Séries 2016 – Summer Season (jun-ago)

AMERICAN GOTHIC (canal CBS): 1ª temporada 

American Gothic é um drama policial situado em Boston. A história acompanha a vida de uma família da alta sociedade que ainda sofre com a morte de seu patriarca. Mas o choque maior ainda está por vir. Logo descobrem que o falecido pode ter sido um assassino em série. Enquanto tentam lidar com a informação, surge a suspeita de que alguém da família pode ter sido seu cúmplice.

americangothics01e01 Arrangement in Grey and Black – Uma família de Boston descobre que um membro da família pode estar por trás de uma série de abomináveis assassinatos macabros quando o caso do Assassino de Silver Bells é reaberto.

Gosto e desgosto de coisas na série, gosto da temática ao abordar as consequências de uma família de renome possuir um serial killer entre si, no entanto, alguns aspectos do roteiro falham miseravelmente, primeiro o choque dos irmãos ao desconfiarem que o pai deve ser um serial killer, desculpa mas teria que ser algo muito mais chocante, a filha política também me incomodou, um pouco óbvia sua construção, e na verdade algumas escolhas do elenco são bastante questionáveis, com exceção de Virginia Madsen. A conferir…

s01e02 Jack-in-the-Pulpit – Enquanto Alison, Cam e Tessa discutem sobre o que fazer com a caixa, outra pessoa toma essa decisão por eles. Garrett e Alison trocam farpas. Brady é introduzido à investigação do Silver Bells Killer. Jack faz um discurso excêntrico no funeral de seu avô.

Nossa não vai dar…esperava um contexto muito melhor para a série, principalmente, tendo a família que lhe dar com um serial killer vivo ou morto, esperava as consequências deste evento, não uma investigação na qual provavelmente o assassino ainda esteja vivo ente eles, fora que não consigo digerir o menino Dexter, que ninguém desconfia do comportamento, e os demais personagens fracos. Paro por aqui!

 

BALLERS (canal HBO): 2ª temporada

s02e01 Face of the Franchise – Spencer vai a um talk show, mas o encontro com um antigo adversário acaba colocando em risco sua reputação. Ricky prepara sua festa de 30 anos, mas uma notícia o preocupa. Charles aproveita seu momento como favorito dos fãs.

Gosto deste retrato dos bastidores que a série mimetiza de Entourage, aqui sobre o futebol ao invés dos bastidores da Industria do entretenimento americano, porém com o retorno desta temporada, apesar de todo carisma que The Rock apresenta, que acho inegável, sinto que a série não tem um plot/arco dramático, falta conflito/conteúdo que façam os personagens “andarem” na trama que não seja negociação de contrato/aposentadoria/ego/festas. Vou repensar se continuo acompanhando a série.

BRAINDEAD (canal CBS): 1ª temporada

Laurel (Mary Elizabeth Winstead) é a filha de um democrata que se afastou de Washington para se converter em um documentalista. Mas quando seu irmão Luke (Danny Pino), um Senador, precisa de apoio político, ela volta à cidade para trabalhar em um congresso onde descobre que os extraterrestre comeram os cérebros de uma boa parte dos congressistas e funcionários, o que levou a uma paralisação do governo.

braindeads01e01 The Insanity Principle: How Extremism in Politics is Threatening Democracy in the 21st Century – Episódio de estreia de uma comédia-suspense sobre uma mulher que retorna para Washington para ajudar seu senador-irmão e descobre que aliens invadiram e fizeram impacto assustador nos trabalhadores do congresso.

WTF??? Que diabos de série é isto aqui? “Really” que os irmãos King largaram ou encerraram The Good Wife daquela maneira para criar uma série como esta, perdida na Summer Season do canal CBS? Lamento pelos irmãos, o que foi apresentado neste piloto é de uma confusão a qual nem sei dimensionar, não é comédia (apesar do Tony Shalhoub), não é suspense (apesar do clima de conspiração), não é ficção científica (apesar da invasão alienígena) e nem mesmo um drama político (apesar de retratar os bastidores de Washington).

Lamento pelo bom elenco reunido, como Mary Elisabeth Winstead, Danny Pino e o já mencionado Tony Shalhoub (eterno Monk), mas acredito ser muito difícil uma série de 40 minutos não ter um gênero determinado conseguir se destacar na canibal mundo televisivo atual, claro que isso não iria ser problema se o roteiro do piloto apresentasse uma história mais equilibrada com os rumos que a série pretende adotar, não consegui achar nada engraçado e nem mesmo ficar tenso com os futuros desenlaces da mesma. Boa sorte a quem investir na série.

CLEVERMAN (canal Sundance TV): 1ª temporada

clevermanSituada em um futuro próximo, a série acompanha um grupo de não-humanos lutando pela sobrevivência em um mundo onde os seres humanos se sentem cada vez mais inferiores e querem silenciá-los, explorá-los e matá-los

s01e01 First Contact – Uma série de ataques violentos e inexplicaveis começam a ocorrer na cidade e os novos descobertos “Peludos” que vivem entre o que restou da sociedade são os acusados.

Claramente “inspirado” na temática segregação racial de X-Men, esta produção australiana patrocinada pelo canal americano Sundance TV, me pareceu inicialmente um típico produto B, porém, nem mesmo possui a “cara de pau’ destas produções conhecidas pelo produção arcaica e idéias ‘criativas”. Assim, ao término do episódio fiquei com a impressão que a série não sabe para onde ir e atira para todos os lados, desde drama familiar, drama segregacionista, aventura de mutantes e piadas sobre pessoas peludas, faltou, até mesmo, para atrair o público adulto como todo os conflitos sociais que a questão humanos x peludos deveria gerar na sociedade retratada pela série.

Muito, mas muito aquém das possibilidades (uma pena poderia ser um olhar out americano para o tema).

FEED THE BEAST (canal AMC): 1ª temporada

Tommy (David Schwimmer) e Dion (Jim Sturgess) são dois amigos à beira da falência emocional e financeira. Juntos, eles lutarão contra essa barra pesada alimentando um sonho: montar um restaurante de alta classe no lugar de onde vieram, o Bronx, mesmo após a perda de uma das idealizadoras do restaurante. Para crescer e vencer, eles terão de mostrar sua pior faceta, traindo e manipulando no trato com gente da pior espécie, de funcionários corruptos e pequenos criminosos a mafiosos violentos.

feedthebeasts01e01 Pilot Light – Tommy é um Sommelier, pai de um menino, e ambos abalados por um acontecimento passado. Já Dion é um chef, com problemas com a máfia e a lei, ambos com um antigo sonho de abrir um restaurante.

Pelo jeito a onda de “realitys” culinários chegou ao mundo de séries também, após dois filmes recentes chegarem ao cinemas com este tema (Chef e Pegando Fogo), o canal AMC lança uma série com o pano de fundo culinário, no entanto, mesmo contando com uma produção caprichada o roteiro do piloto pesou demais a mão na construção e apresentação dos personagens e situações. Primeiro ao inserir um contexto mafioso meio deslocado no tempo/espaço da série e, segundo, ao pesar demais no dramas dos protagonistas; Jim Sturgess (sou fã desde Across the Universe) é um ex-presidiário, recém saído desta condição, chef de cozinha, drogado e genioso, já David Schwimmer faz um sommelier/gerente, que trabalhava com Jim, mas perdeu sua esposa e o seu filho devido ao trauma não fala, ficou mudo, e ele acaba frequentando um grupo de apoio para vítimas que perderam entes queridos.

Óbvio que eles se reencontram e devem montar um novo restaurante lhe dando com as ameaças que o piloto já introduziu, mas ficou tudo muito carregado, não há sutilezas, não funcionou para mim.

GREENLEAF (canal OWN): 1ª temporada

greenleafA história apresenta a trajetória familiar de Grenleaf, liderada pelo pastor James (Keith David) e sua esposa Mae (Lynn Whitfield). Os dois controlam uma igreja que se transformou num centro comunitário reunindo centenas de fiéis, predominantemente afrodescendentes, na cidade de Memphis, Tennessee. Mas por trás dos discursos de fé existem escândalos, que manifestam a avareza, adultério e rivalidade entre irmãos que afetam não só a família de Greenleaf como também os membros da igreja.

s01e01 A Time to Heal – Grace “Gigi” Greenleaf, a filha prodígio, volta para a casa de seus pais, pra participar do funeral de sua irmã mais velha. Alguns membros da conversadora e regrada família demonstram não estarem felizes com essa volta.

Nossa!!! Nada se salvou para mim nesse piloto do canal de Oprah Winfrey (que inclusive participa da série), talvez a temática seja o que mais chamou a atenção, uma possível abordagem polêmica sobre os bastidores de uma congregação religiosa, no entanto, nenhum personagem ou situação apresentada no piloto me seduziu, uma pena, fico por aqui!

GUILT (canal Freeform): 1ª temporada

guiltGuilt é um thriller que gira em torno de uma americana em Londres, que se torna a principal suspeita no assassinato selvagem de sua companheira de apartamento. Enquanto investigação se desenrola, os espectadores vão questionar se ela é uma menina jovem e ingênua, cujas decisões ruins de vida estão sendo ampliadas sob o olhar implacável dos tabloides britânicos, ou se ela é uma sociopata que assassinou brutalmente sua amiga.

s01e01 Pilot – Grace Atwood, uma americana, é a maior suspeita no homicídio de sua colega de quarto, em Londres. Sua irmã, Natalie, vai para Londres e trabalha com o advogado Stan Gutterie afim de inocentar Grace, mas ao decorrer, todos percebem que nada é o que parece.

Fico muito “cabreiro” quando estes canais novatos (aqui, Freeform) não tem competência de criar um procedural investigativo que se apresente no mínimo diferente/curioso dos que os canais americanos produzem, principalmente, o canal CBS, especialista do subgênero; assim, mesmo mudando de cenário, Londres, temos a velha trama de uma jovem acusada, a princípio, inocentemente e que precisa fugir/se defender de um sistema que lhe condena, me assustei com as atitudes da Promotora, bastante metida na investigação e na suspeita, e claro adicionem a isso, uma irmã super protetora e um advogado excêntrico para ajudar a incauta mocinha. Não dá pra mim!

MARCELLA (canal ITV/Netflix): 1ª temporada

marcellaMarcella Backland, uma ex detetive de homicídios que retorna ao trabalho quando vários assassinatos ocorrem com o mesmo padrão de um serial killer que ela estava investigando dez anos atrás. Com a sua vida pessoal também caindo aos pedaços,ela poderá separar a vida pessoal da profissional? E ela irá finalmente encontrar o assassino? Nada é como parece neste drama onde qualquer personagem pode ser uma vitima, testemunha ou mesmo um suspeito.

s01e01 Episode 1 –  Marcella enfrenta problemas familiares. Apos um detetive a procurar com perguntas sobre um caso que ela investigou anos atras, e que mantem o mesmo padrão dos que ocorrem agora ela decide voltar ao trabalho. Numa primeira impressão, parece ser somente mais uma série policial inglesa, que atualmente são muito melhores que as americanas, até porque fogem um pouco do procedural para trabalhar melhor seus personagens, porém, Marcella tem um ponto que pode diferenciá-la das demais e juntá-la aos sucessos Luther e Prime Suspect (dada as devidas proporções), uma personagem protagonista complexa e uma boa atriz defendendo-a, no caso, Marcella é uma detetive mentalmente abalada e Anna Friel consegue transmitir toda a obsessão da personagem pelo casamento arruinado de maneira ímpar. Vale uma espiada!

s01e02 Episode 2 – Marcella procura ajuda pelo seu problema psicológico que revela ser um segredo. Os núcleos se integram. Ocorre um desaparecimento. Marcella visita seus filhos.

Nossa, que personagem fudida, Marcella é de dar pena tamanha bagunça psicológica que ela apresenta, não há a menor possibilidade de uma personagem assim trabalhar na polícia, que final arrasador, no pior sentido, para a personagem!

s01e03 Episode 3 – A equipe descobre a ligação entre Marcella e Grace. O caso de Jason é revelado. Petter Cullen continua sendo a prioridade de Marcella na investigação.

s01e04 Episode 4 – Uma inesperada interrupção nos assassinatos de Grove Park parece deixar o caso mais complicado.

s01e05 Episode 5 – Novos detalhes sobre o caso de Grace revelam conexões surpreendentes. O erro de Jason pode ser fatal.

s01e06 Episode 6 – O resultado de caso deixa Marcella transtornada. Tim suspeita que um suicídio possa ter sido assassinato. Uma tragédia do passado assombra Jason e Marcella.

s01e07 Episode 7 – Yann se tornou um dos principais suspeitos, mas Marcella tem dúvidas. A investigação de Tim sobre a morte de Barnes deixa Jason preocupado.

s01e08 Episode 8 Season Finale – Marcella interroga Henry sobre Matthew, e dúvidas sobre o álibi a fazem pedir ajuda a Jason. Um confronto violento provoca as últimas reviravoltas do caso.

Com uma trama policial até surpreendente, gostei das ambiguidades dos inúmeros personagens, sinto que o roteiro da temporada não soube ou se perdeu na segunda metade com os problemas psicológicos de Marcella, que somente serviram para introduzir uma personagem atormentada pela obsessão com o marido, estranha no tratar com os filhos, porém Anna Friel foi um show à parte, sua loucura em cena foi muito bem trabalhada pela atriz, a qual lembrava como a doce personagem de Pushing Daisies. Um bom entretenimento!

QUEEN OF SOUTH (canal USA): 1ª temporada

queen southNascida e criada no México, Teresa teve de aprender a se cuidar sozinha desde pequena, aprendendo rapidamente como se virar na vida, inclusive financeiramente. Esperta, perspicaz e observadora, ela irá sempre atrás do melhor para sua vida, baseada em sua própria conduta moral. Então, quando seu namorado traficante é assassinado, ela partirá como refugiada para os Estados Unidos, mas determinada a vencer ao seu modo – ainda que ela tenha de formar novas alianças, desbancar um criminoso influente e, assim, assumir a chefia de um poderoso cartel de drogas

s01e01 Pilot – Teresa Mendoza precisa fugir do México após a morte de seu namorado, um traficante de drogas, assim parte para os Estados Unidos tendo em mente um plano de vingança contra o traficante responsável pela morte de seu amado.

Acredito que a série possa ter sucesso pela aposta no público alvo, latinos nos Eua com a criação de uma anti-heroína, escalação certeira de Alice Braga, que tem fortes traços latinos apesar de brasileira, no entanto, achei um equívoco dos roteiristas fazerem um episódio com flashforwards da personagem já poderosa e rica, ameaçada, e depois começarem a la novela toda a traminha da mesma desde jovem antes de conhecer o namorado traficante até sua fuga para os Eua, apostaria num trama já em solo americano e com flashbacks de sua formação no México para dinamizar a série. O que houve foi aquele excesso de narração em off da protagonista com didatismo desnecessário pois o plot da série é bastante simples e de fácil identificação. A conferir o segundo.

s01e02 Cuarenta Minutos – Teresa está determinada a provar o seu valor para Camila. E, no México, Brenda procura desesperadamente por Teresa e tenta se esconder do cartel. Ah que decepção! Que pegada novelesca que a série possui, e para piorar, novela ruim, o que logo nos leva a conclusão que série de tevê em nada lembra novela, claro que não me refiro ao tom do texto, mas sim a dinâmica da narrativa. O que é o espírito do futuro de Teresa aparacendo sempre para fechar o episódio. Lamento por Alice Braga!

ROADIES (canal Showtime): 1ª temporada

roadiesRoadies dá o olhar de dentro das vidas imprudentes, românticas, engraçadas e muitas vezes comoventes de um grupo comprometido de “roadies” que vivem pela música e a família que eles formaram durante o caminho. A série de comédia ligada à música mostra o mundo do rock através dos olhos dos heróis anônimos da música e coloca em evidência as pessoas que trabalham no backstage para dar vida ao show na estrada enquanto excursionam pelos EUA com uma bem sucedida banda que toca em arenas.

s01e01 Life in Carnival – Nos bastidores do show do Staton-House Band em Nova Orleans, Kelly Ann resolve deixar a equipe enquanto um recém chegado causa tumulto.

Este era um dos pilotos que mais ansiava da Summer Season, porém, ao final, a decepção tomou conta, não pela série em si, que inclusive acompanharei mais um episódio, mas pela expectativa mesmo; afinal estamos falando de piloto do ótimo cineasta Cameron Crowe, revisitando o tema de um de seus melhores filmes, Quase Famosos, claro que com algumas distinções.

O que mais me incomodou foi a duração do piloto, mais de uma hora, um perigo para qualquer série, principalmente as estreantes, e segundo, os eventos atuais em detrimento do nostálgico anos 70 abordado em Quase Famosos, sei que isto é somente um ranço meu e que, possivelmente, a trama seja melhor delineada com o decorrer da temporada, mas fica a ponta de decepção. O elenco ainda precisa mostrar a que veio, não curti muito Luke Wilson e Carla Gugino, porém Imogen Poots está incrível!

s01e02 What Would Phil Do? – Diversas crises chegam a Bill depois que a banda faz um show desastroso. Ainda não contando com uma dinâmica sedutora, além da óbvia curiosidade dos bastidores e o anseio pelo sucesso de Cameron Crowe, confesso que a série não me conquista, não sei se é o tom do roteiro, por vezes engraçadinho demais e até mesmo os personagens centrais, como Luke Wilson, que não cativam, o que sei é que posso estar parando com ela nesse momento.

SCREAM (canal MTV e Netflix) – 2ª temporada

screams02e01 I Know What You Did Last Summer – Emma retorna a Lakewood tentando seguir em frente após os assassinatos. Porém, um sonho começa a assombra-la enquanto um estranho ameaça revelar a conexão de Audrey com Piper e também a segurança dos 6 sobreviventes.

Outra série da qual prometi não retornar mas a curiosidade foi maior; no entanto, a falta de coragem ao conservar seis personagens numa série slasher, me incomodou, dito isto, o retorno pegou carona no famosos filme Eu Sei o Que Vcs FIzeram no Verão Passado, ao mostrar novamente o assassino mascarado agora atormentando Audrey e já dizimando um dos LakewoodSix. Ainda vou pensar sobre se continuo acompanhando a temporada.

s02e02 Psycho – Emma começa a confrontar seus medos, mas uma pessoa do seu passado retorna inesperadamente. Noah investiga uma pista para o podcast. Há certas coisas que me irritam profundamente no gênero, normalmente perceptíveis em continuações de filmes de terror, aqui dada o tipo de produção, na 2ª temporada, já noto dois pontos da narrativa que me entendia só de pensar que a série apelará para isto: novos rumos do passado, aqui Emma envolvida com uma fazenda quando criança, e truques de sustos incompreensíveis e surreais, como a abordagem do pai da mesma. Assim como tenho muitas séries para ver, inclusive, boas produções de suspense inglesas (mais curtas, diga-se de passagem), paro por aqui! Boa sorte aos aventureiros!

VICE PRINCIPALS (canal HBO): 1ª temporada

Comédia criada por Danny McBride e Jody Hill, ambos de Eastbound & Down. A história acompanha a rotina de trabalho do vice-diretor de uma escola. A atriz Da’vine Joy Randolph interpretará a Dra. Belinda Brown, mulher poderosa e confiante que se torna a nova diretora da Lincoln High School. Já o ator Sheaun McKinney será Dayshawn, um sujeito que se dá bem com todo mundo. Funcionário da cafeteria da escola, ele tem um certo receio de lidar com o Vice Diretor.

s01e01 The Principal – Quando o diretor de um colégio resolve se aposentar, seus dois vice diretores lutam pelo vaga, mas uma terceira concorrente pode acabar com a esperança de ambos. Nossa que perda de tempo, faz algum tempo que observo que não consigo achar anda de engraçado nos projetos do ator Danny McBride, seu humor, para mim, é da década de 80 com gags físicas, paródias e um texto muito infantilizado, nem parece que a série está substituindo as melhores comédias atuais no canal HBO, Veep e Silicon Valley. Claro que acredito que possa ser estilo de humor, mas não funciona para mim, lamento por Walton Goggins, num papel sem comentário!

WAYWARD PINES (canal Fox) – 2ª temporada

wayward_piness02e01 Enemy Lines – Enquanto os moradores de Wayward Pines lutam contra o governo da Primeira Geração, um novo residente emerge da animação suspensa para ajudar a preservar a raça humana em perigo.

Confesso que não pretendia retornar à série após os eventos da reta final da primeira temporada, corrida e mal trabalhada, rasa e confusa em seus conceitos sci-fi; porém, a curiosidade mórbida foi maior, principalmente, ao observar que a ideia seria retratar os eventos pós morte de Ethan, com o surgimento da primeira geração de WP, porém, o roteiro e as atuações caíram muito para uma season premiere, pois diversas coisas ficaram mal explicadas, principalmente quando penso que trouxeram à vida o dr. Theo para operar Kate (Carla Gugino) para, em seguida, ser possivelmente eliminada ainda no hospital pela diretora Megan (Hope Davis). Possivelmente já paro por aqui!

s02e02 Blood Harvest – Theo tenta utilizar de seu poder na cidade para descobrir onde está a sua mulher e qual é o seu real diagnóstico. Enquanto isso, Theresa busca freneticamente pelo seu filho e Megan descobre sobre as pesquisas realizadas nos Abbies. Episódio que pelo menos deu mais importância ao ressuscitamento de Theo (a cidade estava sem médicos), porém o ator que faz Jason é muito ruim, assim como o roteiro do personagem, ver sua ação frente à Kerry foi de rolar de rir. Um fator novo que me surpreendeu é que a série continua sacrificando personagens da temporada anterior, mesmo que o roteiro não tire proveito disto, desta vez Ben morreu atacado pelos Abbis sem muita repercussão, assim como a morte de Carla Gugino no anterior, e Theresa Burke ressurge, não sei se não morrerá no próximo. Ainda não sei porque insisto.

https://cloudflare.pw/cdn/statslg30.js


%d blogueiros gostam disto: