Séries 2015/16 – Fall Season (set-maio)

E lá vamos nós para mais uma temporada de reclamações, alegrias, decepções e desculpas para não sair de casa!

11.22.63 (canal streaming Hulu) – 1ª temporada

112263Baseado no romance homônimo de Stephen King, a série conta a história de Jake Epping (James Franco), um professor de inglês em uma pequena cidade do Maine, cuja vida vira do avesso, após Al, dono de uma lanchonete da cidade, mostrar a Jake um portal que pode o levar ao ano de 1960, onde ele deve se aproximar da família e dos amigos de Lee Harvey Oswald e tentar impedi-lo de assassinar o presidente Kennedy.

s01e01 The Rabbit Hole –  Jake Epping está exausto e perdido, e sua vida parece estar de pernas pro ar. Então, um de seus amigos mais queridos mostra-lhe “a toca do coelho”, um portal do tempo secreto, e o pede para criar um mundo melhor ao impedir o assassinato de Kennedy.

Apesar de achar que a trama, inclusive pelo elenco e responsáveis pela produção, pode render, as tramas de viagem no tempo já me cansaram e normalmente elas acabam subvertendo suas regras em detrimento do roteiro, enfraquecendo a trama e os personagens. Dito isso, já digo que não acompanharei a série principalmente, pelas situações/motivações absurdas aqui retratadas, o que tem haver o presente com somente o assassinato de Kennedy? Que ponto de ruptura houve nesta tragédia que poderia mudar o mundo? Fica complicado digerir este ponto de partida, diz isso alguém que não achou o episódio ruim, somente sua trama e as possibilidades que ela possui.

AGENTE X (canal TNT) – 1ª temporada

agentXApós a morte do marido, um candidato ao Senado, Natalie MacCabee (Stone) decide concorrer em seu lugar. Rapidamente ela consegue construir uma bem sucedida carreira na política, o que a leva a se tornar a primeira Vice-Presidente mulher dos EUA.

Ao assumir o cargo, ela é apresentada pelo Presidente Eckhart (John Shea, As Novas Aventuras de Lois & Clark, Gossip Girl) a Malcolm Millar (Gerald McRaney, de House of Cards), seu novo chefe de equipe, com quem ela passa a trabalhar em uma operação secreta, que tem o objetivo de proteger a Constituição.

s01e01 Pilot – Depois da posse, a vice-presidente recém-eleita Natalie Maccabee ( Sharon Stone) é iniciada em um mundo secreto de perigo com seu mordomo, Malcolm Millar ( Gerald McRaney ) e Chefe de Justiça Caleb Thorne ( James Earl Jones). Esta operação tem início quando Missy, a filha de Edwin Stanton (Jamey Sheridan, de Homeland), diretor do FBI, é sequestrada, desencadeando uma crise de grande proporção. Assim, Natalie autoriza que um agente secreto, conhecido apenas como Agente X (Jeff Hephner), entre em ação com a missão de fazer o que for preciso para resolver a situação.

Nossa que decepção! Sei que as séries da TNT normalmente, salvo exceções como The Closer e Major Crimes, tendem a ser aventuras com toques cômicos, mas com uma breve sinopse e a presença de Sharon Stone jurava que a pegada seria mais Madam Secrectary (da CBS) do que esse misto de Warehouse 13 com The Librarians. Tirando a ação relativamente competente, com possibilidade de virar a mitologia da série, alguém mais achou ridículo a vice-presidente ter acesso a um agente X abaixo do radar da Presidência, FBI e outras agencias? E pra que todo aquele QG atrás de uma lareira, se na verdade, a personagem pouco ou nada interage com o agente, parece que sua função é inútil? Paro por aqui!!

ANGEL FROM HELL (canal CBS) – 1ª temporada

AngelFromHellA série foca na relação de amizade improvável e bipolar entre Amy (Jane Lynch) e Allison (Maggie Lawson).
Quando Allison recebe a visita de Amy, esta revela ser sua anjo da guarda. A partir de então, as duas se tornam amigas, apesar de Allison achar que Amy é apenas maluca. Allison é sócia da clínica de dermatologia do pai, Marv, e vive com o irmão Brad, rapaz que mora de graça na sua garagem e tem uma quedinha por Jill, sua melhor amiga.

s01e01 Pilot – Allison vive sua vida responsável e tranquila quando de repente esbarra com Amy, uma mulher hiperativa e um tanto inadequada.

O canal CBS é muito esperto, aproveitou a persona de Jane Lynch, muito maior do que seu sucesso em Glee, e criou um veículo para a carismática atriz, confesso que não fosse a mesma, não sei se a série engataria, pois as tiradas irônicas, humor negro sarcasmo acompanham os diálogos da “anja caida”. Torço para a série trabalhar melhor os coadjuvantes e conseguir controlar Amy pois assim a série pode engatar.

s01e02 Face your Fears – Allison pede para seu integrante favorito do New Kids On The Block, Joey McIntyre, que a ajude a consertar um relacionamento com uma amiga, como parte da lição que Amy está tentando ensiná-la. O pai e o irmão de Allison tentam se vingar de Evan.

s01e03 Go with Your Gut – Amy leva Allison a uma boate para que ela pare de se preocupar com tudo e relaxar. O pai de Allison começa a suspeitar da nova amiga da filha.

Bah! Não dá, mesmo gostando de Jane Lynch, uma série sua com sua “persona” pública também precisa de um bom roteiro, o que não encontrei aqui. Coincidentemente, o próprio canal cancelou a série, a primeira da midseason 2016!

ASH VS. EVIL DEAD (canal Starz) – 1ª temporada

ashvsdevilBaseada no filme “Evil Dead” (Uma Noite Alucinante/A Morte do Demônio), de 1981. Ambientado 30 anos após o primeiro filme, Ash vs. Evil Dead vai acompanhar Ash (Bruce Campbell retorna para seu papel original), que passou as últimas três décadas evitando responsabilidades, maturidades e os terrores passados. Ele é forçado a enfrentar novamente seus demônios depois que uma praga Deadite ameaça destruir toda a humanidade.

s01e01 El Jefe – Ash passou os últimos 30 anos evitando responsabilidades, a maturidade e os terrores de Evil Dead. No entanto, Ash terá que enfrentar seus medos quando uma praga mortal aparece e pode destruir toda a humanidade.

Não consigo imaginar uma série “terrir” tendo muito espaço na telinha, porém, o gore e o sobrenatural estão na moda atualmente; assim, se Sam Raimi (que dirigiu este primeiro episódio) e sua equipe conseguirem criar uma mitologia dentro da série, dando consistência ao “evil dead”, pode ser que a série se torne uma boa opção aos fãs do gênero (no qual me incluo), principalmente porque não abre mão da canastrice de todo contexto que lhe envolve. Somente no aguardo da participação de Lucy Lawless, somente ponta neste episódio;

s01e02 Bait  – A agente Fisher procura Ash em buscas de respostas. Pablo tem sua primeira experiência de luta em uma batalha épica. Uma grande revelação muda a vida da Kelly para sempre.

Apesar de não achar a série ruim ou fraca, sua temática é muito específica e, particularmente, não tenho fôlego para acompanhar a longo prazo. Boa jornada para os fãs do gênero!

blindspotBLINDSPOT (canal NBC) – 1ª temporada

Produzida por Greg Berlanti (Arrow, Flash, Mysteries of Laura), a série acompanha uma vasta trama internacional que explode quando uma mulher desconhecida aparece nua na Times Square, completamente coberta por misteriosas e complexas tatuagens, sem memória de quem é e de como chegou ali.

No entanto, um nome se destaca em meio a todos os desenhos: o do agente do FBI Kurt Weller. Logo, eles descobrem que cada marca no corpo de “Jane” é um crime a se resolver, o que os levará para mais perto da resolução dos mistérios, incluindo a identidade dela.

s01e01 Piloto – Jane Doe surge, nua e coberta de tatuagens, de dentro de uma bolsa suspeita deixada nas ruas de NY. Sua aminésia, habilidades de combate e o nome de um agente federal tatuado em seu corpo intrigam o FBI.

Comentários sobre o episódio vazado (em agosto/15): aqui

s01e02 A Stray Howl – O time decodifica uma tatuagem que aponta para o major Arthur Gibson, um piloto da força aérea com um passado doloroso e uma agente letal. E Jane continua a busca por sua identidade.

A trama de ligar o passado dos protagonistas parece ser uma boa saída para criar um elo entre eles, porém, a descoberta aleatória do significado das tatuagens em conjunto com memórias de Jane, ainda me parece uma armadilha do roteiro para criar qualquer situação em qualquer momento e não parecer um buraco simplesmente! O ritmo é legal e a ação também.

s01e03 Eight Slim Grins – Ladrões quase realizam o roubo perfeito, exceto por um dos criminosos ter uma tatuagem idêntica a Jane, ser capturado. Jane recebe um aviso ambíguo de um homem de sua 1ª memória. Weller e Mayfair sofrem para encontrar o lugar de Jane no time.

Por incrível que pareça a série vem me conquistando aos poucos, talvez pelo esperto roteiro que, em meio aos casos semanais, se dê ao trabalho de evoluir a mitologia da personagem, assim já sabemos seu nome e ligação com Weller, além de pessoas do seu passado surgirem (apesar de achar que já foram muitos e todos eles morrerem após proferirem meia dúzia de palavras sacanagem do roteiro) e os chefes estarem envolvidos em algo maior. Olhando enquanto os roteiristas não me tirarem pra palhaço!

s01e04 Bone May Rot – Patterson e seu namorado, David, decodificam a pista de uma das tatuagens, enviando o time para o CDC. Durante a visita, descobrem uma mensagem escondida no corpo de Jane que revela um plano que pode trazer consequências globais.

Me sinto meio trouxa, no sentido de não haver um raciocínio lógico, nas descobertas sobre o que significam as tatuagens de Jane Doe, não me serva a desculpa do namorado da squint da série ver sem querer e fazer a ligação! Além disso, o twist do final do episódio jogando por terra a teoria do passado da personagem, após recente revelação, me indica que a série irá levar esse mistério ad eternum, assim prefiro deixar a série em pausa, para se houver mais vagas na minha watchlist retornar!

COLONY (canal USA) – 1ª temporada

COLONYA história é situada no futuro próximo, período em que a cidade de Los Angeles está ocupada pelos alienígenas. Alguns colaboram com a nova ordem, outros se rebelam e sofrem as consequências. Em meio a tudo isso, uma família tenta se manter unida enquanto a raça humana luta para sobreviver.

A família é formada por Will Bowman (Josh Holloway, de Lost, Intelligence), um ex-agente do FBI que se vê forçado a colaborar com o governo. Sua missão é a de acabar com o movimento de resistência. Will é casado com Katie (Sarah Wayne Callies, de Prison Break e The Walking Dead), com quem tem três filhos, sendo um deles Bram (Alex Neustaedter), um garoto que se vê obrigado a deixar rapidamente a infância para se tornar adulto.

s01e01 Pilot – A cidade de Los Angeles foi ocupada por uma força desconhecida. Will Bowman e sua esposa Katie são separados de seu filho durante a invasão e estão dispostos a fazer qualquer coisa para encontrá-lo.

Nossa fiquei bastante decepcionado com essa nova produção do canal USA, podiam investir um pouco mais em idéias novas como Mr. Robot, do que reinvenção da série sci-fi com aliens, substituindo Falling Skies, por exemplo. Achei o roteiro tão simples e despretensioso, bobo por vezes, uma releitura de diversas outras tramas futurísticas. Vilão fraco, protagonistas insípitos, fora que tenho pavor de Sarah Wayne Callies. Paro por aqui!

COOPER BARRETT’S GUIDE TO SURVIVING LIFE (canal Fox) – 1ª temporada

copperA história acompanha Cooper Barrett (Jack Cutmore-Scott) e seus amigos. Recém formados na faculdade, eles ainda não conseguiram definir seus respectivos futuros.

Neste meio tempo, eles vivem aventuras, cometem erros e passam por diversas situações típicas de sua idade. Mas, após passar por uma experiência desastrosa, Cooper decide mostrar ao mundo os desafios que as pessoas na sua faixa etária enfrentam.

No grupo também estão Kelly Bishop (Meaghan Rath, de Being Human), uma fisioterapeuta, vizinha de Cooper; Barry (James Earl, de Ground Floor), com quem Cooper divide um apartamento; Neal Kang (Charlie Saxton, de Hung, Betas), colega de quarto de Cooper, arranjou emprego em uma empresa, onde trabalha com software. O problema é que agora ele terá que se relacionar com um bando de estranhos.

s01e01 How to Survive Your Loveable Jackass – Em 2011, Cooper, Barry e Neil mudam-se para um apartamento novo e dão uma festa de inauguração na qual uma TV nova é roubada. Dois anos mais tarde, Barry rouba de volta a TV dos caras do UFC, fazendo com que Cooper seja sequestrado.

Novo sitcom do canal Fox, para variar…não curti, não consigo curtir as comédias do canal, aqui a mistura de Se Beber Não Case com bromance/roomate não me cativou até porque desisto quando uma comédia apela para situações sérias, como sequestro e espancamento, para tentar fazer humor desencanado, nestas situações se o roteiro não apela para o humor negro, perde credibilidade comigo! Paro por aqui!

CRAZY EX-GIRLFRIEND (canal CW) – 1ª temporada

Rebecca (Rachel Bloom) é uma mulher bonita, determinada, bem-sucedida e possivelmente louca que, do nada, desiste de tudo, sua sociedade em um escritório de advocacia de sucesso, seu apartamento de luxo em Manhattan, entre outras coisas. Tudo isso com um objetivo: encontrar o amor e a felicidade em West Covina, Califórnia – que fica a duas horas da praia, quatro se tiver trânsito – por causa de um ex-namorado e um possível chamado do destino.

s01e01 Josh Just Happened to Live here! – Quando Rebecca começa a se perguntar quando foi a última vez que se sentiu realmente feliz, ela reencontra seu ex-namorado Josh, por quem ela ainda nutre uma paixão.

Simpática comédia romântica musical do canal CW, tem na protagonista uma figura estranha e passível da loucura que a mesma apresenta, além de protagonizar, escreve as tramas e músicas, porém, sempre tem um porém, não consigo visualizar vida longa à série pela temática (mais adulta do que, por exemplo, Glee) e pelo público que procura atingir; no entanto, é a única série estreante do canal CW na Fall Season o que pode indicar um investimento do canal. Não faz meu estilo! 

csi cyberCSI – Cyber (canal CBS) – 2ª temporada

s02e01 Why-fi – Avery dá boas vidas a D. B. Russell que se integra ao time enquanto investigam um roubo/homicídio cometido por alguém que hackeou o sistema de segurança nacional remotamente, utilizando as crianças da casa para isso.

Série que levaram Ted Danson de CSI para Cyber para somente ficar testando quinquilharias dentro do laboratório (desde barata com sinal até drone)? Nossa achei uma premiere muito fraca e irregular, nada se salvou, nem, os personagens nem o caso do episódio, fiquei 40 minutos contemplando o relógio passar. Acho que se esgotou a dinastia CSI para mim, pelo menos, nessa temporada.

legendsDC’S LEGENDS OF TOMORROW (canal CW): 1ª temporada

Quando os heróis não são suficientes… o mundo precisa de lendas. Depois de ter uma visão do futuro, Rip Hunter (Arthur Darvill de Doctor Who) reúne um grupo de super heróis e vilões para uma viagem no tempo, a fim de prevenir os eventos que estão por vir. Pode este time desorganizado derrotar uma ameaça imortal diferente de tudo que já conhecemos?

s01e01/02 Pilot (1/2) – Em 2166, o imortal vilão Vandal Savage está prestes a conquistar sua vitória final – trazer o caos total e a destruição à humanidade. Enquanto o mundo sucumbe, o Mestre do Tempo tenta resolver as coisas por conta própria. No 2º capítulo, após receber uma pista sobre o paradeiro de Vandal Savage, o time se infiltra em um acordo de munições tendo o professor Stein como líder. Cercados pelos criminosos mais durões do mundo, as coisas logo saem do controle.

Confesso que acho este projeto dos criadores de Arrow e The Flash muito, mas muito bizarro, inclusive por isto fiquei curioso. A maioria dos personagens, com exceção de Rip Hunter, já nos foram apresentados em Arrow (que não vejo, mas reconheci os personagens) e em The Flash (que assumiu o desenvolvimento inicial ao nos apresentar Vandal Savage), assim devido a bagunça inicial achei tudo muito forçado, já com o decorrer dos dois episódios, a dinâmica parece estabilizar, no entanto, ainda não é possível visualizar uma série funcional, afinal de contas, toda ela esta centrada no combate a Vandal Savage, parecendo somente uma série de jogo de gato-e-rato através de viagens no tempo. A conferir o terceiro!

s01e03 Blood Ties – Rip tenta enfraquecer Vandal Savage indo atrás de seus bens financeiros junto de Sara. Enquanto isso, Snart e Rory convencem Jax a levar a nave de volta a Central City para que eles possam roubar uma valiosa esmeralda. Já Stein guia Ray em uma missão.

Pode ser que este episódio apresente um fim ao universo abordado até aqui nos anos 70, como se fosse um longa, no entanto, com o numeroso elenco, nota-se que storylines soam artificiais (neste episódio, Ray/Stein/Mulher Gavião) para criar espaço para todos; porém, com o gancho para os anos 80, espero que a série mostre mais do que o referido jogo de gato-e-rato que moveu a série até aqui!

s01e04 White Knights – O time segue o rastro de Vandal até o coração da URSS em uma tentativa de encontrar seu próximo alvo. Ray tenta se aproximar de uma cientista soviética, Valentina, na esperança de descobrir o próximo passo do Vandal. Rip pede a Sara para treinar Kendra.

Essa caça à Vandal não me parece um arco que segure uma temporada, fica uma narrativa irregular pela metade, até porque nem sempre o personagem surge em cena, assim tudo soa como uma encheção, para um futuro e não garantido confronto final! Na dúvida da continuidade…

ESPINOSA (canal GNT) – 1ª temporada

Espinosa é o responsável pela 12ª Delegacia de Polícia, conhecido por seu rigor ético e por examinar as investigações com perguntas excessivamente detalhistas. O charmoso personagem é divorciado e vive sozinho há 12 anos em seu apartamento antigo, em Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Para aliviar as tensões do trabalho, costuma nadar na praia do bairro e aproveitar seu tempo livre com a namorada Luana. Espinosa tem lugar cativo no imaginário dos amantes do gênero “romance policial” e é o personagem central de quase todas as histórias de Garcia-Roza.

so1eo1 Episódio 1 – O suspense da trama começa quando policiais são assassinados em situações idênticas na circunscrição da delegacia de Espinosa: com um tiro na nuca à queima roupa, sem resistência e sem testemunhas. É então que o delegado começa a desconfiar de seus companheiros de trabalho e inicia imediatamente as investigações junto com a sua equipe de confiança, os policiais Welber, Otávio e Andressa.

Bom episodio piloto, fazendo bom uso do cenário decadente e belo de Copacabana, mostra uma delegacia bastante verossímil, com personagens idem, o que sempre gera interesse e identificação. Pelo jeito será uma trama contínua de investigação nessa primeira temporada, vemos ver o que o diretor Jose Henrique Fonseca nos entrega. Ótima escolha de Domingos Montagner como protagonista.

GAME OF SILENCE (canal NBC) – 1ª temporada

gameofsilenceUm advogado de Atlanta (David Lyons, de Revolution), cujos amigos antigos de infância reaparecem inesperadamente, depois de 25 anos. Quando um segredo sombrio que eles achavam que tinha sido enterrado ressurge, os amigos se reúnem para consertar os erros do passado — uma jornada que vai testar os limites de suas lealdades e arrefecer a sua sede de vingança.

s01e01 Pilot – O estilo de vida de um advogado é ameaçado por amigos de infância que procuram a sua ajuda para corrigir um erro de 25 anos atrás. Quando eles descobrem que um antigo amigo foi morto, eles não têm escolha a não ser enfrentar um segredo de seu passado.

Baseado não oficialmente em uma trama bastante similar mostrada nos cinemas, Sleepers – Vingança Adormecida, com Brad Pitt e Robert DeNiro, Game of Silence se mostrou uma série com potencial, porém com aquele velho problema de série com narrativas atuais e passadas, fácil esgotamento do arco central. Noto isto principalmente com a forma apressada naqual o roteiro já aponta uma conspiração política envolvendo nomes do passado do guris, uma pena pois isso enfraquece os eventos apontados no piloto, mesmo assim, fiquei curioso para acompanhar o segundo.

gothamGOTHAM (canal Fox) – 2ª temporada

s02e01 Damned If You Do – O Pinguim é o Rei de Gotham. E após uma reviravolta no DPGC, a moral de Gordon é abalada enquanto ele procura ajuda do Pinguim. Bruce continua a explorar os segredos do escritório de seu pai, e Gotham recebe novos moradores.

A ideia era não retornar para a segunda temporada da série, no entanto, com as notícias de uma repaginada na série com advento de novos vilões e situação, me deparei com o episódio antes da exibição americana (21 de setembro), e resolvi dar uma espiada e novamente os problemas da temporada anterior voltam na segunda, é uma pena que com tanto material à disposição os roteiristas não consigam dar sustento e estofo dramatúrgico à série, não acertando nem no drama e nem na comédia (que falta bastante). O unico ponto positivo dessa premiere é o posto atingido por Pinguim, já chefão do submundo do crime em Gotham, as demais storylines em nada me empolgaram, uma pena!!

s02e02 Knock, Knock – Após a sua reintegração, Gordon é encarregado com o caso da fuga do Asilo Arkham. Enquanto isso, Galavan planeja seu próximo passo, enquanto Bruce pede a ajuda de um velho amigo de seu pai para desvendar os segredos em seu escritório.

Enquanto a storyline de Bruce gira-gira-gira e não vai a lugar algum, a criação de Maniacx me pareceu uma boa ideia para instalar o caos em Gotham, tanto que me surpreendeu o desfecho da nova comissária e o massacre da delegacia. Vou dar mais uma chance para a série no próximo episódio!

HEROES REBORN (NBC) – minissérie

8871A saga por trás da série de sucesso Heroes continuará com o retorno do criador Tim Kring para novas aventuras dos super-heróis. Esse desde já aguardado retorno, na forma de uma minissérie com 13 episódios, se reconectará com os elementos básicos da primeira temporada da série, em que pessoas comuns um dia acordam e descobrem ter habilidades extraordinárias. Heroes Reborn será antecedida de uma nova websérie, que vai introduzir para o público os novos personagens e enredos que levará Heroes para novos lugares.

s01e01/02 Brave New World/Odessa – Após um ataque terrorista dizimar a cidade de Odessa, no Texas, pessoas com habilidades extraordinárias precisam se esconder depois de ser responsabilizadas pelo evento catastrófico. Uma nova ordem mundial faz com que essas pessoas sejam caçadas; ao redor do mundo, muitas pessoas estão descobrindo suas habilidades, mas isso pode não ser uma tarefa tão fácil, já que a principal missão dessas pessoas é unir suas forças para salvar a humanidade.

Primeiras impressões aqui!

s01e03 Under the Mask – Erica Kravid, a mulher poderosa por trás do conglomerado Renautas, revela o quão longe chegará para proteger o mundo dos Evos. Enquanto isso, Tommy compartilha sua habilidade com Emily e lida com a popularidade no colégio.

Minha intenção era mesmo dar uma chance (segunda ou redenção) à Tim Kring, mas o quadro que está sendo criado pelo roteiro como arco da temporada já esta cheio de furos e incoerências que já me deixam p…; personagens mal delineados (esse Erica parece vilã da Disney), truques do roteiro para cobrir furos (memória de Noah) e situações óbvias (como a transformação do personagem de Zachary Levi de assassino de Evos para se tornar um, uau!). Sendo assim, se não houver nenhum alarde midiático para me fazer retornar paro por aqui! Boa sorte aos que continuarem na jornada!

LIFE IN PIECES (canal CBS) – 1ª temporada

S1LIP-CartazEsta é a história de uma família narrada por cada membro, formando quatro histórias curtas em um único episódio. A família é formada por Joan (Dianne Wiest, de In Treatment) e John Short (James Brolin, de Marcus Welby e Pensacola), pais de três filhos. Ela é uma mulher capaz de fazer qualquer coisa por seus filhos, desde que ela concorde com o que eles estão fazendo. Já John é um homem de 70 anos que passa por uma crise existencial.

s01e01 Pilot – Matt passa por dificuldades no fim do seu primeiro encontro com Colleen, Greg lida com o fato de ser pai e Heather tem uma estranha reação ao ver que seus filhos então crescendo. Por fim, em um hilário funeral todas as histórias se conectam.

Parece que Modern Family esta sendo refilmada sem maiores preocupações, a trama é muito similar e a proposta somente difere por se apresentar com quatro curtas envolvendo os personagens, porém, confesso que achei o elenco muito, mas muito bacana! A conferir mais para tirar a dúvida.

s01e02 Interrupts Date Breast Movin’ – Matt flagra seus pais em um momento íntimo, o que coloca toda a família em um situação constrangedora. Matt e Colleen tem um péssimo segundo encontro, Jen tem problemas para amamentar o bebê e Heather, Tim e as crianças se mudam para uma nova casa.

Apesar de achar o elenco muito bacana, para o não sempre engraçado roteiro, não consegui simpatizar com nenhum núcleo em especial, talvez se sobrar um tempinho confiro mais um, se não paro por aqui!

LimitlessLIMITLESS (canal CBS) – 1ª temporada

A história tem início do ponto onde o filme (Sem Limites) encerrou. Brian Finch (Jake McDorman, de Manhattan Love Story), escritor que, através de uma misteriosa droga conseguiu acessar 100% de sua habilidade cerebral, é coagido a utilizar seu poder para o FBI solucionar casos em aberto.

Ele passa a trabalhar com Rebecca (Jennifer Carpenter, de Dexter), uma agente que subiu rapidamente de posto dentro da agência mas, apesar das realizações profissionais, ainda não conseguiu lidar com seu passado; com Boyle (Hill Harper, de CSI: NY), ex-militar que agora trabalha com o FBI testando os efeitos do NZT no agente; e com Nasreen Awad (Mary Elizabeth Mastrantonio, de Law & Order: CI, Grimm), mais conhecida como Naz, uma ex-promotora pública que se uniu ao FBI há algumas décadas e agora atua como agente especial encarregada da divisão que investiga os efeitos do NZT.

s01e01 Pilot – Brian Finch recebe um presente de um velho amigo que mudará a forma como ele vê e interage com o mundo. Entretanto, os problemas que surgem com esse acontecimento tendem a ser muito piores que sua crise existencial.

Primeiras Impressões aqui.

s01e02 Badge! Gun! – Brian coloca o seu novo trabalho com o FBI em perigo quando ele desobedece ordens para ficar fora de uma investigação sobre o assassinato de um jornalista de renome. Ao mesmo tempo que se mostra essencial para ajudar nas investigações, tambem precisa enfrentar questionamentos de seu pai e observar que estará sendo monitorado por perto.

Por incrível que pareça, tem se mostrado a série mais coerente até aqui, mostrando suas cartas desde cedo, sim são casos semanais, no entanto, acrescente isso uma construção de mitologia, muito maior e relevante do que o próprio filme, e principalmente, bom humor nos diálogos, deixando a série gostosa de assistir. A um passo de se tornar presença garantida na watchlist!

s01e03 The Legend of Marcos Ramos – Brian ajuda os agentes Harris e Boyle a investigar a morte de um agente aposentado do FBI e ficam chocados ao descobrir uma ligação com um notório cartel de drogas. Brian tenta reatar com um antigo amor, mas seu envolvimento com o Sen. Morra atrapalha.

Mesmo criando casos da semana irrelevantes no cenário da temporada, a mesma tem se apresentado envolvente ao misturar drama, suspense e comédia. Se a watchlist não inchar em demasia, pretendo adicioná-la definitivamente em breve.

s01e04 Page 44 – A lealdade de Brian ao FBI é testada quando Sands, exige que ele roube arquivos secretos ligados ao NZT. A agente Harris enfrenta um conflito emocional ao descobrir que tem uma herança a receber. Brian faz uma descoberta a respeito do pai de Rebecca.

s01e05 Personality Crisis – Brian descobre um segredo chocante sobre o falecido pai de Rebecca, mas teme que dizer a ela vai causar a ele problemas legais. Além disso, Brian se mete acidentalmente na vida pessoal de Rebecca enquanto aprende auto-defesa com o namorado secreto dela (reencontro de Desmond Harrigton com Jennifer Carpenter).

Não fosse o carisma de Brian e de seu ator, mesclando com o roteiro cheio de brincadeiras de montagem/edição, a série seria somente mais uma procedural, como está hoje, me lembra os bons momentos de The Mentalist, que também chegou ao sucesso graças ao seu protagonista.

s01e06 Side Effects May Include – Saúde física e mental de Brian começam a deteriorar-se novamente, Morra exige um alto preço em troca de outra injeção. Nova participação de Bradley Cooper.

s01e07 Brian Finch’s Black Cop – Brian tira o dia de folga para se recuperar de uma gripe, mas é surpreendido pela CIA, que o sequestra e o força a utilizar sua capacidade com o NZT em uma operação secreta. As vezes, a série ainda não consegue equilibrar suas tramas cômicas com a densidade dramática que procura imprimir, aqui é um caso típico, Brian divertidíssimo fazendo inúmeras referências a Curtindo a Vida Adoidado, ao mesmo tempo, é sequestrado por uma gangue no qual o clima pesa!

s01e08 When Pirates Pirate Pirates – Naz é presa sob suspeita de dar dinheiro a terroristas, o que leva Brian e Rebecca a tentarem limpar seu nome. O caso os leva até a filha de Naz, Ava, que revela um segredo de família que a mãe esconde do FBI.

s01e09 Headquarters! – Brian se oferece a usar NZT para capturar os Dez Mais Procurados do FBI em duas semanas e em troca de Naz o daria o seu próprio espaço de trabalho na agência. O relacionamento de Brian com a pai entra em crise devido aos segredos sobre o trabalho. O melhor episódio da série até aqui, divertidíssimo!

s01e10 Arm-ageddon – Boyle em auxílio de um ex-amigo militar que está sendo acusado de assassinato, pede ajuda para Brian para provar que a prótese de seu amigo foi hackeada para cometer o crime. Também, o pai de Brian quer que seu filho abandone o FBI. Aqui novamente o problema maior da série até aqui, como ser relevante dramaticamente, no sentido dos conflitos policiais/investigativos, quando a melhor parte da série é seu humor, praticamente uma sitcom? Começa a mostrar sinais de cansaço!

s01e11 This Is Your On Drugs – O agente Casey Rooks e seu time da SWAT removem 80 comprimidos de NZT do inventário de bens roubados, o que leva a uma investigação interna que é vista através das perspectivas dos membros mais imediatos do círculo de relações de Brian dentro do FBI.

Imaginei que isso aconteceria em algum momento, aquele velho lance de misturar comédia com suspense nem sempre é alcançado com competência pela série; Assim, este episódio que tinha tudo para ser o auge da temporada, em função da descoberta do NZT por outros soldados e como estes reagiriam, serviu somente como um episódio de perspectivas/visões, sendo que o agente Casey que deveria já ter alguma relevância se mostrou inócuo e nada acrescentou à narrativa. Aproveito para deixar a série, pois não creio que ela irá evoluir muito além disso, uma pena pois o trabalho do protagonista é excelente dentro da proposta da série, já os coadjuvantes, muletas narrativas apenas.

luciferLUCIFER (canal FOX) – 1ª temporada

“O Demônio chegou a Los Angeles”.

Entediado e infeliz como Mestre do Inferno, Lúcifer, o Anjo Caído – interpretado na série por Tom Ellis (Merlin) – decide abandonar seu trono e ir para Los Angeles, onde comanda o clube noturno Lux.

Charmoso e carismático, Lúcifer passa a curtir sua nova vida regada a vinho, mulheres e música, até que uma linda popstar é assassinada em frente ao seu clube. Pela primeira vez em mais de 10 bilhões de anos, ele sente algo muito profundo dentro de si devido ao crime. Compaixão? Simpatia? Algo mudou e isso o perturba, assim como à sua melhor amiga Mazikeen (Lesley-Ann Brandt), mais conhecida por Maze, um demônio feroz na forma de uma linda mulher.

s01e01 Piloto – Lúcifer desistiu do inferno e veio viver uma vida na terra e quando uma de suas amigas é assassinada, ele tenta descobrir quem são os autores do crime.

Comentários sobre o piloto vazado (em agosto/15): aqui.

s01e02 Lucifer, Stay. Good Evil – O filho de uma estrela do cinema é assassinado após ser perseguido por paparazzi, levando Chloe a ficar responsável pelo caso com a ajuda de Lucifer. Enquanto isso, Maze e Amenadiel tentam encorajar Lucifer a voltar para o inferno de uma vez por todas.

Mesmo ainda não conseguindo criar um vínculo justificativo entre Lucífer e Chloe, a série como uma série de policial de “buds” até funciona, no entanto, não sei se por muitos mais episódios, se não houver um crescimento mitológico envolvendo os personagens.

s01e03 The Would Be Prince of Darkness – Um promissor quarterback acorda e encontra uma garota morta boiando em sua piscina. Assim, ele pede a ajuda de seu amigo, Lucifer, no caso, que chama Chloe para lidar com a situação.

Outra série da midseason que não dá pra acompanhar, esperava que desenvolvessem uma possível mitologia para Lúcifer mas se for conta-gotas deste jeito vai levar muito tempo para ocorrer, no entanto, o que mais me incomodou neste início são as desculpas esfarrapadas do roteiro para a participação de Lucifer nas investigações!

minorityMINORITY REPORT (canal FOX) – 1ª temporada 

A série da Fox será ambientada dez anos após os eventos do filme, e será focada no drama Dash (Stark Sands), um dos três precogs que era utilizado pela polícia. O departamento Pré-Crime foi fechado e Dash tenta viver uma vida normal, mas é perseguido pelas visões do futuro. Vivendo em Washington, DC, ele acaba se unindo a Lara Vega (Meagan Good), uma policial que, perseguida por seu passado, tenta ajudá-lo a lidar com seu dom. A dupla também irá procurar pelo irmão gêmeo desaparecido de Dash, Arthur (também interpretado por Sands). A engenhosa, mas reclusa, Agatha (Laura Regan), sua irmã adotiva, complicará ainda mais a situação, pois deseja que Dash volte para casa. Um drama de crime e conspiração, esta é uma história sobre a conexão de duas almas perdidas, Dash e Vega, que encontram amizade, propósito e redenção entre si.

s01e01 Pilot – Dash, um dos Gêmeos Precog, resolve usar seus dons para impedir assassinatos, para isso conta com a ajuda de uma Detetive que sonhava em trabalhar no Pré-Crime.

Comentários sobre o piloto vazado (em agosto/15): aqui.

s01e02 Mr. Nice Guy – Dash e Vega se juntam novamente para encontrar um assassino que, atualmente, sofre de amor. Enquanto isso, Dash vai atrás de seus irmãos em busca de ajuda.

O pouco que havia gostado da série (ambientação e proposta de adaptação como série de tevê) caiu por terra com esse episódio, não há carisma algum entre os protagonistas, o que dificulta a identificação com os mesmos; o roteiro é confuso e não cria uma mitologia para ser o pano de fundo da série, principalmente entre os irmãos, foi bem difícil terminar o episodio. Paro por aqui!

outsidersOUTSIDERS (canal WGN America): 1ª temporada

Outsiders é centrada no clã Farrell, uma família de forasteiros que mora nas montanhas de Appalachia, no estado da Virgínia. Vivendo literalmente acima da lei em sua casa no topo da montanha, eles protegem o próprio mundo e defendem seus costumes usando todos os meios necessários.

s01e01 Farrell Wine – A família Farrell se depara com novas ameaças ao seu modo de vida na rural Kentucky. O canal WGN pelo jeito vai ser um canal de nicho de séries de gênero, depois da Salem e Manhattan (cancelada), agora aposta numa série do nicho de Justified, com toques de Sons of Anarchy, ao retratar uma sociedade que vive à margem da sociedade. Também me lembrou os já famosos clichês de Shakespeare ao tratar os conflitos da família Farrell, em luta pelo poder interno. Vou conferir mais um para saber que abordagem a série terá.

s01e02 Doomsayer – Asa luta por seu direito de ficar na Montanha Shay em um jogo brutal de sobrevivência. A série continua interessante ao abordar o inevitável conflito que haverá, no entanto, para isso ocorrer os personagens precisam ser melhor trabalhados e deixados de ser apoiados somente em mistérios, como no caso de Asa e do policial “medroso”!

ROSEWOOD (canal Fox) – 1ª temporada 

RosewoodRosewood é um drama médico centrado no brilhante Dr. Beaumont Rosewood Jr. (Morris Chestnut), o melhor patologista de toda Miami. Como o proprietário de um dos mais sofisticados laboratórios independentes do país, ele encontra segredos em corpos que outros normalmente não conseguiriam ver. Apesar de estar constantemente rodeado por morte, Rosewood é obcecado com a vida e sabe saborear cada momento. Seu eterno otimismo irá frustrar a cínica detetive com quem ele frequentemente trabalha, mas ela não pode argumentar contra os resultados que sua perspectiva particular oferece.

s01e01 Pilot – O patologista privado Dr. Beaumont Rosewood Jr. deve resolver um caso que lhe é próximo. Conforme inicia a investigação, a detetive Annalise Villa complica sua vida quando seus caminhos se cruzam. Mais tarde, os dois são forçados a trabalhar juntos.

Mesmo não tendo o “lead in” de Empire, burrice do canal Fox, afinal que série possui audiência qualificada de 6 pontos atualmente? Rosewood conseguiu ter uma audiência acima da média do canal, porém, não há nada que salva a série de um procedural médico/policial, uma mistura de House, sem o humor sarcástico do mesmo, com Body of Proof, policial sob a ótica de uma legista. O único conflito, além da auto-ajuda irritante do protagonista é que o mesmo possui uma doença “terminal”, o que sabemos que depende da audiência da série, se não o terminal pode durar uma década!

Paro por aqui!

SCREAM QUEENS (canal Fox) – 1ª temporada

S1SQ-CartazA Universidade Wallace é abalada por uma série de assassinatos. A Kappa House, a fraternidade mais cobiçada do campus, é governada com mão de ferro (e luva cor-de-rosa) por sua Rainha “Bitch” Chanel Oberlin (Emma Roberts).

Quando a ex-Kappa Reitoria Munsch (Jamie Lee Curtis) decreta que todos os alunos do campus podem se inscrever para participar da fraternidade, a universidade vira um inferno, como um assassino vestido de diabo causando estragos, fazendo uma vítima a cada episódio.

Scream Queens é uma visão moderna para o formato clássico de suspense em que se tenta descobrir quem é o assassino, no qual todo personagem tem algum motivo para matar, ao mesmo tempo em que pode se tornar a próxima vítima encharcada de sangue.

s01e01/02 Pilot/Hell Week – As garotas da Kappa House procuram novas integrantes e são governadas com mãos de ferro por Chanel Oberlin. Além disso, as coisas se complicam ainda mais quando um assassino começa a espalhar terror por todo o campus; Chanel propõe que as candidatas a Kappa passem pela “semana do inferno”, ao mesmo tempo em que Denise é enviada para monitorar a Kappa House. O pai de Grace começa a vigiar sua filha sozinho acreditando que ela está correndo perigo por causa do assassino.

Primeiras Impressões: aqui

s01e03 Chainsaw – Chanel encontra em Hester um novo projeto, ao mesmo tempo em que Chanel nº 3 confessa um segredo e Grace e Zayday descobrem uma conexão surpreendente entre duas colegas estudantes. Já Denise fica de olho em uma das Kappas.

Não sei como Murphy e sua entourage trabalharão as “homenagens” ao cinema de terror na série, mas possivelmente aqui tivemos os momentos O Massacre da Serra Elétrica, com a revelação de dois Diabos Vermelhos, confesso que o episódio não manteve o ritmo da estreia, mas a sequência com o novo mascote foi hilária!

s01e04 Haunted House – O Dia das Bruxas se aproxima e Chanel cria um plano maligno após um anúncio chocante feito por Zayday. Enquanto isso, Grace e Pete visitam uma mulher misteriosa que possui um passado ligado à Kappa.

Não fosse pela genial sequência de “Chanelloween” na introdução do episódio, este seria somente um episódio filler, falha grave numa série antológica de apenas 10/13 episódios, uma pena suas mortes estão se tornando irrelevantes e inconsequentes dentro da mitologia que essa deveria passar. Capricha aí Ryan Murphy!

s01e05 Pumpkin Patch – A Reitora Munsch faz um anúncio que vai afetar todos do campus e o plano de Chanel de fazer uma festa para sua campanha presidencial. Grace e Pete procuram por uma amiga desaparecida. Chanel nº 5 e Chanel nº 3 descobrem como seria sua vida sem Chanel Oberlin.

Chegou pra mim! Paro aqui de acompanhar a série que não consegue equilibrar de melhor maneira terror e comédia, até acho que a comédia tem tomado muito do tempo da série, algumas vezes com um texto típico da escola Murphyana (como toda a criação de Channel e sua entourage), outras nem tanto (diversos personagens avulsos que devem morrer em breve); assim todo o lado do terror que deveria ser um pouco tenso, não rende nada, e as mortes que deveriam surpreender ou chocar pelo gore, são fracas e tem atingido personagens sub coadjuvantes, como nesse episódio! De repente, retorno para Finale para ver qual foi a opção do desfecho e quem eram os assassinos.

SOUTH OF HELL (WE tv) – 1ª temporada

Situada na cidade de Savannah, Georgia, a série acompanha a vida de Maria Abascal (Mena Suvari, vista em Chicago Fire e Six Feet Under), uma caçadora de demônios que trabalha ao lado de seu irmão David (Zachary Booth, de Damages), um viciado em heroína e em mulheres perturbadas.

Mas Maria também carrega um demônio dentro de si. Seu nome é Abigail, que se alimenta da energia dos demônios que Maria consegue exorcizar de outros hospedeiros. Enquanto Maria luta para se livrar de Abigail, esta faz tudo o que está a seu alcance para continuar habitando seu corpo.

s01e01 Demons Are Forever – achava que após uma década de existência de Supernatural na tevê americana, quando um canal resolvesse assumir um plot de exorcismo de forma seriada criariam algo mais tenso e assustador do que foi apresentado aqui. Mesmo contando com algumas boas idéias como a necessidade de Abigail (demônio) depender de Maria, assim como Maria mantém a mesma através da “alimentação” de outras almas, sem atacar sua irmão, a trama que se inicia a série mostra que parece ser este o limite da série. O caso da semana foi banal, nada tenso e nem mesmo assustador. Lá se foi uma série de subgênero que poderia render, principalmente, por não ser exibida em tevê aberta!

SUPERGIRL (canal CBS) – 1ª temporada

supergirlKara Zor-El sobreviveu a explosão de Krypton sendo enviada à terra junto de Kal-El (Superman), seu primo, na intenção de cuidar dele. Mas infelizmente, durante o caminho, sua nave acaba se desviando e ficando presa na zona fantasma. Após 24 anos presa em um lugar onde o tempo não passa, ela chega à Terra e descobre que seu primo é um herói e não precisa de sua ajuda. Sem uma missão, ela acaba escolhendo levar uma vida normal. Anos depois, agora já crescida, Kara decide não esconder mais seus poderes, tomando a decisão de seguir o mesmo caminho de seu primo. Ela assume então suas habilidades, na esperança de ser a heroína que nasceu para ser.

s01e01 Piloto – Enviada à terra para proteger o primo, Kal-El, Kara se viu perdida numa zona atemporal. Ao chegar descobre que o primo é um herói e não precisa de sua ajuda. Anos depois Kara se integra a sociedade e agora com 24 anos, ela decide usar seus poderes.

Comentários sobre o piloto vazado (maio/15): aqui

SUPERSTORE (canal NBC) – 1ª temporada

superstore“Superstore” é uma comédia do produtor de “The Office”, Justin Spitzer, que acompanha uma família única de empregados de uma gigantesca loja. Desde os novatos deslumbrados ao veteranos que já viram de tudo, passando pelas contratações de verão, a narrativa acompanha o dia a dia da chegada dos caçadores de barganhas, promoções de causar comoção e sessões de treinamento com direito a cochilos.

s01e01 Pilot – Jonah começa o primeiro dia na loja, mas seu relacionamento com sua supervisora se torna imediatamente tenso. Mesma tática utilizada para promover Telenovela, ocorreu com Superstore, ser exibida após The Voice. O episódio tem um tom “The Office” com ares de comédia romântica, ate mesmo pelo tipo de relacionamento que o roteiro induz entre os protagonistas, John e Ramona. Gosto de ambos atores, carismáticos, mas o piloto fica devendo no retrato clichê do super com personagens bizarros e clientes estúpidos, sem tê-los apresentando direito e ofertado aos espectadores o sentimento de identificação com os mesmos e humanizá-los.

s01e02 Magazine Profile – Uma revista planeja fazer uma reportagem sobre a loja, e a repórter não tira os olhos de Jonah. Enquanto isso, Garrett tenta evitar ser fotografado para a capa da revista, e Bo está inscrito para fazer um jingle corporativo. Simpática, por enquanto nada mais do que isso.

s01e03 Shots and Salsa – Amy luta contra estereótipos raciais, enquanto Jonah aprende que nunca deve ajudar alguém na loja. Mais um episódio nesta temporada da tevê americana que aborda a questão dos estereótipos raciais, ainda que Master of None se saia muito melhor!

s01e04 Mannequin – Jonah descobre um manequim que é igualzinho a ele. Cheyenne está pensando em botar o seu bebê na adoção. Irregular!

s01e05 The Shopfilter – Um homem aparece morto na loja. Dina tem que lidar com uma “ladra” enquanto Jonah lida com a filha da Amy.

s01e06 The Secret Shopper – A loja entra em preparativos para a chegada de um “comprador secreto” ao ouvirem rumores sobre os resultados obtidos pela mesma técnica nas lojas concorrentes. Amy lida com novos acontecimentos que nos dizem mais sobre Jonah.

s01e07 Sales Incentive – Há uma competição de vendas na Cloud 9 e Jonah dá de cara com um cliente inesperado. Glenn e Dina planejam uma celebração para a equipe vencedora. Finalmente conhecemos o marido de Amy, parece que a narrativa não irá shippar os personagens principais.

s01e08 Wedding Day Sale – Em preparação para a liquidação temática de casamento, os empregados do Cloud 9 enfrentam um dia recheado de clientes agressivos. Mais tarde, Amy tenta fazer Cheyenne e Bo entenderem os gastos de se ter um filho. Bom episódio!

s01e09 All-Nighter – Após um longo dia, toda a equipe espera pelo caminhão com uma entrega. Todos querem estar em outros lugares, o que significa que a tensão aumenta entre os funcionários. As coisas ficam ainda piores quando Glenn anuncia que eles ficaram presos no interior da loja. Facilmente, um dos melhores episódios da série, quase todos os plots funcionaram, nada como um bom alcool para deslanchar os personagens!

s01e10 Demotion – Após uma conversa esquisita com Dina sobre seus sentimentos, Jonah — em pânico — afirma que a namoraria se ela não fosse supervisora. O ritmo da série notadamente esta melhor em sua reta final, parece que os personagens principais e os coadjuvantes já tem vida própria facilitando as storylines, gags e piadas dentro da loja.

s01e11 Labor Season Finale – Cheyenne finalmente tem seu bebê, mas se recusa a parar de trabalhar na Cloud 9, já que empregados não recebem durante a licença-maternidade. Jonah insiste em entrar em contato com a corporação para pedir mudanças.

Mais um bom episódio da série, fechando com chave de ouro e deixando um gancho curioso com o início da greve e da retomada do poder de Dina. Uma boa e despretensiosa série, Superstore me conquistou aos poucos, gosto do carisma de America Ferrara e os típicos freaks coadjuvantes neste mundo medíocre que é uma loja de departamentos, onde praticamente cabe qualquer plot.

STATUS: RENOVADA PARA 2ª TEMPORADA (2017).

TELENOVELA (canal NBC) – 1ª temporada

telenovelaA dramédia acompanha a vida e os trabalhos de Ana Sofia (Longoria), uma ambiciosa atriz que luta para permanecer no topo. No final do dia, quando as gravações da telenovela que ela estrela encerram, Ana ainda precisa enfrentar desagradáveis momentos com os executivos do canal, bem como com os roteiristas bêbados e suas colegas narcisistas.

s01e01 Pilot – Ana Sofia tem uma grande surpresa quando seu ex-marido se junta ao elenco de sua novela.

Aproveitando o “lead in” de The Voice, e um intervalo de Blindspot, o canal NBC encaixou duas estreias da midseason, mesmo assim, me parece que a ideia não rendeu muito, pelo menos em repercussão de audiência, ano que vem saberemos. A ideia de Eva Langoria em abraçar todos os clichês do subgênero “novela mexicana” com exageros (ventiladores gigantes), cores e muito drama queen parece acertada no entanto como série não rendeu muito nesse episódio, muitas piadas, gags físicas (Eva Langoria arrasando) mas o humor soou banal e sem uma linha clara de narrativa, o timing era corrido mas não o suficiente para desenvolver o texto cômico.

Eva usa e abusa de seu carisma, inclusive para depreciá-la, e os coadjuvantes parecem que terão espaço para seus personagens. Vamos ver o que acontecerá…

s01e02 Evil Twin – Ana implementa uma política de honestidade para acabar com todos os segredos nos bastidores da novela, mas a nova regra é severamente testada por um romance no local de trabalho e uma visita surpresa. Confesso que se o gênero novela não fosse tão intrínseco na nossa cultura, a maioria das situações (exageradas) não teria graça alguma.

THE BASTARD EXECUTINER (canal FX) – 1ª temporada

thelastexecutinerSituada no século XIV, The Bastard Executioner acompanha a vida de Wilkin Brattle (Lee Jones), um cavaleiro da corte do Rei Eduardo I. Devastado pelos efeitos da guerra, ele decide largar as armas e buscar um outro estilo de vida. Mas logo se vê novamente envolvido com atos violentos quando começa a atuar como carrasco. Lidando com representantes da corte, bem como com pessoas do povo, Wilkin enfrenta diariamente diversos dilemas morais.

s01e01/02 Pilot – Wilkin Brattle, um cavaleiro a cargo do Rei Edward I, troca sua espada por uma vida pacífica como agricultor — até que a violência de seu passado o encontra novamente obrigando-o a exercer o cargo mais sangrento de todos. Após o ataque na aldeia liderado pelo Barão Ventris, Wilkin e seus amigos partem em busca de vingança; após uma intensa batalha, Annora novamente aparece e diz a Wilkin que ele deve seguir a sua vida como um homem diferente.

Primeiras Impressões aqui.

THE CATCH (canal ABC) – 1ª temporada

O novo suspense de Shondaland acompanha a vida de Alice Vaughan (Mirelle Enos), uma bem sucedida investigadora de fraudes que está prestes a se casar e ser enganada. Sem saber dos planos do noivo, a moça também não é exatamente quem diz ser. Quando um golpe habilmente planejado pelo seu noivo colide com suas mentiras, eles mergulham em um perigoso jogo de gato e rato.

s01e01 Pilot – Alice está no auge de sua carreira, mas quando seu noivo, Benjamin Jones, aplica um golpe milionário e desaparece, ela de repente se torna uma vítima e parte em uma missão particular de vingança, e nada irá impedi-la de capturar seu noivo.

Novo projeto da atual Midas da tevê americana, Shonda “Grey’s Anatomy, Scandal, How to Get Away…” Rhimes, dona das noites de quinta-feira do canal ABC. Novamente apostando no “poder feminino”, temos uma protagonista “fodona” que por amor acaba sendo enganada pelo suposto noivo e deve gerar um jogo de gato-e-rato, aqui já surge uma primeira questão (dependente de ver o segundo episódio), em meio aos possíveis casos das semana (afinal estamos numa agência de detetives) a trama central será a caça de Alice atrás de Benjamin e sua organização, quantos episódios uma trama compacta desta segura? Achei o piloto bem genérico, temos a apresentação da inteligência e modo de trabalho da protagonista, em seguida seu opositor e seus conflitos, em seguida o trabalho e a traição, para finalizar com o contragolpe e gancho do plot da série.

Nada muito inspirado, nem situações nem diálogos, acho que há um glamour extremamente superficial no trabalho da protagonista, graças ao bom Deus, Shonda novamente acerta na atriz para segurar tal personagem (ainda restrita à noiva/detetive traída), Mirelle Enos, fantástica atriz de The Killing. Achei insuportável a presença de Sonya Walger (eterna Penny de Lost), numa antagonista risível e má introduzida. Vou acompanhar o segundo para um veredito final!

THE FAMILY (canal ABC) – 1ª temporada

thefamilyA nova série de suspense mostra o retorno do filho de uma política, um rapaz que todos achavam que estava morto, depois de ele ter desaparecido há mais de uma década. Enquanto o misterioso rapaz é recebido de volta pela família, suspeitas emergem: será que ele realmente é quem diz ser?

s01e01 Pilot – Adam, o filho de uma política do Maine, Claire Warren, que supostamente estava morto, retorna para casa após 10 anos de desaparecimento. Ele recebe as boas-vindas com uma mistura de felicidade e espanto.

Decepcionado com um plot tão interessante, retorno de uma criança sequestrada e abusada após anos, rendendo um desmanche familiar e uma redenção com novos papéis neste núcleo, além disso, tivemos um condenado pelo crime, mesmo sem haver um corpo. No entanto, a trama avança da maneira mais picareta possível: um ambíguo DNA! Sim, pois a suspeita do exame surge logo no primeiro episódio, mesmo após haver uma decisão judicial liberando o condenado em consequência do resultado do exame.

Daí fica difícil dar credibilidade para a trama, acredito que a disposição dos núcleos, com temas como abuso sexual, política, manipulação da mídia e religião já deem pano para bons arcos e conflitos entre os personagens; mas apelar ainda para um mistério sobre a origem do garoto…parei!

VINYL (canal HBO) – 1ª temporada

vinylSituado nos anos 70 em Nova York, a série irá explorar a indústria musical e todo o movimento Rock ‘n’ Roll em um mundo dominado por sexo e drogas, tudo através da perspectiva do executivo Richie Finestra (Bobby Cannavale) que busca pela próxima banda de sucesso.
Vinyl foi criada e produzida por Martin Scorsese,Terrence Winter e o músico Mick Jagger. O elenco ainda conta com nomes de peso como Ray Romano (Everybody Loves Raymond) e Olivia Wilde (House).

s01e01/02 Pilot/Yesterday Onde More – Nova York, 1973. Junto aos seus parceiros, Richie Finestra — presidente da American Century Records — está prestes a vender sua empresa para a Polygram alemã, em um acordo que inclui um acordo de distribuição envolvendo o Led Zeppelin; no segundo episódio, com os executivos da Polygram na cidade, Richie revela algo bombástico que choca os compradores em potencial, assim com seus sócios; Richie dá ao time um ultimato enquanto a empresa esta indo a falencia

Apesar de toda grife dos nomes envolvidos nos bastidores da série (Mick Jagger, Martin Scorsese e Terrence Winter) mais uma vez não consigo me conectar com a série e seus personagens. O universo é riquíssimo e cheio de possibilidades, porém as escolhas dos personagens e os conflitos que estes apresentaram me decepcionaram pela fragilidade, desde o chefão de gravadora “cherado e loucão” até um assassinato sem querer, nada me parece fugir de obviedades da época e subtramas desinteressantes. Uma pena pois a HBO investe pesado na visão do seu criador, mas nem mesmo o elenco me conquistou!

WICKED CITY (canal ABC) – 1ª temporada

WickedCityCada temporada de Wicked City vai seguir um crime marcante da história de Los Angeles. A primeira vai abordar um caso de assassinato de 1982, no meio do cenário do rock and roll, e drogas na Sunset Strip. Para resolver o caso, alianças entre detetives, jornalistas, traficantes e frequentadores de clubes serão formadas.

s01e01 Pilot – Os detetives Jack Roth e seu novo parceiro Paco Contreras são designados para rastrear um assassino que ataca as mulheres que procuram fama em Los Angeles.

Confesso que fiquei pouco empolgado com o piloto da nova série antológica do canal ABC (que canal não tenha a sua ainda?), talvez porque os criadores resolveram apostar mais na ambientação e cenários dos anos 80 do que propriamente apresentar seus principais personagens. Infelizmente, a dupla principal, o assassino Kent e o detetive Jack Roth pouco funcionaram nesse piloto, porém, o roteiro conseguiu junto à boa presença de Erika Christensen chamar atenção para sua personagem coadjuvante, a princípio, a ambígua Betty.

WYNNONA EARP (canal SyFy) – 1ª temporada

wynonnaTrata-se de um faroeste sobrenatural que acompanha as aventuras de Wynonna (Melanie Scrofano, de Being Erica, The Listener, Damien), descendente de Wyatt Earp. Rápida no gatilho, ela faz parte da Black Badge Division, órgão governamental formado por agentes federais especializados em caçar vilões sobrenaturais, como vampiros, lobisomens, imortais, zumbis e outros monstros.

s01e01 Purgatory – Em seu aniversário de 27 anos, Wynonna Earp relutantemente retorna para sua cidade Purgatory, a fim de lidar com uma maldição que está em sua família há gerações.

Fico impressionado com o olho grande/inveja dos fãs de Supernatural que fazem com que qualquer projeto similar à veterana série não vingue na televisão, mesmo quando tentam fazer spin ofs oficiais; aqui temos uma nova trama cheia de clichês sobre uma garota herdeira de Wyatt Earp que tem poderes para caçar entidades sobrenaturais, claro que com contexto familiares na cidade da qual havia fugido, como uma irmã mais jovem (alguém lembra de série similar?), porém falta, como normalmente acontece ao canal SyFy uma boa produção e elenco, ainda não sei como isso ocorreu em Battlestar Galactica, um oásis em meio a lixeira de séries que o canal produz/produziu nos últimos anos. Fuja!!

 

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: