Law & Order SVU (NBC) – 14ª temporada (FINALIZADA)

svu12s14e01/02 Lost Reputation/ Above Suspicion – em seu retorno, a série dramática mais longíqua da tevê americana atual (perdendo somente para a animação The Simpsons), os roteiristas continuaram a desenvolver o gancho final conspiratório da season finale, com o Capitão Cragen sendo preso por assassinar uma prostituta envolvida numa conspiração política/policial/prostituição, no caso o grande mérito desses três episódios é que até o final ficamos me dúvida quanto à ambiguidade dos personagens, temos dois cafetões que possuem dinheiro e poder para manipular policiais, políticos e ainda ameaçar quem estiver em seu caminho. Ainda pudemos observar mais profundamente o detetive Amaro em crise no seu casamento. Muitas participações especiais, com nomes como Paget Brewster (recém saída de Criminal Minds), Adam Baldwin, Peter Jacobson e Brooke Smith.

s14e03 Twenty-Five Acts –  gosto quando os roteiristas conseguem “pegar” temas atuais e contextualizá-los na série, aqui o sucesso editorial de 50 Tons em Cinza (é esse o nome do livro?), sobre um romance com carga sexual envolvendo fetiches, no caso a escritora (atriz Anna Chlumskyi, de Veep) acaba sendo estuprada por um apresentador de talk-show. O problema do episódio é que não houve originalidade na abordagem do caso, o único senão foi a autoria da obra, não bem desenvolvida. Regular somente.

s14e04 Acceptable Loss – o episódio contou com a participação de agente Alex, que trabalhava no outro produto da franquia Law & Order Criminal Intent, dividindo uma conversa franca com Liv sobre seus parceiros, interessante; na verdade, a agente surgiu quando uma investigação envolvendo tráfico de mulheres levou a uma integrante da Al-Qaeda, trazendo outros agentes para o caso.

s14e05 Manhattan Vigil – episódio comemorativo 300º, que teve uma idéia bastante interessante, buscar um caso no qual Liv, recém ingressada na SVU, não conseguiu resolver, que foi o desaparecimento de um jovem garoto de um subúrbio em Nova Iorque, agora passados 14 anos, o sequestro de um garoto, filho de pessoas com dinheiro, levanta suspeitas envolvendo um policial comunitário com distúrbios psicológicos e suas teorias. Somente o desfecho foi abaixo da média, deixando o episódio banal!

s014e06 Friending Emily – a esta altura do campeonato utilizar um plot familiar, irmã junkie e irresponsável, para Amanda foi, no mínimo, pouco sutil, já fiquei com vontade de dar uns tapas na cara da guria! O caso da semana, em compensação, foi muito bacana, quando eu imaginava que a guria festeira seria o alvo do caso, vemos que sua irmã pré-adolescente é, na verdade, sequestrada e utilizada nas redes de pedofilia.

s14e07 Vanity’s Bonfire – episódio bem bacana, com uma pegada diferente do costumaz, fugindo um pouco dos crimes sexuais e entrando na área de custódia após uma criança de um ano ter sido sequestrada num parquinho pela sua mãe biológica que acusa de ter tido a sua filha “roubada” após ter passado a custódia somente temporariamente, sendo que os pais de criação acreditavam que a filha era fruto de uma barriga de aluguel. Participação de Scott Bakula. Ps. acho que a atitude final de Olivia irá lhe encrencar mais para frente, ou ao menos, espero isto!

s14e08 Lesson’s Learned –

s14e09 Dreams Deferred – PQP! me pegou completamente de “assalto” este episódio de L&O, fugindo completamente da fórmula crime sexual da semana e suas variações, tivemos a equipe envolvida com uma investigação federal quando um senhor, aparetemente normal, começa a matar diversas pessoas, familiares e civis, sendo que o mesmo tem um contato com uma prostituta mais velha. Quando achamos que o episódio centrará na busca pelo assassino em fúria, o roteiro foca na decadência da prostituta com mais de vinte anos de rua, mesmo exagerando a dose em alguns eventos, como um filho adulto não saber do trabalho da mãe (ela acha isso), a criação de Patricia Arquette é impecável, ela enche a tela com sua prostituta digna de premiação (Emmy tape certo!).

s14e10 Presumed Guilty – episódio de retorno em 2013, claro que não conseguiu ter a mesma qualidade do episódio anterior, possivelmente o melhor da temporada, aqui o que vemos, na véspera de natal, é o que SVU consegue entregar normalmente, num roteiro somente regular, quando um padre (Denis O’Hare, que eu imaginava ser inocente desta vez), é atacado por 2 indivíduos quando estava com uma criança dentro do carro, no entanto, ao ser ajudado por um negro, o mesmo é preso por estar em condicional e suspeito do ataque, o acusado é ex-cunhado de Fin, assim todos os agentes, correndo contra o tempo, tentam libertá-lo da acusação e prender os reais culpados, claro que envolvendo a Igreja Católica a trama não é tão simples assim. Ainda participa, Theo Rossi, o Juice de Sons of Anarchy.

s14e11 Beautiful Frame – lembrando um recente episódio de The Good Wife, bom que aqui também rendeu uma trama interessante, sobre um assassinato sendo julgado em dois tribunais diferentes, no entanto, num deles há uma forte influência de um investigador com passado ambíguo.

s14e12 Criminal Hatred – achei este tema tocado, um homossexual que atacava, seduzindo primeiramente, e em seguida, até mesmo sodomizando e matando, alguns heterossexuais que procuravam gays; além disso, ainda sobrou discussão sobre os direitos dos gays “casados”. Achei o episódio banal dentro da série e com um tema já abordado outras vezes.

s14e13 Monster’s  Legacy – após um episódio reciclado, os roteiristas voltam a insinuar que Benson está namorando alguém, ainda misterioso, e trazem o personagem de Andre Braugher, novamente desempregado depois do fim de Last Resort, de volta para auxiliar Benson num caso de legado de abuso, representado por duas figuras, um faxineiro de um clube e um presidiário do corredor da morte, participação de Mike Tyson. Episódio revoltante, ilustra de maneira excelente o descaso em alguns casos envolvendo negros e pobres por parte da Promotoria; além disso, atentem para o “monstro” de Ed Asner como dono do acampamento, com conhecimentos juridicos habéis.

s14e14 Secrets Exhumed – episódio cheio de participações, Marcia Gay Hardem retorna como a agente do FBI, Dana Lewis, e Harold Perrineau, como o estuprador que após cumprir sua pena é acusado de possuir mais vítimas, no entanto, como nada em SVU é o que aparenta, temos uma reviravolta dramática, envolvendo a vida pessoal de Dana, triste, bastante triste!

s14e15 Deadly Ambition – episodio que resgata novamente a personagem da irmã da detetive Amanda, a porra louca Kim, claro que com ela vêm novos problemas, principalmente, quando ela é perseguida pelo ex-marido abusador, porém, ela arma uma grande armadilha para Amanda que acaba sendo acusada de assassinato e perseguida pela Corregedoria.

s14e16 Funny Valantine – os roteiristas de SVU sempre antenados com assuntos midiáticos, não deixaram por menos, e fizeram uma “homenagem” ao casal Rihanna e Chris Brown e suas brigas expostas em jornais e na televisão. Quando uma jovem é espancada pelo namorado, ambos famosos, Benson tenta dissuadí-la em manter a queixa mas a jovem desiste. Achei um pouco exagerado o contexto final, mas fica a mensagem!

s14e17 Undercover Blue Uma mulher acusa Cassidy de estupra-la enquanto trabalhava disfarçado, isto próximo da data de seu depoimento, e seus advogados de defesa recorrem a algumas táticas inesperadas, uma delas com surpreendentes ramificações até Amaro, que também já trabalhou como policial disfarçado. A grande surpresa do episódio, além das consequências em Amaro, foi a revelação do affair entre Olivia e Cassidy, me surpreendeu.

s14e18 Legitimate Rape – Uma popular repórter de esportes (participação de Maggie de The Walking Dead) procura a detetive Benson para acusar um operador de câmera de estupra-la e perseguí-la. Nossssaaaaa! fazia muito tempo que não ficava tão indignado e revoltado com um episódio de SVU, claro que um simples “camera man” ser expert de Direito, com direito à faculdade e tudo mais, é um pouco forçado, no entanto, os meandros da lei e a influência de uma Justiça falha que permite pessoas com deficiências de caráter (como a jurada religiosa) definam a vida de outras é, simplesmente, revoltante. Pior de tudo é que estamos falando do Sistema de Justiça americano, imaginem o que não acontece por aqui, e o que foi aquele médico com a Teoria sobre gravidez e estupro, já ouvi falar desta insanidade, um disparate completo. Muito bom!

s14e19 Born Psychopath – em mais um episodio polêmico e muito curioso, pela tema abordado, mesmo que os personagens não fossem os mais inspirados, fiquei esperando uma atitude mais explosiva dos pais ao serem informados da psicopatia do filho. Um garoto de 10 anos tem um aumento em seu comportamento violento, forçando seus pais a enfrentar a verdade sobre ele quando as autoridades decidem como proceder em seu caso. Enquanto isso, Amaro tenta criar um relacionamento com seu filho.

s14e20 Girl Dishonored – Uma jovem comprometida com uma fraternidade é estuprada no campus universitário, e a investigação é dificultada por uma comunidade do campus que faz vista grossa para tais incidentes. Na média da temporada!

s14e21 Traumatic Wound – Uma adolescente suburbana é assediada/estuprada em um show numa casa noturna, e testemunhas fornecem relatos conflitantes sobre o incidente. Logo um veterano militar, que sofre de lapsos de memória, vira o principal suspeito, e Amaro se torna protetor do companheiro veterano. A resolução é meio mágica, aos 45 minutos do 2º tempo, porém não deixa de ser um tema que provoca revolta!

s14e22 Poisoned Motive – Um atirador ataca o Departamento de Polícia de Nova York duas vezes, e o atirador aparentemente está ligado a um antigo caso de Fin na narcóticos. Com a escalada da violência, Fin contata seu antigo parceiro para ajudar na investigação. Achei que o roteiro queria realizar um episódio bastante dramático, porém, não conseguiu ficou no meio caminho, ao final, somente mediano!

s14e23 Brief Interlude – Os detetives tentam identificar uma mulher inconsciente encontrada em um rio próximo à residência oficial do prefeito. Durante as investigações eles descobrem que ela é uma mãe canadense aparentemente comum que esconde um lado selvagem. Gosto deste episódio pela simplificação do roteiro, que mostra que nem sempre o óbvio é a verdade.

s14e24 Her Negotition Season Finale – mesmo contando com um ótimo vilão, um estuprador sem escrúpulo algum, que desde o início de episódio se mostra perspicaz, charmoso e manipulador, achei que o roteiro levou o lado jurídico de maneira muito rasa, servindo aos eventos dramáticos do gancho, isto enfraqueceu o episódio como um todo.

Mesmo estando em sua 14ª temporada, tendo inclusive uma leva de episódios sobre estupros exibidos em seguida que acaba enfraquecendo a série, achei uma boa temporada, principalmente por conseguir criar episódios chocantes e provocativos como os com Mike Tyson (e13) e com Patricia Arquette (e09), meu preferido da temporada e de muito tempo na série, além do recente Legitimate Rape, que levanta algumas boas questões, controversas claro, de um julgamento de estupro com direito à defesa de médico sobre a possibilidade de a mulher estuprada querer engravidar inconscientemente do seu estuprador (!!!!).

STATUS: RENOVADA PARA A 15ª TEMPORADA (set/13).

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: