Quantico (ABC) – 1ª temporada (fora da watchlist em dezembro)

quanticoUm grupo bastante diversificado de recrutas chegam à base do FBI em Quântico para serem treinados. Eles são os melhores, mais brilhantes e mais testados, então parece impossível que um deles seja suspeito de ser a grande mente por trás do maior ataque a Nova York desde 11 de setembro.

s01e01 Run – Um grupo diverso de recrutas chegam à base de treinamento do FBI em Quantico. Eles são os melhores e os mais inteligentes, portanto parece impossível que um deles seja o suspeito de ser a mente criminosa que arquitetou o maior ataque à cidade de Nova York nove meses depois.

Primeiras impressões aqui!

s01e02 America – Alex está em fuga e deve ser mais esperta que Liam e seu time a fim de entrar no seu apartamento e encontrar qualquer coisa que possa ajudá-la a limpar o próprio nome.

Continuo animado com o andamento da série e as possibilidades que a trama vem abrindo, inclusive por envolver os chefes dos cadetes do FBI, assim a conspiração ganha contornos maiores; curto o elenco e não consegui eliminar nenhum personagem do seu comportamento ambíguo. Claro que há ressalvas para algumas situações retratadas como o apartamento de Alex ficar vazio após o chamado, dando oportunidade dela entrar neles, e até mesmo a briga entre ela e a outra cadete latina (cobrindo a cota étnica da série, bastante diversificada).

s01e03 Cover – Alex recebe informações sobre o passado de seu pai no FBI. No futuro, sua mãe é convencida por Liam a fazer um apelo na TV para que Alex pare de fugir da polícia. Em Quântico, os NATs aprendem a arte de criar novas identidades, desafiando a confiança.

Ainda estou com pé atrás com os rumos da produção, até porque já recebeu encomenda de novos roteiros, além dos 13 previstos, porque essa é uma trama que precisa de previsão em função da conspiração. Uma qualidade para a série é que mesmo assim, o roteiro ainda é extremamente intrigante e tenso, não tenho uma menor ideia do que aconteceu e quem esta envolvido, até porque agora começamos a ver alguns personagens do Quantico surgindo já fora do FBI, além de segredos pessoais de outros.

s01e04 Kill – Os recrutas têm a tarefa de realizar um exercício de treinamento de resgate de reféns. Enquanto isso, no futuro, Alex continua a procurar pistas e encontra algo que questiona a inocência de um dos seus colegas mais próximos.

A série parece bem planejado ao adicionar episódio após episódio um personagem conhecido dos flashbacks, no entanto, como sempre acontece com séries que possuem duas linhas narrativas, quando uma é mais interessante que a outra, parte do episódio fica desequilibrado.

s01e05 Found – Os recrutas deixam o campus pela primeira vez em uma operação. No futuro, Alex decide contar seu lado da história e concede sua primeira entrevista pública, na qual todos que assistem questionam sobre quem está dizendo a verdade.

Fico um pouco receoso com o futuro da série após a adição de novos episódios à temporada da mesma, pois não tenho certeza se a trama consegue manter o interesse sem criar “barriga” ou perder impacto com essa ampliação; noto que estes dois últimos episódios já não mantiveram algumas qualidades observadas desde a premiere, espero estar enganado pois gosto do contexto criado e das inúmeras possibilidades que a trama pode apresentar.

s01e06 God – Os NATs aprendem sobre segurança ao colocar em prática suas habilidades com Miranda e seu filho problemático. Shelby tenta manter Caleb a uma certa distância. Raina fica próxima de Simon. No futuro, Alex recebe ajuda ao tentar hackear um computador do FBI. Quantico teve aqui seu momento “Grey’s Anatomy” com todos personagens vivendo momentos românticos e ou sexuais, porém, o roteiro da série tem se mostrado bastante episódico, o que enfraquece a série, ao observarmos que a cada 1 ou 2 episódios o roteiro traz a tona algum personagem dos flashbacks, pelo andar da carruagem, as próximas serão as irmãs gêmeas.

s01e07 Go – Alex Parrish continuará a buscar soluções para provar a sua inocência. Ela encontrará, enfim, Nimah e Raina. As irmãs, por sua vez, farão a Alex refletir sobre quem ela pode ou não confiar. Simon e Ryan, por exemplo, são realmente confiáveis? Como previsto trouxeram as gêmeas para a trama atual, assim a série parece fechar seu primeiro ciclo, a força da mesma decaiu após o quarto episódio, e lamento que irá ter uma temporada completa de 21 episódios se não me engano, não acredito que a série tenha força para tanto, até porque suas storylines do passado no Quantico já estão se esgotando.

s01e08 Over – o sistema do FBI é hackeado, e arquivos confidenciais chegam ao público, levando Alex à conclusão de que há uma segunda bomba em Nova York. Minha atual esperança para a série se firmar agora foi o twist do final do episódio, somente mudando a dinâmica trabalhada até aqui é que a série se segurará! Digo isso, porque notadamente os conflitos pessoais do passado e atuais não seguram a série devido aos fracos personagens, somente marionetes do roteiro, em momento algum tem profundidade real e conflitos palpáveis, assim a trama conspiratória tem toda a carga de manter a série em pé, no entanto, sua espichada já detona que a mesma não terá fôlego, a não ser se apostar numa reviravolta!

s01e09 Guilty – Os recrutas assistem uma aula da oradora convidada Dra. Susan – que passa uma tarefa em que os recrutas precisam analisar casos de serial killers para encontrar uma vítima que não se encaixa ao caso. No futuro, Alex é interrogada por uma equipe. Mesmo contando com uma storyline do passado bacana, na qual os cadetes investigam serial killers conhecidos, com participação de Anne Heche, pela primeira vez, tive vontade de abandonar a série, tudo me leva a crer que a piruetagem do roteiro no sentido de manter o suspense da conspiração irá promover uma descaracterização de todos personagens apresentados até aqui, pensando bem…

s01e10 Quantico – Um plano de espionagem pode revelar o verdadeiro culpado, mas também faz com que segredos profundos sejam revelados, deixando a amizade e colaboração do grupo com Alex balançada. Facilmente consigo imaginar que este roteiro foi criado após o pedido de temporada completa da série, pois se até o episódio anterior tínhamos um jogo de gato-e-rato, aqui vemos, pela primeira vez, mesmo que de maneira confusa, o elenco todo reunido em busca do terrorista(s); sim, é completamente desnecessário o conflito dos agentes com Alex, até porque há superiores envolvidos, mas pelo menos a trama conspiratória subiu um degrau.

s01e11 Inside – Os terroristas responsáveis pela bomba na Grand Central Station finalmente se mostram. De volta a Quântico, os recrutas recebem alguns dias de folga no fim de ano, mas nem todos ficam no espírito das festas quando segredos são revelados.

Aproveito o intervalo da temporada para me afastar da série, largo aqui! Depois de imaginar que a renovação/adição de novos episódios acabaria por render uma bela “barriga” a série, tudo que havia de tenso no texto se transformou num interminável jogo de gato-e-rato no qual a cada episódio temos uma apresentação de suspeito que até o final do mesmo é dissipada, ou praticamente, pois lá na frente pode ser usado novamente. Uma pena, gosto das temáticas conspiratórias, mas embalado como Grey’s Anatomy não rendeu um bom thriller.


%d blogueiros gostam disto: