Prime Suspect US – 1ª temporada (FINALIZADA)

Criada por Lynda La Plante, a série inglesa foi exibida pelo canal ITV entre 1991 e 2006. Seu sucesso a nível internacional inspirou a produção de “The Closer”, uma versão leve e não oficial de “Prime Suspect“. Em 2009 foi anunciada a intenção de adaptar a produção para a TV americana. Um roteiro foi escrito por Hank Steinberg (Without a Trace), que em julho de 2010 foi substituído por Alexandra Cunningham (Desperate Housewives).

Um episódio piloto, com duas horas de duração, foi encomendado pela NBC para avaliação. No entanto, o projeto chegou a ser suspenso em março de 2010, visto que os produtores tiveram dificuldades de selecionar uma atriz que substituísse Helen Mirren, protagonista da série original. O projeto foi retomado em fevereiro de 2011, quando Maria Bello (Plantão Médico/ER) foi escolhida para interpretar a detetive de polícia Jane Timoney.

Na história, ela assume o cargo de Inspetora chefe da Homicídios de Nova Iorque, um lugar dominado por homens. Sua presença é rechaçada pelos demais colegas, que estão determinados a fazê-la desistir. Mas, ao invés disso, Jane enfrenta o desafio; seguindo seus instintos e apoiando seus colegas, ela vai aos poucos abrindo seu caminho. Entre seus colegas estão o Tenente Comandante Kenny Rowe (Aidan Quinn, de “Third Watch”);  Phil Carter (Kirk Acevedo, de “Fringe” e “Oz”), Don Korilko (Joe Nieves, de “How I Met Your Mother”), Augie Blando (Tim Griffith, de “Grey’s Anatomy”) e Reg Duffy (Bryan F. O’Byrne, de “Mildred Pierce”), detetives da homicídios. Na vida pessoal, ela mantém um relacionamento com Matt (Kenny Jonhson, de “The Shield” e “Saving Grace”), homem que constantemente enfrenta a ex-esposa nas decisões relacionadas ao único filho do casal. (Fernanda Furquim)

s01e01 Piloto – mais uma adaptação americana de uma série inglesa, bastante conhecida por ter como protagonista a ótima Helen Mirren (ganhadora do Oscar), no entanto, como normalmente acontece na Inglaterra, a série tem temporadas diferenciadas, normalmente, poucos episódios, quase telefilmes, e não sei o que os produtores planejaram para sua sobrevida americana (incluindo, o desgaste). Agora o canal NBC tenta encontrar um procedural forte para fazer companhia as suas comédias, para isto apostou em Maria Bello (E.R.), somente o futuro pode dizer se foi a escolha da atriz foi correta, num primeiro momento, acho que uma presença mais veterana podia trazer mais conflito a série. Um fator me chamou a atenção de “prima” no episódio foi o bom elenco masculino, temos Brian F. Byrne (FlashForward), Kirk Acevedo (Fringe), Ainda Quinn e Kenny Johnson (The Shield). Para quem não conhece a série, ela é a versão oficial de The Closer (que com o tempo abriu mão dos conflitos da chefe policial mulher e a equipe de detetives homens, abracando mais os métodos adotados por Brenda, perfeita nas mãos de Kyra Segdwick), uma detetive mulher (com fama de ter alcançado a transferência para a DP em funçãoo de um caso amoroso) que terá que lhe dar com um ambiente extremamente machista para se impor como detetive, além disso, a personagem enfrenta dificuldades em para de fumar e levar seu casamento. Também me chamou a atenção a violência gráfica no episódio (gracas a Deus com tematica mais adulta, até em função do horário – 22hs), e o forte bullying que a personagem sofre, é acompanhar para ver como os personagens serão desenvolvidos;

s01e02 Carnivorous Sheep – acho que a série tem potencial mas já vislumbro que o contexto de machismo/competição dentro do ambiente de trabalho não está conseguindo ser trabalhado de maneira adequada, precisa ser um storyline mais dinâmica, parece briguinha de criança, e o chefe nestas questões não pode simplesmente só fazer de conta que está tudo bem, precisa intervir e, daí, pode até mesmo deixar tudo pior, porque obviamente os detetives não tem razão alguma para “pegar no pé” de Jane. Sua vida particular começa a ganhar contexto também, com o aparecimento de um filho do seu marido/namorado. O caso envolveu o assassinato de uma mulher em seu apartamento e o sumiço de sua filha, logo todos passam a investigar o pai da criança (ex-marido) e os pedófilos da região, quem comanda a equipe é  o Detetive Reg, que obviamente, deixa Jane com as “migalhas” do caso;

s01e03 Bitch – começo a lamentar pelo cancelamento da série, baixos indíces de audiência, mas ao mesmo tempo, é fácil observar como o roteiro se equivoca na estrutura elementar da série, primeiro que não se resolve sobre a implicância dos demais detetives com Jane, não há uma razão plausível para tal além de machismo, já a vida pessoal da Jane que deveria ser um outro fator preponderante fica muito de fundo da trama, qual o motivo do assalto ao bar de Jane que tomou conta de toda sequência inicial, estranho! E mais estranho é constatar que em The Closer, onde t[inhamos uma situação similar, os roteiristas foram muito mais felizes nos contextos de adaptação de Brenda, uma personagem mais carismática que Jane, que está começando a soar somente antipática. daí fica díficil uma série protagonizada por uma heroína de difícil identificação! No caso, tivemos o desaparecimento de uma jovem e o encontro de seu corpo, os suspeitos seu marido e um amante.

s01e04 Great Guy, Yet: Dead – Quando um corretor de boa aparência é morto misteriosamente, Jane automaticamente suspeita de sua esposa. Enquanto isso, Jane pede a ajuda de um hipnotizador para lutar contra seu vício de fumar. Matt fica furioso quando sua ex-esposa sugere Jane não deva ir à festa de aniversário de seu filho.

s01e05 Regrets, I’ve Had a Few – sei que é questão de tempo para o cancelamento da série (talvez até ganhe temporada completa como aposta do canal NBC), mas tenho que ser sincero ao afirmar que, mesmo não conhecendo a versão inglesa, sinto que as coisas não se encaixam direito no texto desta versão americana, já cheguei a conclusão que é o texto e direção, pois os atores são bacanas, um exemplo neste episódio, quando finalmente conhecemos “Deputy Chief” Costello que parece ter conseguido o emprego para Jane, nada de especial acontece, uma pena! Legítimo caso de desperdício de material! O caso envolveu a mortede uma jovem de classe baixa num parque da cidade com a comunidade tentando culpar a polícia, na investigação Jane é atrapalhada pelo tenente que ainda lhe tira homens da investigação, neste meio tempo, detetive Duffy é amaldiçoado por uma bruxa (rendendo boas piadas);

s01e06 Shame – 3, 2, 1… cancelamento, é so anunciarem, sei que pediram novos episódios, no entanto, a audiência é pífia nos Eua e nem mesmo o publico alvo é grande, muito pelo contrário, e ainda sim, os produtores erram no casos policiais, aqui uma ladra dopa suas vítimas para roubá-los, porém, anda errando nas doses e as vítimas são encontradas mortas, além disso, Jane ainda precisa aguentar as piadinhas machistas dos colegas. A série não consegue criar um elo de identificação da personagem com o público (como ocorrem com Brenda Leigh Johnson em The Closer), falta um arco dramático, seja ele qul al for, o namoro de Jane, a relação com seu pai ou mesmo com seus colegas e chefia, no entanto, isto precisa ser trabalhado de maneira adequada e com consequências. Do jeito que está fica muito estranho, é um desperdício de bons atores!

s01e07 Gone to Pieces – na semana na qual o canal NBC anuncia a paralisação da série (vulgo, cancelamento), a série apresenta um episódio tão fraquinho quanto este, lembrando inúmeras tramas a la SVU, inclusive por este motivo era muito fácil resolver o caso. Noto que neste episódio, possivelmente, de uma safra quando o show já estava no ar, os roteiristas procuraram criar mais storylines para os personagens masculinos, enquanto, Jane se ocupava do caso da semana, pois bem, nem uma coisa nem outra funcionaram de maneira harmoniosa, uma pena, mas a série é mesmo fraca!

s01e08 Underwater –não foi muito díficil, mas é o melhor episódio da temporada até aqui!

s01e09 The Great Wall of Silence – um atropelamento com morte e fuga do veículo e uma morte dentro de um apartamento por disparo de arma de fogo fazem o caso da semana, para piorar, levam os detetives (ainad não acertados no roteiro) para uma empresa de filmes pornôs, claro que as mortes têm uma causa em comum;

s01e10 A Gorgeus Music – Jane e equipe investigam dois casos, dando uma dinânica interessante ao episódio, uma tentativa de furto que acaba na morte de uma idosa e Jane acaba envolvida numa investigação com a máfia irlandesa.

s01e11 The Great Wall of Silence – a equipe investiga a morte de um empresário, ex-viciado em jogo, nos fundos de um restaurante em Chinatown, primeiramente, acreditam se tratar de alguma dívida de jogo, mas conforme as peças da investigação vão aparecendo descobre-se que ele tb estava envolvido numa investigação federal. Jane tem que lhe dar com a descoberta de seu marido sobre seu caso com o ex-chefe, casado na época.

s01e12 Ain’t No Sunshine – penúltimo episódio da série (cancelada), ainda lamentando por notar que a série poderia ter rendido um bom policial, mas os roteiros tropeçaram no óbvio e na falta de foco dos personagens. A equipe investiga a morte de uma jovem num prédio popular envolvendo jovens envolvidos com gangues, moradores de um apartamento próximo que não possuem pais; o outro caso é sobre uma mulher encontrada morta pelo marido ao levantar, e o que parecia uma morte súbita logo se transforma num homicídio quando descobrem uma perfuração na mulher.

s01e13 Stuck in the Middle with You Series Finaleem seu episódiol final a trama trouxe um bom caso para os agentes, no caso, Duffy precisou de segurança dos parceiros ao descobrir que o caso onde seria testemunha teve uma das testemunhas morta na mesma manhã da audiência, assim criou-se algumas cenas cômicas entre os personagens, um episódio ok.

A série sofreu pela falta de identidade dos personagens, pouco desenvolvidos, inclusive Jane, que teve seus familiares pouco utilizados, e a tensão sobre a presença de Jane na DP nunca foi explorada da melhor maneira, logo o que poderia salvar a série seriam os casos policiais, no entanto, este plot no canal NBC nunca foi bem estabelecido, é incrível como qualquer porcaria policial no canal CBS funciona e nos demais canais há rejeição. Mesmo assim, a série não soube demarcar território mesmo tendo sido um sucesso na franquia inglesa protagonizada por Helen Mirren!

STATUS: CANCELADA

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: