The Sinner (canal USA) – 1ª temporada (mini série) (FINALIZADA)

Baseado no best-seller homônimo, o drama The Sinner acompanha a jovem mãe Cora (Jessica Biel) que, durante um ataque de raiva inexplicável, comete um ato de violência assustador – e, para seu horror, sem saber por quê. O investigador Harry Ambrose (Bill Pullman) é encarregado de descobrir um motivo, mesmo que esteja enterrado no inconsciente da moça, e acaba desvendando segredos violentos de seu passado.

s01e01 part I – Durante um ataque de raiva inexplicável, uma jovem mãe comete um ato de violência assustador.O investigador Harry Ambrose é encarregado de descobrir um motivo, mesmo que esteja enterrado no inconsciente da moça, e acaba desvendando segredos do seu passado.

s01e02 part II – Cora tenta bloquear a investigação contínua de Ambrose, enquanto Mason luta para entender os segredos do passado de Cora.

s01e03 part III – Ambrose descobre um segredo surpreendente sobre Cora que muda o curso da investigação; Mason toma as coisas em suas próprias mãos.

Demorei um pouco em adicionar a série do canal USA na minha watchlist por “pouca fé” no contexto da mesma, inclusive proposta, claro que contar com Jessica Biel como protagonista em nada me impressiona ou seduz, sempre achei a atriz uma mera beleza televisiva, desde os tempos de Seventh Heaven (seriado familiar/religioso ao qual a atriz pertenceu durante anos).

No entanto, ao observar o piloto e a maneira como o plot inicial foi trabalhado com tantos mistérios, envolvendo fé, drogas, prostituição, amnésia, taras uma luzinha verde se acendeu, será que o canal USA conseguirá novamente chamar a atenção após o sucesso de crítica Mr. Robot? Lembrando que o canal é conhecido até então como um canal de tevê fechado que aposta em séries de aventura/ação/espionagem ou de subgêneros (médico/direito) mais leves e sem grandes consequências.

Expectativas subindo!

s01e04 part IV – O detetive Harry incentiva Cora a tentar relembrar aquilo que sua memória bloqueou, através de terapia. Cora começa a ter flashbacks que guiam a investigação a mais uma surpreendente descoberta.

Cora e Harry têm se mostrado personagens riquíssimos, agradecemos aos roteiristas, e torcemos que os mesmo consigam entregar uma série acima da média como tem sido até aqui. Pelo que li, se trata na verdade de uma mini série e assim espero, porque não vi até aqui, plot para estender a mesma por mais temporadas.

s01e05 part V – A descoberta de um corpo na floresta levanta perguntas se Cora está envolvida ou não. Além disso, uma nova detetive chega para investigar o caso.

s01e6 part VI – Quando Ambrose começa a hesitar, Cora o convence a correr o maior risco pelo caso.

A série fica a cada episódio mais interessante e instigante, principalmente, pela construção de Cora e Harry, no entanto, a nova detetive já traz aqueles velhos clichês de tramas “good cop/bad cop” e, além disso, começo a me questionar que o sucesso da série pode fazer com que respostas para perguntas desta temporadas fiquem sem solução empurrando para uma 2ª temporada, torço para que não ocorra isso! Um suspense psicológico muito acima da média televisiva atual.

s01e07 part VII – Cora viaja para o passado, finalmente lembrando a noite em questão. Usando da fama de Game of Thrones, revelações no penúltimo episódio da temporada, aqui tivemos um flashback contínuo sobre os eventos que levaram possivelmente ao trauma de Cora, apesar de um pouco lento, trabalhou minúcias em cima de características de cada personagem, já falei que a irmã de Cora é um porre? Vamos ver o que a season finale ou series finale nos apresenta.

S01E08 part VIII – Todas as cartas serão colocadas na mesa e o destino de Cora será decidido.

Mesmo que não tenho entregado todo o impacto que gerou inicialmente, principalmente a parte jurídica da série, bem superficial, o desfecho da trama de Cora foi quase surreal, muito se passou desde o ataque da praia até este fechamento, impressionante a carga dramática que os roteiristas conseguiram criar para cada personagem.

O melhor da série certamente foram seus personagens, todos sem exceção foram criados para gerar conflitos devido suas complexidades, exemplo disso, até mais do que Cora é o detetive Harry (Bill Pullman entregando um coadjuvante digno de premiações), com seu casamento e sua relação íntima com o masoquismo. Observem como não ha “mocinhos” clássicos na trama, todos sem exceção abaixo da carga de mistério apresentam claros desvios de comportamento, inclusive a aparente angelical irmã doente de Cora, a pequena manipuladora Phoebe.

O roteiro acertou ao optar pelas revelações “cebola”, a cada episódio um nova camada era nos mostrada levando a outra, e outra e assim por diante, até o desfecho que pode parecer, num primeiro momento, óbvio depois de especulações religiosas e militares, bastou apenas o trauma da personagem para segurar estes 8 episódios. Ótimo acerto do canal USA!

STATUS: INDEFINIDO (acredito – e espero – que tenha terminado).

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: