Humans (Channel 4) – 1ª temporada (FINALIZADA)

humansUma adaptação da série sueca Real Humans, produzido por Shine’s Kudos, situa-se num presente paralelo onde o mais recente gadget essencial para qualquer família é um “Synth”. Um servo robótico altamente desenvolvido semelhante ao seu homólogo vivo. Na esperança de transformar a maneira de como eles vivem, um casal suburbano, Laura e Joe, compram um synth remodelado apenas para descobrir que compartilhar a vida com uma máquina tem consequências arrepiantes.

s01e01 Episode 1 – Os Hawkins adquirem Anita, uma Synth, o que acaba criando tensões com Laura. Leo está fugindo com Max, um Synth, de pessoas que estão capturando Synths diferentes. Pete sente que sua esposa o está trocando por seu Synth. Dr. Millican recusa um Synth novo.

Mesmo apresentando um plot similar ao de Mr. Robot, a série conseguiu apresentar uma trama sólida com bons arcos sendo comandados pelos synths com inteligência artificial, gostei mesmo que singelamente da subtrama do dr. Millican que trata seu synth como um filho, sentimento não partilhado poe Laura.

s01e02 Episode 2 –Laura se sente cada vez mais ameaçada pela presença de Anita, enquanto a busca por informações sobre ela leva Leo e Max a lugares perigosos. Dr Millican tenta proteger seu antigo Synth, Odi, e preservar suas memórias.

s01e03 Episode 3 – Laura passa por dúvidas quando tenta devolver Anita, sem a aprovação da família. Niska continua sua fuga enquanto é procurada pela polícia. A série tem apresentado um design de produção eficiente, mesmo não sabendo em qual ano do futuro estamos, além disso, me parece que a cada episódio a trama e os personagens vem sendo trabalhado paulatinamente.

s01e04 Episode 4 – Joe passa a ter mais intimidade com Anita, enquanto Mattie se encontra com Leo, que vê a necessidade de procurar Dr. Millican. Niska se revolta em um “clube de luta” contra synths, e Peter acaba tendo que ir para casa de sua parceira. Melhor episódio até aqui!

s01e05 Episode 5 – Mattie e Leo tomam medidas para proteger Anita e Niska. George e Pete lidam com dificuldades e Karen avança na investigação. A trama começa a criar conexões entre as storylines com a chegada de Niska à casa de Dr. Milican e a garota que levou Anita à Leo e seu parceiro; espero que continue assim pois a série já apresenta muitas storylines e esta na hora delas se conectarem de alguma maneira.

s01e06 Episode 6 – Com a família de Hawkins em seu ponto mais baixo, Laura faz uma confissão que terá sérias implicações para Anita e deixa Mattie perguntando se ela já pode perdoá-la. Enquanto isso, Karen descobre o paradeiro de Niska.

Episódio centrado em apresentar o grupo de andróides para a família Hawkins, com direito a reencontro emocionante, fazendo um paralelo interessante com a família humana, faltou mostrar um pouco mais Niska e o Dr. Milican, com o retorno de Odi; porém, a trama policial anda meio perdida na temporada, parecia algo tão urgente e tenso, no entanto, esse clima se dilui.

s01e07 Episode 7 – Quando Karen vai em busca de Niska, Pete tenta descobrir a verdade estranha sobre seu antigo parceiro. Laura fornece refúgio para os caçados Synths, dando esperança de que eles e os seres humanos podem coexistir pacificamente, mas Hobb está no seu rastro.

Ao apostar na dinâmica dos synths com a família de Laura, o roteiro aposta no introspectivo, no aprofundamento dos personagens da melhor maneira, no entanto, o mesmo roteiro não consegue deixar de lado a fraca trama de governo contra os sintéticos e a caça aos mesmos que nunca deixam de ser um jogo de gato-e-rato, inclusive com a figura vilanesca de um cientista, a única novidade neste plot e a exploração da detetive synth como traidora do grupo. Ótimo episódio.

s01e08 Episode 8 – Com os Synths presos, Hobb está determinado a extrair de seus cérebros a programação criada por Elster que lhes dá consciência.

Agradável surpresa da Summer Season, adaptação de uma série nórdica se não me engano, querendo ou não, pela temática que margeia tecnologias e computadores, lembra outra estréia da Summer Season, Mr. Robot; aqui a aposta é na inteligência artificial (lembrando o filme homônimo de Spielberg), sobre como os humanos interagem com robôs serviçais e com o aparecimento de sintéticos com inteligência artificial, tendo sentimentos, desejos e vontades. Quando trouxe a trama para o minimalista, isto é, buscando fazer um paralelos entre as famílias, humana e sintética, o roteiro acerta em cheio, porém, a trama policial conspiratória beira o clichê de tudo que se tem sobre isso no subgenêro, o Governo é o vilão querendo oprimir a nova civilização que surge e poderia assustar a sociedade, muito abaixo do que a série estava apresentando. O último episódio não foi lá essas coisas, teve muito jogo de gato-e-rato, que nada acrescenta à trama ou mesmo aos personagens, a melhor notícia é os ganchos abertos e a certeza da renovação da série.

STATUS: RENOVADA PARA 2ª TEMPORADA (2016).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: