Orange Is The New Black (Netflix) – 5ª temporada (FINALIZADA)

s05e01 Riot FOMO – Com a rebelião correndo solta em Litchfield, Daya começa aos poucos perder o controle e o comando de tudo.

s05e02 Fuck, Marry, Frieda – Maria convoca uma reunião especial na capela enquanto as detentas planejam seu próximo passo. Frieda usa as técnicas de sobrevivência que aprendeu quando era criança.
Flashback: Frieda

Pelo jeito teremos uma temporada com dinâmica inédita, toda ela deve se passar num curto período de tempo, pelo que me informei seriam 3 dias, se isto pode tranquilamente gerar um roteiro mais complexo por haveria tempo para ilustrar diversos arcos e finalizá-los, neste primeiro par de episódios, fico com uma ressalva da mesmice e aparente protagonismo de personagens que era boas somente coadjuvantes, não há tramas para elas, como no caso do passado de Frieda, desinteressante.

s05e03 Pissters – Black Cindy e Taystee organizam uma lista de demandas. Jude King tenta escapar. Os guardas planejam contra as prisioneiras.
Flashback: Linda

s05e04 Litchfield’s Got Talent – A arma troca de mãos e as que agora detém o poder decidem fazer um show de talentos com os guardas.
Flashback: Alison

Como imaginei, enquanto a questão da rebelião e situação de reféns com os guardas gera bons argumentos e diálogos, o roteiro sente necessidade de criar humor, por vezes exagerado como neste último episódio, porem a questão de Linda, tanto sua storyline quanto seu flashbacks são desinteressantes, além disso, notem que definitivamente Piper perdeu o protagonismo da série, virou um alívio cômico.

s05e05 Sing it, White Effie – Taystee faz uma declaração emocionante sobre o que aconteceu com Poussey e sobre como as detentas são tratadas.
Flashback: Watson

Não fosse o ótimo arco de Taystee com Judy e as discussões que eles geraram seria um bom episódio, assim ficou ótimo, Taystee têm se mostrado uma personagem riquíssima desde que havia se tornado auxiliar de Caputo, agora novamente tem um bom arco para chamar de seu.

s05e06 Flaming Hot Cheetos Literally – Boo defende Doggett, Janae consola Soso e Lorna dá em cima de Nicky. Enquanto Alex fica na dela no pátio, Piper decide assumir uma posição.
Flashback: Taystee

Se tem uma personagem que conseguiu se destacar até aqui neste confusa quinta temporada, é Taystee! Digo confusa não pelo qualidade ou roteiro, digo no sentido de que se propôs a uma narrativa contínua num determinado limite de tempo, no qual não há equilíbrio entre o drama e a comédia, gêneros que em outras temporadas conseguiam se equilibrar de melhor maneira. Porque Taystee? porque sua personagem além de não ficar “perdendo tempo” com bobagens cômicas nos episódios assumir um claro papel de negociadora na rebelião, fácil fácil a melhor até aqui!

s05e07 Full Bush, Half Snickers – Black Cindy arma um esquema para distrair Suzanne quando ela surta. Taystee e Piper procuram um jeito de honrar a memória de Poussey. Ainda que relevante dentro da linha narrativa, sinto que o roteiro começa a criar subterfúgios dramatúrgicos para preencher os 13 episódios da temporada. Acho uma pena, pois a série tem personagens tão ricas e complexas que acredito que se tivessem escolhido, sei lá, 6 para serem o centro narrativo da temporada e desenvolvessem as demais e os temas em torno delas, a temporada serie mais interessante do que se projetou para esta.

s05e08 Tied to the Traintracks – Quando o rumo das negociações mudam repentinamente, Daya é forçada a tomar uma decisão difícil. Flashback: Daya

s05e09 The Tightening – Piscatella entra em Litchfield e começa a derrubar detentas. Red tem um mau pressentimento, mas as detentas acham que ela está sendo paranoica. Taystee e Black Cindy ganham um aliado improvável. Flashback: Red.

Comecei nestes últimos episódios a maratonar seguidamente os episódios, em duplas principalmente, e observo que os roteiros a partir do momento que deixaram de lado as brincadeiras e tom cômico excessivos, a temporada deu uma guinada para melhor consideravelmente, no entanto, já anuncio: perderam um ótimo plot- rebelião – nesta temporada de maneira sem volta! Não há como deixar de notar que discursos e fortes pautas se perderam em meio a episódios de uma hora com necessidade de criar plots para 20 personagens, em sua maioria com tons cômicos. Não é uma crítica é uma constatação!

s05e10 The Reverse Midas Touch – Taystee tenta manter o controle das negociações. Angie tem uma ideia para consertar o dedo de Leanne. O passado de Piscatella é revelado.
Flashback: Piscatella

s05e11 Breaking the Fiberboard Ceiling – Red e as outras examinam suas opções. Gloria luta com a própria consciência quando resolver levar um plano em frente. Lorna assume o controle da farmácia.

Neste duplo, o claro destaque ficou por conta do passado de Piscatella, que nutre um ódio aos presidiários beirando a insanidade, e uma forte sequência de tortura envolvendo Red e este personagem. Outro destaque destes últimos episódios sem sombra de dúvidas foi Suzanne, imersa em sua loucura patológica em meio ao caos da rebelião, que interpretação!

s05e12 Tatto You – Boo faz uma chantagem, Nicki promete ajudar Lorna, Doggett faz uma descoberta e Piper chega a uma conclusão sobre Alex.

s05e13 Storm-y Weather Season Finale – No terceiro dia da rebelião, Litchfield vira um caos. Inseguras, todas buscam consolo nas pessoas que amam, enquanto esperam os próximos acontecimentos da rebelião.

Chegando ao final da temporada, lamento pelos caminhos adotados pelos roteiros, digo isso porque pra mim, a escolha de passar a temporada em somente 3 dias, poderia ter um efeito de retratar as dezenas de personagens num microcosmo, porém a ideia parece ter sido abortada em prol da comédia, numa metade da temporada, em tom quase de galhofa! Convenhamos, impossível de ocorrer no mundo real, acredito que faltou muita tensão e nervosismo (inserido na segunda metade) e os bons temas levantados pela rebelião se dispersam em plots irrelevantes.

Não gosto da maneira como a finale não termina a questão da rebelião, afinal tivermos 13 episódios para isto, não havia necessidade de espichar o arco para um próxima temporada (viu Sense8?). A invasão policial também foi muito fraca com total apontamento para o incidente da bala de pimenta da cara, foi desenhado e pouco sutil. Em detrimento disto, a sequência de invasão com as garotas ainda na piscina foi impactante!

Dito isto, a temporada é plenamente “assistível”, continua uma série bastante simpática mesmo com todos os temas espinhosos, em meio a toda diversidade mostrada e questões sociais relevantes, tivemos a ascenção de Taytee, Danielle Brooks, com a morte de Poussey e seu papel de negociadora a personagem cresceu absurdos e foi a verdadeira protagonista da temporada; o restante do elenco continua incrível, com destaque novamente para Suzanne, que tem cenas fantásticas, e a lamentar o papel bobo de Red na primeira metade da temporada (depois de um salto dramático incrível).

STATUS: INDEFINIDO (jun/17).

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: