onde estas questões vão levar o episódio. Gostei do espaço que deram para a atriz que faz Astrid!

s04e12 Welcome to Westfield – pois então os roteiristas resolveram apostar num universo A e B diferenciados com a ausência de Peter do que acrescentar novos universos C e D como parecia inicialmente, me surpreenderam! Mudanças no eletromagnetismo da área da cidade de Westfield preocupa os moradores, que aos poucos vão enlouquecendo e tomando a forma de seus alter-egos. A cidade corre forte risco de emergir com a mesma cidade do universo alternativo, e a missão de Walter, Peter e Olivia é descobrir uma forma de salvar os habitantes que não foram “infectados”. Olivia começa a ter memórias que não condizem com sua realidade atual, e tudo indica que o universo laranja nada mais é do que o universo azul com o qual estamos acostumados.

s04e13 A Better Human Being – que episodio bom, mais um que somente os fãs da série e meia dúzia de americanos acompanhamos, tivemos novamente um estrutura da caso da semana, os humanos abelhas, como apelidei, onde somente houve um equívoco, o rápido desfecho; já o mais importante que são nossos queridos personagens, foi show, Olivia literalmente voltou, assustando tanto Peter quanto Walter, assim tivemoa certeza de que estamos na dimensão correta, somente modificada, e com isto, descobrimos, o que eu já desconfiava, que era que a Nina era uma shapeshifter ou a do Lado B, e não a verdadeira Nina que acolheu Olivia nesta nova versão da dimensão. Ótimo gancho!!

s04e14 The End of All Things – último episódio antes do hiato que dura até o final do mês de março, quando já dava certo que o universo que estávamos vendo era somente uma versão sem Peter, depois deste episódio não sei mais nada, putz estes roteiristas!!! Bagunçou geral minhas teorias! Além de tudo isto tivemos a revelação sobre os Observadores, que são humanos vindos do futuro, que revelação bacana e ainda assim bastante científica, como de costume dentro da série. Ah como vão ter coragem de cancelar uma série como esta??

s04e15 The Short Story About Love – impressionante a viagem emocional que Fringe impõe aos seus personagens e, consequentemente, aos seus espectadores. Assim, num episódio que versa novamente sobre a intensidade do amor, para o bem ou para o mal (como no caso da semana), do nada e de surpresa descobrimos o grande mistério da temporada: afinal, em que universo está Peter? Descobrimos, e tudo o que envolve o mistério dos Observadores ainda continua interessante. Ah! Como Anna Torv está linda!

s04e16 Nothing as it Seems – os roteiristas de Fringe são corajosos, resgatar um caso da semana lá da primeira temporada, na época que a série ainda estava desenvolvendo sua mitologia, agora no novo universo, principalmente se considerarmos que todas aquelas bizarrices de experiências genéticas estiverem envolvidas diretamente com a figura de Jones, é um acerto fantástico na costura da série, tudo ganha uma nova dimensão e interpretação, até mesmo pela cena final. Além disso, o episódio teve uma conversa entre Peter e Lincoln bastante interessamte e uma storyline de deixar Olivia no banco de reservas pouco acertada, deixando o episódio regular apenas.

s04e17 Everything In Its Right Place – em mais um episódio genial, centrado agora no deslocamento de Lincoln, como deslocado na família Peter/Walter/Olivia, resolve ir ajudar o Lado B (finalmente ressurgindo) ao tentar encontrar David Robert Jones, no entanto, quando surge uma nova ameaça ao universo paralelo (onde começamos a observar que a parceria entre os universos está melhorando eventos físicos do Lado B, como diminuir as zonas de âmbar), envolvendo os shapeshifters, algo como o primeiro shapeshifter, Lincoln se sente em casa na Fringe Division B.

s04e18 The Consultant – Walter viaja para o universo alternativo para auxiliar na investigação de um evento Fringe com vínculos entre os dois universos. Enquanto isso, David Robert Jones revela seu próximo alvo. Episódio que juntou os dois universos de maneira orgânica, preciso mencionar como Anna Torv conseguiu criar duas Olivias distintas até mesmo pela feição e gestual, está incrível. Mais um excelente episódio, pena a audiência pífia da série, esperança numa 5ª temporada mais curta para terminar a trama de maneira plena!

s04e19 Letters of Transit – abençoado o fã de Fringe que nesta altura do campeonato é brindado com textos e situações riquíssimas (quesito qualidade) no que, num primeiro momento, poderia ser apenas uma série de ficção científica. Fringe brinca com referências pop, científicas e tecnológicas, mas nunca abre mão do sentimento humano, que faz os personagens moverem através de paixões e obsessões. Adorei a participação de Etta (super prevísivel, mas mesmo assim emocionante) o querido Desmond de Lost, a dupla nova de Fringe com um químcia interessante, Broyles envelhecido e “cansado”, os Observadores agora obsessivos, tudo funcionou no mundo apocalíptico da Fringe, uma pena a ansiedade pelo desfecho,  e o lamento por uma série tão ímpar mundialmente falando, não encotrar em seu público alvo – americano – o reconhecimento que merece (audiência)!

s04e20 Worlds Apart – As equipes de ambos os lados lutam por uma causa em comum, terremotos ao mesmo tempos em diversas localidades tanto do Lado A quanto do Lado B, e descobrem um desenvolvimento surpreendente ligado às crianças do Cortexiphan. Excelente ligação entre a mitologia da série em torno das experiências de Walter/Belly/Olivia com o tema da temporada que são as intenções de David Robert Jones, e o final surpreendentemente dramático!

s04e21 Brave New World (part 1) – Um misterioso evento Fringe leva as pessoas à combustão espontânea e Walter é forçado a revisitar seu passado doloroso. Enquanto isso, a equipe Fringe enfrenta David Robert Jones para salvar o mundo, ou os mundos. Assim, no penúltimo episódio descobrimos, claro que não foi uma revelação surpreendete, mas que Belly está por trás das vilanias neste temporada e, na verdade, deste novo Universo A. Este reboot de Fringe abriu possibilidades ímpar nesta temporada, não sei se os roteiristas escolheram as melhores, mas que foi uma viagem alucinante, isto foi! Além disso, vimos uma Olivia com poderes não antes utilizados, a participação de Rebecca Mader (a Charlote de Lost), que retorna de alguma maneira para a Season Finale, e o embate dos dois maiores gênios da série, Walter e Belly. O que será que isto renderá ao final, a morte de Olivia? de Astrid? o colapso do Universo? e os Observadores? tantas questões… a espera do próximo episódio!

s04e22 Brave New World (part 2) Season Finale – mesmo gostando bastante da season finale, confesso que o excelente episódio Letters of Transit acabou deixando este episódio como um anti-climax, pois já sabíamos de diversas informações antes de serem exibidas no episódio, desde o disparo em Astrid,. a “não morte” de Olivia antes de dar a luz a Etta até a não “concretização” do colapso desejado por Belly. Mesmo assim, os diálogos de Belly e Walther redondinhos com a mitologia da série (novamente, a retirada de partes do cérebro de Walther é citado), seu famoso sino, a mitologia em torno do cortexhipan e a informação da renovação do show para mais 13 episódios, agora centrado no Expurgo provocado pelos Observadores deixa uma sensação de ansiedade pela temporada que se anuncia! ps. muito boa sequencia de pós-morte de Jessica (Rebecca Mader), além de ser mais um mistério (como funciona a organização ao redor de Belly) seus olhos revirando daquela maneira ficou muito “freak”!

STATUS: RENOVADA PARA A 5ª TEMPORADA (SET/12) – 13 EPISÓDIOS.

2 Respostas to “Fringe – 4ª temporada (FINALIZADA)”

  1. Pamela Says:

    Comecei a ver essa tem pouco tempo e ja estou terminando. Né arrependo de não er visto antes. A série é sensacional. O EP 19 foi digno de cinema. Muito perfeito. Pena que durou tão pouco.

  2. Paulo Jr Says:

    O bacana que pelo contexto e produção que apresentou Fringe será uma série atemporal, podendo ser descoberta a qualquer momento. Abs

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: