The Leftovers (HBO) – 1ª temporada (FINALIZADA)

TheLeftovers-CartazTeaserThe Leftovers é a nova série de Damon Lindelof (Lost) e Tom Perrotta, que estreia na HBO durante a Summer Season. Adaptação da obra de Perrotta, a série tem dez episódios produzidos para sua primeira temporada.

Na história, algo ocorre no dia 14 de outubro levando 2% da população mundial. Aqueles que foram deixados para trás (daí o título) tentam compreender o que aconteceu. Seriam eles almas abandonadas em uma espécie de purgatório? Três anos depois, ainda traumatizados, cada membro de uma comunidade do interior dos EUA reage de uma forma ao que aconteceu. Alguns entraram em depressão; outros se tornaram amedrontados; outros indiferentes ao que acontece ao seu redor; e tem aqueles que se uniram a cultos ou grupos de apoio.

s01e01 Pilot – Três anos após o sumiço de milhões de pessoas — cerca de 2% da população mundial — os residentes de Mapleton, em Nova York, pesam os prós e contras de um “Dia dos Heróis”, um tributo para os moradores locais que “partiram”.

Esperança que uma série com um conteúdo tão social, acrescentando toques religiosos e de suspense, possa ter um espaço no qual os personagens sejam trabalhados de maneira adequada, principalmente, pela série estar nas mãos de Lindelof e do escritor do próprio livro. Gostei do elenco, achei os plots interessantes, principalmente a família desfeita pelo fenômeno que atinge a população e, já deixo claro, que não espero uma explicação para o que aconteceu com a população sumida, o que me interessa é o que irá acontecer em seguida.

s01e02 Penguim One, Us Zero – Kevin visita um terapeuta, depois de alguns encontros inquietantes; Meg toma uma decisão sobre seu futuro; Tom e Christine são deixados em uma situação arriscada; Jill e Aimee seguem Nora Durst, uma celebridade em Mapleton.

Ainda conhecendo todos os personagens e situações!

s01e03 Two Boats and a Helicopter – Mesmo com ameaças à sua vida e com a queda dos fiéis, o reverendo Matt Jamison continua a pregar seu evangelho: aqueles que desapareceram no arrebatamento são pecadores e não santos.

Que episódio fantástico, talvez um dos melhores que acompanhei esse ano, mesmo abrindo mão de acompanhar seus principais personagens até aqui apresentados, a família de Kevin, fomos apresentados de maneira excepcional ao Reverendo Matt Jamison, impecavelmente defendido por Christopher Eccleston, num episódio que aborda toda a questão da fé dentro do que a série retrata após o Dia do Desaparecimentos.

s01e04 B.J. and the A.C. –  Kevin investiga quem foi o responsável por um crime, roubar um boneco do presépio de Natal; Enquanto isso, Tom e Christine se deparam com problemas no hospital e na estrada; Mais tarde, Kevin recebe um surpreendente preso de um distrito de polícia próximo e recebe visitantes inesperados em casa. Talvez o episódio mais avulso até aqui, não sei o que o roteiro quis argumentar com tanta storyline que não chegou a lugar algum. Uma pena depois o ótimo episódio anterior.

s01e05 Gladys – As resoluções de Laurie são colocadas em teste após um crime brutal. Após sua iniciativa de manter a paz em Mapleton falhar, Kevin aceita uma oferta de fora para se livrar dos problemas da cidade. Matt leva seu púlpito para as ruas.

Sinto uma falta de uma unidade narrativa na série, me parece que cada episódios é avulso do outro, uma sensação diferente de “caso da semana” mas, mesmo assim, parece que falta uma continuidade; gostei do episódio e esperava mais da entrada do agente do FBI, meu personagem favorito ainda é Matt.

s01e06 Guest – Nora vai a Nova York para um encontro relacionado às Ocupações e conferências práticas, descobre que outra pessoa tem o seu crachá, assim ela participa da convenção como uma convidada e tem encontros com um vendedor, um autor e um participante desonesto. Mais uma vez um episódio centrado na rotina de um personagem específico rende um episódio acima da média da série, interessante ver como o roteiro sempre aposta na sensação “foda-se” dos personagens.

s01e07 Solace for Tired Feet – Após descobrir que seu pai escapou do hospital psiquiátrico, Kevin tenta encontrá-lo. Enquanto isso, Jill tenta bater um recorde, ao mesmo tempo em que Tom faz uma descoberta perturbadora. Um dos primeiros episódios que cria uma trama mais coesa, ilustrando os principais personagens num mesmo episódio, talvez falte um pouco de foco ao roteiro, não encontrou a excelência dos episódios de personagens solo.

s01e08 Cairo – Kevin acredita que está ficando louco após uma situação complicada envolvendo Patti Levin. Meg se descontrola durante outro encontro com Matt. Jill confronta Aimee sobre sua relação com Kevin. Nora descobre que sua privacidade foi invadida.

Mais um episódio tenso, que personagem “fudido” que é Kevin, nossa o cara é muito perturbado, e deve sentir que o caminho trilhado pelo seu pai futuramente será o seu! Já Meg tem seu primeiro surto, a personagem começa a se estabelecer.

s01e09 The Garveys at their Best – Kevin tenta reprimir seus hábitos ao rastrear um veado em Mapleton. Laurie recebe uma notícia nada esperada. Tom se conecta com o seu passado, contra o próprio bom senso. Nora tem uma entrevista de emprego.

Lindelof é “foda”! O cara que recriou os flashforwards/flashbacks na narrativa televisiva em Lost, nos apresenta nesse 9º episódio (penúltimo da temporada), a visita ao famoso 13/14 de outubro para nossos personagens principais; foi tudo muito revelador e impactante, a família feliz dos Garveys serviu de contraponto à atual situação dos personagens, além de mais alguns personagens recorrentes já conhecidos. Sequência final já memorável! E o próximo episódio já é a Season Finale dessa série que mesmo irregular, me fascina!

s01e10 The Prodigal Son Returns Season Finale – Um aliado inesperado ajuda Kevin a sair de uma complicação. Uma iniciativa dos RC mergulham Mapleton no caos. Já Holy Wayne concede um pedido, ao mesmo tempo em que Tom lida com sua nova realidade. Nora toma uma decisão que vai mudar sua vida.

Voltamos, após duas semanas, ao cenário caótico vivido por Kevin, o suícidio de Patty para incriminar Kevin, no entanto, Kevin recebe a ajuda de Matt, pessoa ideal nesse momento (que personagem bacana de Christopher Eccleston), em seu retorno para casa tem tempo de “se bater” com Wayne, será que teremos alguma repercussão do desejo além da vislumbrada ao final? Confesso que pela primeira vez fiquei muito revoltado com o comportamento dos RC, essa imposição da lembrança a qualquer preço, isso me lembra que não há personagens bonzinhos dentro da série, todos são “quebrados” por alguma razão, que vez por outra, pisam na bola, eticamente falando.

Concluindo, The Leftovers teve uma temporada de estréia regular, talvez pela falta de coesão narrativa e alguns personagens pouco complexos, porém o tema religião/fé/trauma e os personagens como Nora, Matt e Kevin conseguiram me conquistar de maneira ímpar, facilmente me fazendo questionar sobre algumas questões levantadas pela série.

STATUS: RENOVADA PARA 2ª TEMPORADA (2015).

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: